TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Compreender as diferenças entre as diferentes formas de aprendizagem e o seu significado para a aprendizagem

Projeto de pesquisa: Compreender as diferenças entre as diferentes formas de aprendizagem e o seu significado para a aprendizagem. Pesquise 813.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  24/11/2013  •  Projeto de pesquisa  •  1.770 Palavras (8 Páginas)  •  244 Visualizações

Página 1 de 8

INTRODUÇÃO

A educação sempre existiu, formal ou não. Desde o princípio dos tempos o homem procura encontrar respostas para tudo que descobre de novo, a cada segundo encontra-se no derredor do mundo novas aptidões, conceitos, formas de aprender e ensinar, métodos de aplicar esta ou aquela informação. No âmbito educacional aprender e ensinar são constantemente revisto e contestado. Sempre haverá quem procure desvendar o ato de ensinar e aprender, assim também se dá com as metodologias que são usadas para garantir o aprendizado. São anos de estudos, levantamento de hipóteses, testes e observações do comportamento humano quando está recebendo informações novas. A História do mundo muitas vezes se confunde com a história da educação, uma influência a outra. As diferentes abordagens em torno da educação são feitas através de muitos estudos, porém podemos afirmar que enquanto não houver mudanças nas condições de trabalho do professor bem como seu reconhecimento não haverá progressão.Educação é instrumento libertador.

OBJETIVO

Entender as diferenças entre as diversas formas de ensinar e sua importância para o aprendizado.

RESUMO

A escola tradicional nasce a partir de uma religião que configura esta com suas regras e punições severas dadas aos alunos que não “cuidavam da disciplina”. O professor por sua vez era tratado como total autoridade em sala de aula.

Embora a essas ordens religiosas de origem católica fossem organizadas e competentes ao ensinar, foi deixando de atender as rede de interesses e foi perdendo lugar para as novas idéias, o iluminismo tornou-se com as revoluções industrial, francesa e outras a tendência mais coerente, porém não menos excludente que a tradicional.

Somente no XVIII, que a escola nova revê os conceitos de educação e assim tudo o que envolve o processo ensino aprendizagem, principalmente a postura do professor diante dos alunos e vice versa.

CAPÍTULO I

A ESCOLA TRADICIONAL

Na medida em que as sociedades tornaram-se mais complexas, podemos perceberque aconteceram mudanças e assim divisores de água na história da humanidade, se antes as mulheres se viam as voltas dos cuidados com o lar e a família e assim eram dependentes dos homens, que por sua vez criaram assim uma hierarquia onde a mulher não teria espaço para alçar vôos maiores que os já predeterminados por uma sociedade machista. O fato é que com a revolução industrial, havia muitas máquinas para pouca mão de obra masculina, e com isso a mulher ganha espaço no mercado de trabalho, essas mudanças exigiram uma revolução na educação que torna-se acessível a todos, porém ainda as classes menos favorecidas não obtinham a mesma educação que as da classe dominante.

Em decorrência, determina-se que deve haver um dualismo escolar ou seja uma escola onde o ensinava-se o sagrado e da administração e outro voltado para o condicionamento para os diversos ofícios especializado. A partir deste fato histórico e fundamentado, podemos perceber o quanto a educação esta entrelaçada, com a história do mundo. A cada nova abordagem por volta da educação podemos encontrar algum fato novo no âmbito da política.

O catolicismo dominou por muito tempo o pensamento da escola tradicional, os jesuítas era a principal ordem religiosa que procurava catequizar conforme as regras do cristianismo e da Igreja Católica. Caracterizavam-se por seu ensino tradicional e conservador, apesar de serem organizados e competentes. Tinham como base a Escolástica medieval enfatizavam a retórica e o ensino do latim, o ensino de ciências e filosofia modernas eram desprezadas por eles.

Um dos principais pensadores que representava a escola tradicional era John Locke, este pensador exerceu grande influência sobre as concepções que nortearam a teoria empirista do conhecimento. Locke criticava o racionalismo de Descartes, que se aprofunda em proporcionar a experiência como verdadeiro tradutor da razão e da aprendizagem. Ele ainda vai contra todas as ênfases dos Jesuítas, ressalta a importância do estudo da Geografia, Geometria, Ciências Naturais e ainda da importância para a educação física. Representava os interesses da burguesia, por isso dividia os “interesses educacionais”, em duas vertentes uma voltada para o comércio, dirigida para a burguesia e outra manual como jardinagem como ofício para os menos favorecidos. Locke olhava a criança com olhar de austeridade porque via na criança um ponto a favor para criar um ser dócil e educado, acreditava ser melhor a educação informal realizada em casa para que houvesse assim um maior cuidado com a criança, pois imaginava que a criança em ambiente educacional que não fosse o lar poderia ser hostilizada e não receber uma educação apropriada (dualismo educação formal voltada para administrar, educação informal realizada em casa).

Outras características da escola tradicional em relação ao aluno e que o mesmo deveria ser passivo aos receber as informações não precisava questionar apenas decorar o que o conteúdo, a tradição era cultuada para a defesa da moral e dos bons conhecimentos, não havia diferenças entre os alunos de uma mesma professora eram todos iguais e tratados da mesma forma independente de suas necessidades. A disciplina dada ao aluno era extremamente rígida e regrada, havia castigos e punições.

O professor era o centro do ambiente educacional, o que o professor falava e ou determinava era a verdade pronta e acabada, era o detentor do saber e um modelo a ser seguido, que por sua vez transmitia este conhecimento com métodos exercício de fixação e aulas expositivas e com um conteúdo puramente teórico. Avaliava o aluno com provas.

CAPÍTULO II

A ESCOLA NOVA

A partir do século XVIII, as transformações mexeram nas estruturas da Europa, principalmente na sócio econômica pois as revoluções que afloravam naquela época daria vazão a novas formas de pensar e repensar o mundo com mais igualdade.

O iluminismo ou ilustração deixa sua marca nesse século polêmico politicamente, já que tantas revoluções marcaram mesma época e com um mesmo grito: a Igualdade.

Voltada para a religião e para atender as necessidades da burguesia assim foi a escola tradicional, que passou por deposições

...

Baixar como (para membros premium)  txt (11.4 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com