TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Conceito sobre Grupo

Seminário: Conceito sobre Grupo. Pesquise 792.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  9/5/2013  •  Seminário  •  1.768 Palavras (8 Páginas)  •  456 Visualizações

Página 1 de 8

Conceito sobre Grupo

A definição de Krech, Crutchifield e Ballachey (l975) diz que: Um grupo psicológico pode ser definido como duas ou mais pessoas que se reúnem e satisfazem as seguintes condições:

1) As relações entre os membros são interdependentes – o comportamento de cada membro influi no comportamento de todos os outros;

2) Os membros aceitam uma ideologia – um conjunto de crenças, valores e normas que regulam sua conduta mútua.

Destaca-se a influência mútua dos componentes do grupo entre si e a aceitação de normas, crenças, enfim de “algo em comum”.

São exemplos: grupo familiar, grupo de amigos, o grupo de trabalho, de estudo, grupos de vizinhos, grupos religiosos, etc.

Tipos de Grupo

Dividem-se em grupos primários e secundários.

O grupo primário se caracteriza pela presença de laços afetivos íntimos e pessoais entre seus membros, pela espontaneidade no comportamento interpessoal, por possuir objetivos comuns (apesar de não necessariamente explícitos). A família é o exemplo. Nela o objetivo comum em geral não está explicitado, e pode ser simplesmente a convivência. È o caso também da “turma” ou “gangue” juvenil.

O grupo secundário, não se constitui num fim em si mesmo, mas num meio para que seus componentes atinjam fins externos ao grupo. É o caso de um grupo de estudos que se dissolverá quando tiver concluído sua tarefa. As relações interpessoais num grupo secundário costumam ser mais “frias”, impessoais, racionais e formais.

Costuma-se entender que um grupo é pequeno quando seu número de componentes e suficientemente limitado para permitir o estabelecimento de relações e percepções recíprocas entre eles. São os chamados grupos “face a face” e de maneira geral, são compostos de 5 a l5 pessoas.

As pessoas participam simultaneamente de muitos e diferentes tipos de grupos. Alguns deles estão ligados funcionalmente entre si, formando organizações sociais.

Organizações Sociais

Para Krech, Crutchefield e Ballachey (1975), uma organização social pode ser definida como um sistema integrado de grupos psicológicos inter-relacionados e formado para um objetivo explícito.

Um exemplo de organização é uma escola, com seus numerosos grupos de alunos, professores, funcionários, direção, grupos de amizade, etc. Outros exemplos são as fábricas, empresas em geral, partidos políticos, bancos, clubes, etc.

Nossa sociedade se apóia em grupos e organizações. Nascemos numa organização (família) somos educados por organizações (escolas) e passamos grande parte de nossa vida trabalhando para as organizações (empresas).

A civilização moderna depende em grande parte das organizações que constituem a forma mais racional e eficiente de agrupamento social que se conhece, no entanto, esse aumento de racionalidade e eficiência obtido pelas organizações modernas exigiu muito do homem que nela trabalha. Nem todas as pessoas se encontram satisfeitas em seu trabalho, muitas estão prostradas e alienadas, não-comprometidas com suas tarefas.

São infelizes, porque o trabalho realizado não lhes permite experimentar uma sensação de aperfeiçoamento e auto-realização.

Dentro de certos limites, a felicidade aumenta a eficiência nas organizações e, inversamente, sem organizações eficientes seria inconcebível grande parte de nossa felicidade. Portanto o problema das organizações modernas é a maneira de reunir agrupamentos humanos que sejam tão racionais quanto possível e, ao mesmo tempo, produzir um mínimo de conseqüências secundárias indesejáveis e um máximo de satisfação.

Métodos para o estudo de Grupos

Com o trabalho inovador de Kurt Lewin, este pesquisador empreendeu, sob o nome de Dinâmica de Grupo. No laboratório ou na pesquisa de campo, descreveu os resultados e chegou a importantes conclusões sobre a estrutura e o funcionamento de grupos. Os principais métodos para o estudo dos grupos podem ser chamados de métodos de observação e métodos de autodescrição.

Métodos de observação, como o nome indica, observadores treinados observam o grupo e registram sistematicamente suas observações. Esse registro é feito, através de escalas ou de categorias.

Nas escalas de avaliação, o observador atribui um valor quantitativo para a dimensão do comportamento de grupo que está observando. Os dados obtidos podem servir para estabelecer comparações com outros, provenientes de outros métodos, para validar conceitos, para descrever mudanças no comportamento ao longo do tempo, etc,

Nos sistemas de categorias, o observador codifica o comportamento observado em categorias independentes. As categorias utilizadas vão depender da orientação teórica do pesquisador e do objetivo da pesquisa. Um sistema muito utilizado é o de Bales, onde o observador classifica cada ato de cada membro do grupo e, ao final de um período de interação (como uma reunião, por exemplo) pode-se ter um perfil do comportamento do grupo. Os dados podem ser utilizados para verificar os progressos no amadurecimento do grupo, suas principais dificuldades, etc.

A obervação de grupos “naturais”, isto é, grupos que não estão em um laboratório para serem observados, representa um problema maior, já que o número de variáveis presentes é mais extenso.

Métodos de Autodescrição

São os próprios membros do grupo que descrevem, quantificando ou não, as características do grupo. A entrevista de campo e o método sociométrico são métodos de autodescrição.

A entrevista de campo, é a coleta de dados fornecidos pelos observadores num trabalho de pesquisa de campo. Pode ser usada como instrumentoauxiliar em qualquer outro método como, por exemplo, na observação participativa.

O método sociométrico foi idealizado por Moreno para medir a aceitação e rejeição que existem entre os membros de um grupo. Cada membro do grupo é solicitado a indicar(em geral, reservadamente) com qual (ou quais) colegas gostaria (ou detestaria) de trabalhar, ou qualquer atividade, sentimentos, etc., conforme a finalidade do estudo. Os resultados são descritos de forma gráfica,

Pessoa poderosa: escolhida por quatro indivíduos, que por sua vez são escolhidos por muitos outros, dentro e fora de seus grupos, é uma posição influente.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (12.4 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com