TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

RESENHA CRITÍCA DO LIVRO: SEIS ESTUDOS DE PSICOLOGIA (JEAN PIAGET)

Trabalho Universitário: RESENHA CRITÍCA DO LIVRO: SEIS ESTUDOS DE PSICOLOGIA (JEAN PIAGET). Pesquise 787.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  18/9/2014  •  1.763 Palavras (8 Páginas)  •  3.790 Visualizações

Página 1 de 8

UNIP – UNIVERSIDADE PAULISTA

Instituto de Ciências Humanas

Curso de Psicologia

2° e 3° Semestre

RESENHA CRITÍCA DO LIVRO: SEIS ESTUDOS DE PSICOLOGIA

JEAN PIAGET

Suellen Lima...............................B6008D-4

Campus Assis – São Paulo

2014

UNIP – UNIVERSIDADE PAULISTA

Instituto de Ciências Humanas

Curso de Psicologia

2° e 3° Semestre

Suellen Lima...............................B6008D-4

RESENHA CRITÍCA DO LIVRO: SEIS ESTUDOS DE PSICOLOGIA

JEAN PIAGET

Trabalho apresentado para disciplina de Psicologia Construtivista sob a orientação da Professora Fabiola

Campus Assis – São Paulo

2014

SUMÁRIO

1.INTRODUÇÃO………………………………………………………….….04

2.RESENHA CRÍTICA....................................................................................05

2.1 I-O RECÉM NASCIDO E O LACTENTE...................................................05

2.2 II-A PRIMEIRA INFÂNCIA: DE DOIS A SETE ANOS............................06

2.3 III-A INFÂNCIAA DE SETE A DOZE ANOS............................................07

2.4 IV- A ADOLESCÊNCIA..............................................................................09

3.CONCLUSÃO................................................................................................10

4.REFERÊNCIAS …………………..…………………………….……...…..11

1. INTRODUÇÃO

O presente trabalho trata-se sobre uma resenha critica da primeira parte do livro: Seis estudos de Psicologia de Jean Piaget. O livro vem a falar sobre seis estágios (períodos do desenvolvimento) que marcam o aparecimento das estruturas mentais na criança. Cada estágio é caracterizado pela aparição de novas estruturas, que o distingue dos estágios anteriores. São eles:

1º O estágio dos reflexos, ou mecanismos hereditários, primeiras tendências instintivas e das primeiras emoções.

2º O estágio dos primeiros hábitos motores e das primeiras percepções organizadas e dos primeiros sentimentos organizados.

3º O estágio da inteligência senso-motora (anterior a linguagem), das regulações afetivas elementares e das primeiras fixações exteriores da afetividade.

4º O estágio da inteligência intuitiva, dos sentimentos interindividuais espontâneos e das relações sociais de submissão ao adulto.

5º O estágio das operações intelectuais concretas e dos sentimentos morais e sociais de cooperação

6º O estágio das operações intelectuais abstratas, da formação da personalidade e da inserção afetiva e intelectual na sociedade.

2. RESENHA CRÍTICA

O desenvolvimento mental inicia se quando nascemos e só termina na idade adulta. Estamos constantemente a desenvolver nosso psiquismo.

I. O RECÉM-NASCIDO E O LACTANTE

O capítulo fala sobre os três primeiros estágios constituídos no período de lactância (sensório-motor). As etapas da evolução copérnica sob os aspectos da inteligência e da vida afetiva em formação.

1º Estágio: a inteligência do recém-nascido é vista somente nos reflexos e coordenações motoras e sensoriais. Ex: reflexo de sucção

2º Estágio: os reflexos vão se tornando mais complexos, as percepções vão sendo organizadas. Ex: a criança já é capaz de seguir um objeto em movimento ou olhar na direção que ouve um determinado barulho.

3º Estágio: é desenvolvida a inteligência prática, onde a criança passa a manipular os objetos. Ex: pegar uma vareta para puxar um objeto distante.

Os três primeiros estágios vêm a tratar-se de uma inteligência senso-motora, conforme o passar de estágios (idade da criança) ela passa a melhorar suas habilidades de percepção e habilidades motoras.

Existem quatro processos fundamentais que caracterizam a revolução intelectual da criança durante os dois primeiros anos de vida, são estes: construções de categorias do objeto, do espaço, da causalidade e do tempo. Todas ainda sem a noção do pensamento.

O lactente ainda não possui a noção de objeto permanente, para ele quando um objeto sai de seu campo de visão este se foi para sempre. Somente por volta do fim do primeiro ano de vida que ele começa a procurar por um determinado objeto que saiu de seu alcance de visão.

Em relação à afetividade: no 1º estágio surgem as emoções primárias, no 2º estágio surgem sentimentos elementares ligados às modalidades da atividade própria, e no 3º estágio a característica principal é a escolha do objeto afetivo.

O período de lactância é considerado uma época narcisista (mas sem Narciso) principalmente nos dois primeiros estágios, onde o egocentrismo é muito forte, um amor a si próprio, o bebê tem interesse pelo seu corpo, seus movimentos e o resultado de suas ações.

Tudo faz parte do desenvolvimento da criança, fases, estágios que todos passamos.

II. A PRIMEIRA INFÂNCIA: DE DOIS A SETE ANOS

Neste período surge à linguagem, o que já faz a criança

...

Baixar como (para membros premium)  txt (12.7 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com