TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Trabalho escravo infantil

Por:   •  1/11/2015  •  Trabalho acadêmico  •  1.064 Palavras (5 Páginas)  •  160 Visualizações

Página 1 de 5

Centro Universitário Autônomo do Brasil – UNIBRASIL

Francisca Rasche

Irmã Gilene Mad

Josiane Michael

Vanessa Couto

D. W. Winnicott

Trabalho acadêmico apresentado à disciplina de Psicologia do Desenvolvimento Infantil da turma 2 PSAN do Curso de Psicologia da Escola de Saúde do Centro Universitário Autônomo do Brasil – UNIBRASIL ministrada pela  professora Dulce Mara Gaio.

Curitiba, PR

2015


SUMÁRIO

D. W. Winnicott        

1 Biografia        

2 O verdadeiro e o falso self        

3 Mãe suficientemente boa, holding, ambiente...        

4 Objeto transicional        

5 O brincar na psicanálise Winnicottiana        

REFERÊNCIAS        


D. W. Winnicott

1 Biografia

xxxxx

2 O verdadeiro e o falso self

Segundo (Winnicott 1971) o verdadeiro self, tem um potencial que envolve o desenvolvimento físico e psíquico, e assim esse potencial é encontrado num ambiente que facilita o trabalho da mãe. O autor apresenta o conceito de mãe suficientemente boa, cuja mãe tem a preocupação primária materna ou uma mãe devotada comum, ela se enquadra num inter jogo de ilusão e desilusão que submete a criança a uma quantidade excessiva de estímulos com que ela tem dificuldade de lidar.

A manifestação do verdadeiro self já é uma organização do falso self se descreve para Winnicott (1971), que quando o bebe olha para sua mãe e ocorrem duas coisas, (ou ele se vê no olhar das mãe  função espetacular) , ou seja é  o objeto percebido subjetivamente, há uma harmonia entre os olhares , e ele habitualmente depende sempre da percepção do olhar materno.

Winnicott (1999) sempre acreditou que a submissão de um acompanhamento de um viver constituído a partir do falso self. Assim a mãe suficientemente boa, de acordo com Winnicott a que responde a onipotência do bebe , dando–lhe sentido, ai o self verdadeiro já começa a vir adquirindo vida, pela força da mãe que dá conta das expressões do bebe, a mãe que não é boa fica incapaz de cumprir, organizar essa onipotência do lactente, isso é uma incapacidade materna que ela não consegue interpretar as necessidades do bebe.



citação direta

Segundo Winnicott o falso self age como uma defesa do verdadeiro self, a quem protege sem substituir, nos casos mais graves, o self falso substitui o real e o indivíduo.. Winnicott ainda diz que na saúde o self falso se encontra representado por toda a organização de atitude social cortes e bem educada.


O psicanalista inglês, não pretendia ensinar as mães a serem suficientemente boas, pela lógica isso não é algo a ser ensinado e o seio é um símbolo. (
SOBRENOME DO AUTOR, ANO, pagina).




citação direta

Considera que há experiências que pertencem a área da esperança em relação a dependência e outras áreas da desesperança e nas palavras de Winnicott (1975) , é possível existir um relacionamento de submissão com a realidade externa, onde o mundo por todos os seus por menores é reconhecido apenas como algo a que se ajustar  ou exigir adaptação. (SOBRENOME DO AUTOR, ANO, pagina).

     

3 Mãe suficientemente boa, holding, ambiente...

Xxxx

4 Objeto transicional

Ssss

5 O brincar na psicanálise Winnicottiana

        

Quando uma pessoa proporciona momentos de brincar ela estará oferecendo momentos lúdicos, um conjunto de atividades e ações que envolvem ideias, sentimentos, ações, pessoas, situações, objetos, em que a criança se diverte, inventa, desenvolve sua imaginação e criatividade e principalmente, a socialização.

Para Belo & Scodeler (2013, p. 103) o  brincar deve ser considerado “não só como uma atividade do setting terapêutico passível de análise ou como restrita às crianças, mas como algo terapêutico em si mesmo e que em tudo se aplica ao adulto”, para Winnicott (apud BELO; SCODELER, 2013), “a característica essencial do que desejo comunicar refere-se ao brincar como uma experiência, sempre criativa, uma experiência na continuidade espaço tempo, uma forma básica de viver” (WINNICOTT, 1971/1975, p. 75).

...

Baixar como (para membros premium)  txt (6.8 Kb)   pdf (144.8 Kb)   docx (14.5 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com