TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Aferição Do Teor Alcoólico Na Gasolina

Por:   •  28/6/2013  •  1.058 Palavras (5 Páginas)  •  481 Visualizações

Página 1 de 5

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DOM BOSCO

FACULDADE DE ENGENHARIA DE RESENDE

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

AFERIÇÃO DA GASOLINA

ROTEIRO 05

AFERIÇÃO DA GASOLINA

Introdução

O Brasil tem autossuficiência em etanol, mas ainda precisa importar petróleo. Do petróleo é obtida a gasolina por meio de processamentos como a nafta DD (produto obtido a partir da destilação direta do petróleo), nafta craqueada que é obtida a partir da quebra de moléculas de hidrocarbonetos mais pesados (gasóleos), nafta reformada (obtida de um processo que aumenta a quantidade de substâncias aromáticas) e nafta de coque, obtida através do processo de coqueamento, nafta alquilada (de um processo que produz iso-parafinas de alta octanagem a partir de iso-butanos e olefinas), etc.

O governo brasileiro determinou a mistura do etanol a gasolina, pois assim poderíamos aproveitar melhor a produção do álcool brasileiro e também reduz a poluição. No entanto, não se pode adicionar qualquer quantidade de álcool na gasolina. A Agência Nacional do Petróleo (ANP) determina que o teor de etanol na gasolina deva estar entre 22% e 25% em volume. Um teor maior ou menor do que esse compromete a qualidade do produto.

Essa porcentagem já vem adicionada na gasolina; porém, existem casos de pessoas que querem lucrar mais e, para tal, acabam adicionando mais etanol (que é mais barato) na gasolina.

Por meio de um experimento simples podemos determinar se a mistura entre o álcool e a gasolina esta dentro dos padrões especificados pela ANP. A molécula de água e a molécula do etanol formam polos, logo são moléculas do tipo polar. Já a gasolina é um composto apolar, pois é formado de hidrocarbonetos como o iso-octano e o n-heptano. Por causa da questão da polaridade dos elementos envolvidos surge uma mistura heterogênea, pois o álcool e a água se dissolvem e não se misturam com a gasolina.

Objetivo

Determinar a porcentagem de álcool na gasolina, e verificar se os resultados das amostras se encontram de acordo com as normas estabelecidas pela agencia nacional do petróleo (ANP).

Materiais necessários para o experimento

Proveta de 50 mL

Pissete com água destilada

Bastão de vidro

Amostra de gasolina de postos diferentes

Procedimentos

- Primeiramente adicionamos 25 ml de gasolina em uma proveta de 50 ml, em seguida completamos o recipiente com água destilada;

- Logo após tampamos a proveta utilizando a palma da mão, agitamos e invertemos a proveta três vezes a fim de promover a mistura entre os líquidos, tomando cuidado para não haver perdas de líquido.

- Por último deixamos o líquido em repouso e observamos ate obtermos uma mistura heterogênea bifásica.

Na figura abaixo se tem o procedimento experimental explicitado, na qual se pode ver a sequência destes.

Resultados e discussões:

Após ter seguido o procedimento do experimento, descrito na parte intitulada Procedimento Experimental, observou-se o resultado das amostras e utilizando a seguinte expressão obtivemos os seguintes resultados.

Primeira amostra:

%álcool = 2,5 x100 Logo o teor alcóolico era de 10% do total de 25 ml de gasolina

25

Segunda amostra:

%álcool= 17 x100 Logo o resultado do teor de álcool era de 68%

25

Ao término desses cálculos, e após pesquisarmos sobre o assunto verificamos que nenhumas das amostras se enquadravam na gasolina do tipo C que é o tipo de gasolina determinado pela ANP.

Abaixo podemos ver os tipos de gasolina e algumas de suas especificações:

* Gasolina do tipo A (73 octanas - gasolina amarela);

* Gasolina do tipo B (82 octanas - gasolina azul);

* Gasolina do tipo C (76 octanas - gasolina + álcool);

* Gasolina verde - cujo NO = 110 – 130.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (6.8 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com