TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

MAUÁ O IMPERADOR E O REI

Por:   •  15/10/2015  •  Resenha  •  436 Palavras (2 Páginas)  •  430 Visualizações

Página 1 de 2

O filme Mauá o Imperador e o Rei conta a história de Irineu Evangelista de Souza no período do século XIX, onde mostra desde sua infância a ascensão como o primeiro empreendedor brasileiro, Barão de Mauá com ideias revolucionárias para a economia nacional da época. Construiu-se um estabelecimento industrial na Ponta de Areia no Rio de Janeiro, onde se desenvolveu a Fundição de ferro e bronze, construção naval e serviços como a produção de navios a vapor, estradas de ferro, comunicações telegráficas e bancos. Através desse crescimento trazido pelo Barão de Mauá, gerou concorrência com empreendimentos estrangeiros. E, em 1857 um incêndio destruiu a Ponta de Areia. Que deixou praticamente evidente que foi provocado pelos concorrentes.

O Barão de Mauá representou uma ameaça para os conservadores da época, principalmente para o imperador. Devido ter sido contra a escravidão, lutou pela abolição da escravatura, teve ideias revolucionárias e foi contra a Guerra do Paraguai, o que o levou ao desagrado do governo e demais lideranças, causando diversas dificuldades em seus negócios e por consequência o seu afastamento, e falência tendo que vender suas empresas para quitar dividas.

Correlacionando com o Capitulo II, Capitalismo, liberalismo e origens da política social, a história do Barão de Mauá relaciona-se, pois é no século XIX, onde varias mudanças começam a acontecer, trazendo a ascensão do capitalismo, a revolução inglesa, e industrial, o trabalho como atividade humana, voltada a produção de bens e serviços. No filme Mauá o período é marcado por uma sociedade socialista com divergências de interesses. O interesse do Barão de Mauá, assim como dos demais capitalistas era de fazer riqueza e não dividi-las, eles tinham a liberdade no mundo capitalista e ao mesmo tempo a competitividade fazia parte, a forte relação capitalista que existia dos mais influentes, gerava a acumulação do capital, a exploração da mais-valia em troca do trabalho livre, pois muitos que foram escravos passaram a ser homens livres, que recebiam salário em troca da sua mão de obra.

O filme nos leva a reflexão do período em que as relações sociais se reproduzem, da exploração do trabalho para a produção de riqueza, o antagonismo de classes e a classe burguesa em busca de alcançar as suas necessidades, utilizando da venda da força do trabalho da classe operária.

Das ideias e ações liberalistas, o trabalho era visto como o caminho para gerar riqueza e com necessidade de livre mercado, deveria manter um Estado livre, a política social não era vista pelos liberais como fundamental na sociedade, o interesse era de gerar capital. Porém o

Estado Liberal e o Estado Social tinham em comum o reconhecimento de direitos sem intervenções do capitalismo.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (2.8 Kb)   pdf (40.3 Kb)   docx (11.2 Kb)  
Continuar por mais 1 página »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com