TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Preparo De Diferentes Meios De Cultura E Isolamento De Levedura

Casos: Preparo De Diferentes Meios De Cultura E Isolamento De Levedura. Pesquise 791.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  31/5/2013  •  2.434 Palavras (10 Páginas)  •  1.428 Visualizações

Página 1 de 10

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Preparo de diferentes meios de cultura e Isolamento de levedura

Resumo:

A prática objetivou o preparo de diferentes meios de cultura (sólido e líquido) e posterior isolamento de leveduras. Para isso foram utilizados os meios ABD (Ágar Batata Dextrose) a fim de obter o meio sólido. Para o caldo, foram utilizados em sua composição: extrato de malte, extrato de levedura, peptona e glicose. Após a incubação adequada dos meios, foi feito o isolamento de levedura da uva verde. Foi utilizada a técnica do esgotamento em estrias no meio sólido. A prática foi realizada com êxito, uma vez que, pode-se observar a presença de leveduras nas placas.

Palavras Chave: Meios de cultura, levedura, inoculação, uva verde.

1.Introdução:

Meios de cultura consistem da associação qualitativa e quantitativa de substâncias que fornecem os nutrientes necessários ao desenvolvimento (cultivo) de microrganismos fora do seu meio natural. Tendo em vista a ampla diversidade metabólica dos microrganismos, existem vários tipos de meios de cultura para satisfazerem as variadas exigências nutricionais. [1]

Além dos nutrientes é preciso fornecer condições ambientais favoráveis ao desenvolvimento dos microrganismos, tais como pH, pressão osmótica, umidade, temperatura, atmosfera (aeróbia, microaeróbia ou anaeróbia), dentre outras. [1]

As leveduras, como os bolores e cogumelos, são fungos. Apresentam-se caracteristicamente sob forma unicelular. A etimologia da palavra levedura tem origem no termo latino levare com o sentido de crescer ou fazer crescer. As primeiras leveduras descobertas estavam associadas a processos fermentativos como o de pães e de mostos que provocam um aumento da massa do pão ou do volume do mosto pela liberação de gás e formação de espuma nos mostos. [3]

Como células simples, as leveduras crescem e se reproduzem mais rapidamente do que os bolores, pois são mais eficientes na realização de alterações químicas, devido a sua maior relação de área/volume. [3]

As leveduras também diferem das algas, pois não efetuam a fotossíntese, e igualmente não são protozoários porque possuem uma parede celular rígida, formada de quitina. São facilmente diferenciadas das bactérias em virtude das suas dimensões maiores e de suas propriedades morfológicas. [4]

Estes microrganismos são cultivados em destilarias para a produção de etanol (álcool combustível) a partir do açúcar da cana. São também cultivadas a partir do melaço da cana-de-açúcar para serem usadas na fabricação de pães. Assim, são de extrema importância para a produção de álcool (álcool combustível e bebidas alcoólicas), além de outros produtos de grande interesse industrial até para a saúde e alimentação animal. [5]

O experimento tem como objetivo o preparo de meios de cultura sólido e líquido para posterior inoculação de leveduras.

2. Materiais e Métodos

2.1 Materiais

2.1.1) Meio sólido:

- Ágar batata dextrose com concentração de 39g/L;

- Água destilada.

2.1.2) Meio Líquido:

Tabela 1: Composição do meio de cultivo

Componente Quantidade (g/L) Quantidade (g/100mL)

Extrato de malte 3,0 0,3

Extrato de levedura 3,0 0,3

Peptona 5,0 0,5

Glicose 10,0 1,0

2.1.3) Isolamento de levedura:

- uvas verdes;

- swab;

- Água ou Solução peptonada estéril;

- Placas de petri.

2.2 Métodos

2.2.1) Preparo de meios sólidos

Pesou-se 1,94g do meio ABD ( Agar batata dextrose) e solubilizou-se em em 50 mL de água destilada num frasco erlenmeyer.

2.2.2) Preparo do meio líquido

Preparou-se 100 mL de meio, cuja composição encontra-se na tabela 1. Solubilizou-se todos os componentes em 100 mL de água destilado num frasco erlenmeyer.

2.2.3) Isolamento de levedura

Foi umedecida a ponta do swab em solução peptonada estéril, após este procedimento o mesmo foi colocado em contato com as bagas e pendúnculos da amostra de uva verde. Em seguida utilizou-se a técnica de esgotamento de estrias no meio ABD. Tais procedimentos foram realizados por cada aluno, anotando-se em suas respectivas placas: nome e turma.

2.2.4) Condições de incubação da levedura

As placas estriadas foram incubadas a 30°C, por no mínimo 24h.

3. Resultados e Discussões

3.1 – Resultados:

Tabela 2:Contagem de Leveduras

PLACA1 14 COLÔNIAS

PLACA 2 69 COLÔNIAS

PLACA 3 144 COLÔNIAS

PLACA 4 171 COLÔNIAS

Na placa de número 2, foi verificada a presença de fungos filamentosos provenientes da própria uva.

O meio ABD solidificou por possuir ágar na sua composição e o segundo meio não solidificou, devido não possuir ágar.

3.2 – Discussões:

- O meio de cultura:

A escolha do meio de cultura é uma etapa muito importante no processo de identificação de fungo em uma amostra. O meio de cultura pode ser escolhido, basicamente, segundo o tipo de amostra ou agente etiológico pressupostamente presente na mesma. Há a possibilidade de, a partir de aspectos observados ao exame microscópico da amostra, não ser possível a identificação. Nesses casos há necessidade de realização de cultivo, seguido de nova observação microscópica. Nesse contexto, deve-se escolher o meio mais adequado para que seja possível confirmar a identificação do agente. [2]

TIPOS

...

Baixar como (para membros premium)  txt (17.4 Kb)  
Continuar por mais 9 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com