TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A Metodologia de Captura de Fauna

Por:   •  19/7/2020  •  Trabalho acadêmico  •  775 Palavras (4 Páginas)  •  7 Visualizações

Página 1 de 4

Aula de Campo - 01/2019

Amostragem da Herpetofauna

Professora: Priscila Brustin

Estudos de fauna são necessárias coletas de dados em campo para a geração de informações e obtenção de resultados, sobretudo àqueles que necessitam do diagnóstico de espécies que ocorrem numa determinada região. Exemplos: EIA (Estudo Impacto Ambiental) RIMA (Relatório Impacto Ambiental), Monitoramentos de Fauna, e Inventariado/Levantamento de Fauna.

Entre os procedimentos metodológicos mais utilizados para a realização de amostragens da herpetofauna no Brasil e no mundo, destacam-se as

  1. Armadilhas de Interceptação e Queda: Pitfall Trap;
  2. Busca Ativa: Microambientes - ocos de árvores, cupinzeiros, brejos e poças, buracos e tocas, debaixo de rochas, entre raízes com hábito noturno e diurno;
  3. Procura Visual Limitada por Tempo: Um transecto - Linha traçada em um terreno contabilizada a área ou a distância em que será estudada;
  4. Registro Auditivo em Transectos: Registradas das espécies que estão vocalizando;
  5. Amostragem em Sítios Reprodutivos ou Procura de Anfíbios Anuros em seus Ambientes de Reprodução: Registradas das espécies que estão vocalizando;
  6. Coleta por Terceiros: Coleta por moradores das redondezas de onde será feito o estudo - recipiente tampado com solução formalina;
  7. Encontros Ocasionais: Encontros ocasionais durante outras atividades.

Esforço Amostral

O Esforço Amostral deve ser calculado multiplicando-se o número total de horas em que a metodologia foi aplicada pelo número de profissionais envolvidos na realização da atividade. Já para as metodologias que utilizam armadilhas, o esforço deve ser medido por número de baldes x número de horas.

Armadilhas De Interceptação E Queda “Pitfall Traps”

Conjunto de baldes, tambores ou algum recipiente que possa ser enterrado na terra com a entrada aberta (“boca” do balde) e sem tampa. Geralmente, cada unidade amostral possui cinco baldes, sendo três em linha e dois periféricos dispostos no formato de “Y”, interligados por cercas de lona direcionadas, utilizadas para guiar os animais até o balde.

Recomendação: No fundo do balde possa conter uma poça, é recomendado colocar pequenos pedaços de isopor para que os indivíduos que caiam na armadilha possam utilizá-lo para se manter flutuando até a chegada do pesquisador.

[pic 3]

[pic 4]

A conferência das armadilhas é feita a cada 24 horas, no período da manhã, principalmente se os recipientes enterrados estiverem sobre a luz solar, o que pode levar a morte do animal que ali permanecer durante um longo período. Em alguns casos recomenda-se a vistoria das armadilhas mais de uma vez ao dia para que os animais capturados não fiquem muito tempo expostos a predadores e sejam predados.

Vantagens: Possibilita a captura de animais que raramente são amostrados através dos métodos tradicionais que envolvem procura visual. Devido a facilidade da padronização do esforço amostral (número de baldes/dia), é considerado um bom método para se comparar riqueza de espécies entre diferentes habitats.

Desvantagem: O emprego desse método é mais indicado para amostragens realizadas por período de tempo), visto a necessidade de grande tempo de trabalho, de logística adequada e do grande esforço da equipe.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (5.3 Kb)   pdf (237.1 Kb)   docx (211.7 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com