TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Biologia Filo Chordata – Animais Cordados

Por:   •  7/6/2019  •  Resenha  •  2.154 Palavras (9 Páginas)  •  5 Visualizações

Página 1 de 9

Filo Chordata – Animais Cordados

  • Os cordados são animais triblásticos, celomados e deuterostômios.
  •  O filo Chordata inclui os protocordados e os vertebrados.
  •  São animais que apresentam, pelo menos durante a fase embrionária, tubo nervoso dorsal, notocorda, fendas na faringe e cauda.

 I – Protocordados

  •  São cordados primitivos, desprovidos de crânio e de vértebras.
  •  São animais marinhos e filtradores.
  •  Os protocordados reúnem os urocordados (ascídias) e os cefalocordados (anfioxos).
  • Os urocordados (tunicados) são sésseis e têm o corpo revestido por uma túnica protetora; podem formar colônias e viver isoladamente. A notocorda nesses animais se restringe à região caudal da larva. Durante a metamorfose para a fase adulta, a cauda regride e a notocorda desaparece completamente. A única característica que assemelha os urocordados adultos aos cordados é a presença de fendas branquiais. Ex.: ascídia.
  •  Nos cefalocordados, a notocorda se estende da cabeça até a cauda. Seus representantes são os anfioxos, animais com estagio larval, que, quando adultos, vivem semi-enterradas no fundo oceânico, filtrando partículas alimentares pela ação de numerosos cirros bucais.

II – Vertebrados

  •  Os vertebrados são animais que apresentam crânio e vértebras.
  •  Esse grupo inclui os ágnatos, os peixes cartilaginosos, os peixes ósseos, os anfíbios, os répteis, as aves e os mamíferos.

 II – Anexos embrionários dos vertebrados

  •  São estruturas que não fazem parte do corpo do embrião, mas que existem para auxiliá-lo em funções vitais como nutrição, proteção, respiração e excreção.
  •  São estruturas criadas durante o desenvolvimento embrionário a partir dos folhetos embrionários.
  •  O desenvolvimento dos animais vertebrados caracteriza-se pela presença desses anexos embrionários, que são estruturas associadas ao embrião.
  •  Os anexos embrionários podem ser de quatro tipos: âmnio, saco vitelínico, alantóide e córion.
  •  O âmnio é uma bolsa embrionária que tem em seu interior o líquido amniótico. Desempenha papéis de proteção contra a desidratação e choques mecânicos. Os animais que apresentam âmnio são denominados de amniotas e são os répteis, as aves e os mamíferos.
  •  O saco vitelínico guarda a reserva nutritiva do embrião (vitelo). É bastante desenvolvido nas aves e répteis e pouco desenvolvido nos mamíferos.
  • O alantóide é o anexo relacionado à função excretora, acumulando compostos nitrogenados resultantes do metabolismo do embrião. Secundariamente também tem função respiratória (trocas gasosas). É bem desenvolvido em animais ovíparos (aves e répteis).
  • O córion é o anexo mais estreitamente relacionado às trocas gasosas, sendo bastante fino e membranoso. Em aves e répteis, fica em contato direto com a casca porosa do ovo.
  • A placenta é uma estrutura exclusiva dos mamíferos, sendo constituída por vasos sanguíneos maternos e fetais. Desempenha funções de nutrição, de excreção, de barreira imunitária, de trocas gasosas e hormonal. É desenvolvido nos mamíferos placentários ou eutérios (homem, cão, cavalo), pouco desenvolvida ou ausente nos marsupiais ou metatérios (canguru, coala, gambá) e ausente nos monotremados ou prototérios (ornitorrinco e équidna).

Os vertebrados e o ambiente aquático.

Agnatos (vertebrados sem mandíbula):

  • A classe Agnatha ou ciclostomados inclui animais como as lampreias e os peixes-bruxa, também denominados feiticeiras.
  • Os mais conhecidos são as lampreias, que são parasitas de peixes e outros vertebrados.
  • Esse animal possui corpo alongado, cilíndrico, desprovidos de escamas e revestido por uma epiderme pluriestratificada com muco.
  • Sua boca funciona como uma ventosa.
  • Suas fendas branquiais não são cobertas por opérculos (placa móvel que recobre as brânquias da maioria dos osteíctes).
  • A notocorda nesses animais perdura por toda a vida.
  •  Não possuem coluna vertebral, apenas vértebras rudimentares.

  • Peixes (Condrictes e Osteíctes).

A classe dos peixes apresenta algumas características evolutivas em relação aos agnatos:

  •  Nadadeiras peitorais e pélvicas pares e simétricas distribuídas pelo corpo;
  • Apresentam uma linha lateral no corpo capaz captar vibrações na água (sistema sensorial).
  • Possuem mandíbula; crânio e coluna vertebral (cordados). Apresenta sistema nervoso tubular e dorsal.
  • A epiderme é pluriestratificada com glândulas mucosas que facilitam o deslocamento na água.
  • Possuem escamas como anexos superficiais na epiderme.
  • São pecilotérmicos, ou seja, não conseguem manter a temperatura corporal constante;
  • Apresentam sistema digestório completo (boca e ânus), com digestão extracelular (cavidade digestiva). Os condrictes apresentam cloaca (câmara onde se abrem os sistemas digestório, urinário e genital).
  • O Sistema cardiovascular é fechado, simples e com duas cavidades (01 átrio e 01 ventrículo).
  • A Respiração é branquial através de brânquias (retiram oxigênio da água). Possuem espiráculos.
  • Os osteíctes possuem bexiga natatória para o equilíbrio hidrostático, enquanto os condrictes não possuem. O controle hidrostático nos condrictes se dá através de seu fígado, rico em óleos com densidade menor que a da água.
  • A excreção ocorre através de néfrons e o produto de excreção pode ser a ureia (condrictes) e amônia (osteíctes).
  • Os peixes em estado larval são chamados de alevinos no caso dos osteíctes. Os condrictes não apresentam estágio larval (desenvolvimento direto).
  • A fecundação é interna nos condrictes e externa nos osteíctes. Os peixes podem ser: ovíparos, ovovivíparos e vivíparos.

  • Exemplos de Peixes ósseos (esqueleto ósseo):

Ex.: garoupas, sardinhas, linguados, atuns e bacalhaus, carpas, acaras, bagres, dourados, e etc.

  • Exemplos de Peixes cartilaginosos (esqueleto cartilaginoso):

Ex.: tubarões, raias.

Os vertebrados e o ambiente terrestre.

 

         A conquista do ambiente terrestre:

A cerca de 300 milhões de anos, os cordados começaram a abandonar o meio aquático e a iniciar a ocupação dos continentes. Esses grupos passaram a contar com duas grandes vantagens:

...

Baixar como (para membros premium)  txt (15.3 Kb)   pdf (310.6 Kb)   docx (20.5 Kb)  
Continuar por mais 8 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com