TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A importancia da fisioterapia durante o climaterio e terceira idade

Por:   •  13/3/2016  •  Projeto de pesquisa  •  2.341 Palavras (10 Páginas)  •  23 Visualizações

Página 1 de 10

A importância da Fisioterapia durante o climatério e Terceira Idade

O Brasil tem hoje uma população de aproximadamente 180 milhões de habitantes, dos quais

56% são mulheres. A expectativa de vida feminina tem aumentado nos últimos 40 anos,

passando de 45 anos em 1960 a 68 anos na atualidade, o que representa um incremento de 50%

em apenas 45 anos. As estimativas são de que esse aumento continue durante o século XXI,

exigindo mais atenção dos serviços de saúde no preparo para atender, em todos os aspectos, as

necessidades de saúde geradas por essa mudança de padrão demográfico.

A longevidade é um benefício adquirido com o avanço tecnológico e científico.

Com o aumento da expectativa de vida, a terceira idade se torna a população que apresenta

maior necessidade de cuidados com a saúde.

Alterações anatômicas e fisiológicas:

A mulher em processo de envelhecimento representa um desafio diferente ao fisioterapeuta.

As mamas modificam-se consideravelmente na puberdade e durante a lactação. Consistindo

principalmente de ductos na infância, após a puberdade esses ductos, estimulados pelo

estrógeno, desenvolvem alvéolos potenciais. Na fase que precede á menstruação, o tecido

glandular aumenta, ocorre acúmulo de sangue nos vasos e o lúmen dos ductos aumenta. Durante

a gestação, a estimulação do estrógeno e da progesterona pela placenta faz os alvéolos abrirem e

secretarem leite, o tecido adiposo aumenta, o sangue circulante aumenta, a aréola escurece e

aumenta. A lactação dura em média 5 a 6 meses, mas pode se prolongar se o estrógeno e a

progesterona continuarem a interagir com os hormônios hipofisários, prolactina e hormônios de

crescimento. Após a lactação o leite é absorvido, os alvéolos encolhem e o tecido glandular

descansa. O tecido glandular atrofia após a menopausa e os ductos degeneram, assim como

acontece com o tecido conjuntivo de suporte.

2

As cavidades da articulação sacroilíaca adquirem adesões fibrosas ou fibrocartilaginosas, e

podem ocorrer sinostoses (fusão de ossos adjacentes que normalmente são separados).

O útero aumenta de volume, incha e muda de cor durante a menstruação. Durante a gravidez, as

fibras uterinas hipertrofiam e novas fibras se desenvolvem. As paredes uterinas ficam mais finas

conforme a gravidez avança. Após o nascimento o útero involui, mas a cavidade permanece

maior do que era antes da gravidez, e acredita-se que as camadas musculares sejam mais

espessas. O útero envelhecido é atrofiado e as porções são mais definidas.

Geralmente as genitália externa também atrofia, e as secreções diminuem, com freqüência

necessitando de lubrificação durante a relação sexual.

MENOPAUSA: È definida como a cessação permanente da menstruação e está

fisiologicamente relacionada à diminuição da secreção de estrogênio resultante da perda da

função folicular. È caracterizada como um evento e não como um período. A idade média em

que ocorre é de 51,4 anos, sendo que a distribuição etária varia de 40 a 58 anos.

Uma vez que os ciclos menstruais raramente terminam de forma abrupta, existe um período de

tempo denominado perimenopausa, que circunda a menopausa, no qual os perfis hormonais

flutuam significativamente.

Para que a menopausa seja caracterizada, são necessários 12 meses de amenorréia. O declínio

dos níveis de estrogênio dos ovários marca o fim da capacidade reprodutiva

...

Baixar como (para membros premium)  txt (17.9 Kb)  
Continuar por mais 9 páginas »