TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A Topografia Aplicada ao Georreferenciamento

Por:   •  11/1/2019  •  Trabalho acadêmico  •  2.839 Palavras (12 Páginas)  •  18 Visualizações

Página 1 de 12

Curso: Georreferenciamento de Imóveis Rurais

Disciplina: Topografia Aplicada ao Georrefenciamento

Identificação da tarefa: Tarefa 3. Fórum de discussão.

Pontuação: 15 pontos de 40

TAREFA 3

Levando em consideração o que estudamos referente a Norma Brasileira para Execução de Levantamentos Topográficos (NBR 13.133/94), faça uso desse fórum avaliativo para deixar suas contribuições referentes a estrutura da referida norma e indispensavelmente sobre as definições conceituais de temas que julgarem relevantes para esse momento de discussão.

A Norma Brasileira NBR 13.133/1994 é uma norma que estabelece as condições necessárias para a execução de levantamento topográfico. Algumas condições precisam tornar compatíveis as medidas angulares, lineares, e de desníveis, também mostra a medida de tolerância em relação dos erros e como fazer essas medidas empregando equipamentos para que esses erros não excedam o limite tolerado.

Ponderando que a topografia do futuro utiliza pouco teodolitos, taqueômetros e distanciômetros, e o acesso aos equipamentos de ponta, a exemplo, estações totais, estações totais robóticas e laser scanner 3D permitem alta produção, confiabilidade e acurácia das informações levantados, a topografia moderna anda junto com a incorporação tecnológica, a automatização dos procedimentos e a possibilidade de apresentação de produtos em tempo real.

Algumas das definições e exigências definidas na NBR 13.133/1994 são: o alinhamento da via refere-se ao limite entre o terreno que será construído o prédio e o logradouro. Apoio geodésico altimétrico e planimétrico, nesse caso, apoio altímetro é o conjunto de referências de nível do terreno e, o apoio planimétrico é o conjunto de pontos de um terreno para levantamento topográfico. Neste sentido, podemos observar que os pontos planimétrico e altimetrico são o apoio topográfico citados na norma. Outro ponto importante é a carta, neste contexto, a carta é a representação gráfica sobre uma superfície plana, onde, contém o detalhamento de toda a superfície terrestre que está sendo analisada ou mapeada, distinto do croqui que é o esboço gráfico sem escala desenhado em breves traços, o qual facilita a identificação do detalhamento do terreno. Temos ainda, o desenho topográfico final, no qual, se leva em consideração os dados contidos na carta e no croqui, sendo o desenho topográfico final de base transparente, dimensionamento estável (poliéster ou similar), quadriculada previamente, em formato definido em NBRs específicas, com área útil adequada à representação do levantamento topográfico, comportando, ainda, moldura e identificadores segundo modelo definido pela destinação do levantamento.

Ainda sobre as definições da NBR 13.133/1994, temos a definição de erro de graficismo que é o erro máximo admissível na elaboração de desenho topográfico para lançamento de pontos e traçados de linhas, com o valor de 0,2 mm, que equivale a duas vezes a acuidade visual. É citado também, na Norma o Levantamento de dados topográficos as referência que são usadas para essa finalidade e também a maneira de como colher esses dados e os equipamentos utilizados para ter a exatidão ou também o desvio padrão que é aceitável nesses casos.

Para tanto, temos que o desvio padrão aceitável da variação dos pontos plotados no desenho em relação a variação dos valores individuas até a média. Neste sentido, o desvio padrão pode ser calculado pela seguinte equação:

[pic 1]

Onde: m = desvio-padrão; X = cada uma das observações; X = média das “n” observações do erro calculado; n = número de observações.

Podemos ter ainda a exatidão que nada mais é do que o grau de aderência das observações, em relação ao seu valor verdadeiro que, sendo desconhecido, o valor mais provável é considerado como a média aritmética destas observações.

Ainda sobre as definições adotadas pela NBR 13.133/1994, podemos ter o método das direções o qual consiste nas medições angulares horizontais com visadas das direções de duas posições permitidas pelo teodolito, a partir de uma direção tomada como origem, que ocupa diferentes posições no limbo horizontal do teodolito. As observações de uma direção, na posição direta e inversa do teodolito, chamam-se leituras conjugadas. Uma série de leituras conjugadas consiste na observação sucessiva das direções, a partir da direção-origem, fazendo se o giro de ida na posição direta da luneta e de volta na posição inversa, ou vice versa, terminando na última direção e iniciando-se a volta sem fechar o giro. O intervalo, medido na linha horizontal do teodolito, entre as posições da direção de origem neste limbo, chama-se intervalo de reiteração. Tal intervalo de reiteração deve ser 180°/n. 

...

Baixar como (para membros premium)  txt (20 Kb)   pdf (328.9 Kb)   docx (75.5 Kb)  
Continuar por mais 11 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com