TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

AS COMPETÊNCIAS INDIVIDUAIS REQUERIDAS AOS PROFISSIONAIS DE MERCADO E DO ENSINO SUPERIOR EM ADMINISTRAÇÃO

Por:   •  4/6/2017  •  Artigo  •  4.150 Palavras (17 Páginas)  •  109 Visualizações

Página 1 de 17

COMPETÊNCIAS INDIVIDUAIS REQUERIDAS AOS PROFISSIONAIS DE MERCADO E DO ENSINO SUPERIOR EM ADMINISTRAÇÃO.

BIAZON, Victor Vinicius Bacharel Administração, Mestrando em Administração pela FPL-MG, Docente Universitário. E-mail: victorbiazon@hotmail.com

PELISSARI, William Roberto Tecnólogo em Processamento de Dados,  Especialista em Engenharia de Software, Docente Universitário e Gerente de Projetos de Software, e-mail: wrpelissari@gmail.com

Resumo: O tema competência tem se tornado uma constante na pauta das discussões acadêmicas e empresariais. Para Fleury e Fleury (2000, p. 20) competências estão ligadas ao “saber como mobilizar, integrar e transferir os conhecimentos, recursos e habilidades num contexto profissional”. Este artigo será fundamentado em pesquisa descritiva quanti-qualitativa onde se buscou investigar com professores do curso de Administração da FAFIPA quais são as competências individuais que os mesmos percebem como necessárias para a contratação de um professor de Marketing e também foram levantadas as possíveis competências individuais necessárias para a contratação de um profissional da mesma área para a Virtual Age. Onde se concluiu que há maior vinculo de conhecimentos ligados ao saber fazer  para o docente e são apontados em maior escalas habilidades ligadas ao saber fazer para o profissional do mercado.

Palavras chave: competências, docente, mercado,  

INTRODUÇÃO

As empresas em suas análises de cargo preconizam algumas características necessárias ao recrutar e selecionar um novo funcionário. E pesquisas nesse sentido não são difíceis de serem encontradas, porém, dificilmente se encontram comparações de competências requeridas a profissionais do mesmo segmento, mas sendo orientado para o mercado e para a docência.

 Tal colocação é afirmada por Correia (2010) em sua dissertação de mestrado que utiliza estudos de Rocha (2009) para validar a ideia de que não há muita bibliografia existente na literatura brasileira quanto ao professor no ensino superior e em contrapartida houve acelerado crescimento tanto do Sistema de Educação Superior quanto no número de docentes que atuam nesse nível de ensino.

Há também uma mudança no estilo dos profissionais que não necessariamente precisam optar por carreira organizacional ou institucional, Lacombe (2005) tem destacado em seus estudos a mudança no estilo de carreiras existentes e o desenvolvimento de competências que contribuem para a construção dessas carreiras. É possível que um individuo seja um excelente colaborador e um excelente professor.

Pensando em contratação de pessoas adequadas para seus cargos, o presente artigo trás como questão norteadora quais são as competências individuais exigidas (ou requeridas) por colaboradores de empresas para contratar um profissional de Marketing (gerente de setor) e quais competências individuais, professores de áreas distintas requerem para contratar um professor da mesma área, Marketing.

Escolheu-se uma área especifica da Administração, para facilitar a comparação dos leitores na tentativa de alcançar o objetivo de conhecer as competências individuais requeridas para profissionais de marketing tanto na organização quanto na academia. Para isso se faz necessário destacar os conceitos de competências e competências individuais nesta tentativa de se manter empregável.

REFERENCIAL TEÓRICO:

Competências

De acordo com Fleury e Fleury (2000, p. 18) “competência é uma palavra de senso comum utilizada para designar pessoa qualificada a realizar algo”.

O dicionário Webster (1981) define competência como “qualidade ou estado de ser funcionalmente adequado ou ter suficiente conhecimento, julgamento, habilidades ou força para determinada atividade”.  Já na publicação brasileira aborda-se “ capacidade para resolver qualquer assunto, aptidão, idoneidade (...)capacidade legal para julgar pleito” Fleury e Fleury (2000, p. 18). De modo geral percebe-se a utilização dos termos conhecimento e tarefa.

A competência é uma resultante, neste sentido, alguns saberes são necessários para que o profissional possa se enquadrar no ambiente organizacional, “o profissionalismo e a competência resultam não somente de um saber agir, mas de um querer e de um poder agir” (LE BOTERF, 2003, p. 158).

Segundo o autor, o saber agir pode ser desenvolvido pela formação do profissional, com treinamento e com experiências do dia a dia. Já o querer agir depende da vontade de cada profissional e pode ser encorajado por desafios do cotidiano, pela maneira com que o profissional se vê e também pelo contexto de confiança e reconhecimento que atuam como facilitadores no ato de assumir riscos e o poder agir será tornado possível e pressupõe capacidade e autoridade para tal, sendo possível num contexto onde se encontram os meios necessários para as ações.

Dentro do contexto mercado de trabalho, competência vem ligado a conhecimentos, habilidades e atitudes (CHA) bem como a tarefa e aos resultados conforme McLagan (1997 apud Fleury; Fleury, 2000).

Fleury e Fleury (2000) emprestando conceitos de Parry (1996) trazem que os gestores de Recursos Humanos tem como definição  o conjunto do  CHA que afeta o trabalho e o desempenho do individuo e que é possível desenvolver e medir competências desde que haja padrões pré-estabelecidos e politicas de treinamento.

Competências Individuais

Le Boterf (1994) que enxerga as competências como um saber agir responsável e que é reconhecido pelos outros, aponta sua formação sob um tripé onde há a pessoa, sua educação e experiências profissionais.  O autor ainda complementa que competência implica em “saber como mobilizar, integrar e transferir os conhecimentos, recursos e habilidades num contexto profissional” (FLEURY e FLEURY, 2000, p. 20).

Em pesquisa com mestrandos em Administração de Minas Gerais, Sant’Anna et al (2007, p.3), compreenderam “competência como uma resultante da combinação de múltiplos saberes - saber-fazer, saber-agir, saber-ser - capazes de propiciarem respostas efetivas aos desafios advindos do atual contexto dos negócios”. Em analise, foram elencadas competências associadas ao saber-fazer e ao saber ser e agir conforme figura 1:

...

Baixar como (para membros premium)  txt (30.3 Kb)   pdf (322.5 Kb)   docx (78.3 Kb)  
Continuar por mais 16 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com