TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ESTUDO DE CASO: ESTABELECER UM PLANO DE CUIDADO PARA UM PACIENTE PORTADOR DE DIABETES MELLITUS, REALIZADO POR ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM DO 8º PERIODO EM UM AMBULATÓRIO DE SÃO LUÍS-MA

Por:   •  6/4/2015  •  Trabalho acadêmico  •  2.482 Palavras (10 Páginas)  •  375 Visualizações

Página 1 de 10

UNIVERSIDADE CEUMA

COORDENADORIA DE ENFERMAGEM

        

PEDRO RENÊ SANTIAGO COSTA

RAQUEL PEREIRA MORENO

SAMARA OLIVEIRA FARIAS

ESTUDO DE CASO: ESTABELECER UM PLANO DE CUIDADO PARA UM PACIENTE PORTADOR DE DIABETES MELLITUS, REALIZADO POR ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM DO 8º PERIODO EM UM AMBULATÓRIO DE SÃO LUÍS-MA

São Luís

2015

PEDRO RENÊ SANTIAGO COSTA

RAQUEL PEREIRA MORENO

SAMARA OLIVEIRA FARIAS

ESTUDO DE CASO: ESTABELECER UM PLANO DE CUIDADO PARA UM PACIENTE PORTADOR DE DIABETES MELLITUS, REALIZADO POR ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM DO 8º PERIODO EM UM AMBULATÓRIO DE SÃO LUÍS-MA

Estudo de caso apresentado à disciplina de estágio supervisionado II no 8º período do curso de enfermagem da Universidade CEUMA.

Profª: Mara Izabel Pimentel

São Luís

2015

RESUMO

  1. INTRODUÇÃO

Odiabetes mellitus atualmente é considerado uma das principais doenças crônicas que afetam o homem contemporâneo, acometendo populações de países em todos os estágios de desenvolvimento econômico-social. Sua importância nas últimas décadas vem crescendo em decorrência de vários fatores, tais como: maior taxa de urbanização, aumento da expectativa de vida, industrialização, maior consumo de dietas hipercalóricas e ricas em hidratos de carbono de absorção rápida, deslocamento da população para zonas urbanas, mudança de estilos de vida tradicionais para modernos, inatividade física e obesidade, sendo também necessário considerar a maior sobrevida da pessoa diabética (FRANCO, 2008).

O diabetes é um grupo de doenças metabólicas caracterizadas por hiperglicemia e associadas a complicações, disfunções e insuficiência de vários órgãos, especialmente olhos, rins, nervos, cérebro, coração e vasos sanguíneos. Pode resultar de defeitos de secreção e/ou ação da insulina envolvendo processos patogênicos específicos, por exemplo, destruição das células beta do pâncreas, resistência à ação da insulina, distúrbios da secreção da insulina, entre outros (BRASIL, 2006).

O diagnóstico do diabetes baseia-se fundamentalmente nas alterações da glicose plasmática de jejum ou após uma sobrecarga de glicose por via oral. A medida da glico-hemoglobina não apresenta acurácia diagnóstica adequada e não deve ser utilizada para o diagnóstico de diabetes (GROSS et al, 2008).

Desta forma, o presente estudo, tem como objetivos estabelecer um plano de cuidados para um paciente portador de diabetes mellitus, através do exame físico e de todo processo de enfermagem, para prevenir complicações decorrentes da patologia e estabelecer medidas de enfrentamento da doença para melhoria do padrão de vida.

  1. EPIDEMIOLOGIA

O Diabetes mellitus constitui atualmente reconhecido problema de Saúde Pública em vários países do mundo. Ele atinge 246 milhões de pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde, e tem status de epidemia agravado, devido ao crescimento e ao envelhecimento populacional, à maior urbanização, à crescente prevalência de obesidade e sedentarismo, bem como a maior sobrevida do paciente com DM. Quantificar a prevalência de DM e o número de pessoas diabéticas, no presente e no futuro, é importante para permitir uma forma racional de planejamento e alocação de recursos (PORTAL EDUCAÇÃO 2013).

Em 1985 estimava-se que existissem 30 milhões de adultos com DM no mundo. Esse número cresceu para 135 milhões em 1995, atingindo 173 milhões em 2002, com projeção de chegar a 300 milhões no ano 2030. Cerca de dois terços desses indivíduos com DM vivem nos países em desenvolvimento, onde a epidemia tem maior intensidade, com crescente proporção de pessoas afetadas em grupos etários mais jovens (Wild, 2006).

  1. FATORES DE RISCO

  • Idade, sexo e grupo étnico.

A Maior incidência de DM1, ocorre entre os 10 e 15 anos de idade, e é semelhante para ambos os sexos. A incidência e prevalência do DM2 aumentam acentuadamente com a idade, particularmente após os 40 anos, sendo mais frequente nas mulheres que nos homens. O DM1 é mais frequente na população de origem caucasoide do que nos outros grupos étnicos. Já o DM2 é mais prevalente nos demais grupos étnicos do que na população caucasoide.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (17.8 Kb)   pdf (243.5 Kb)   docx (22.8 Kb)  
Continuar por mais 9 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com