TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A Atividade CP e TGE

Por:   •  30/6/2020  •  Trabalho acadêmico  •  1.057 Palavras (5 Páginas)  •  5 Visualizações

Página 1 de 5

Após leitura do texto: INTRODUÇÃO A TEORIA MONETÁRIA , responda as seguintes questões abaixo.

1)-Dê o conceito de moeda e cite e explique suas principais funções.

R: Em termos econômicos, moeda é tudo aquilo que pode ser posto como meio de pagamento, troca ou reserva de valor, ou seja, um meio de quitação de dívidas, pagamentos por bens e serviços, concretização de trocas. Suas principais funções são: meio de troca, unidade de conta e reserva de valor. Meio de troca, pode ser entendido por ser uma forma que foi criada para facilitar as transações, como intermediário entre as mercadorias. A moeda como unidade de conta serve para comparar o valor de diversas mercadorias, por exemplo, é possível somar um trator com uma galinha, tendo a moeda como denominador. Moeda como reserva de valor é o poder de compra que se mantém no tempo, ou seja, uma forma de se medir a riqueza.

2)-Quais são os estágios da evolução da moeda ?Explique cada um. E como são classificados os agregados monetários no Brasil ?

R: A evolução da moeda pode ser dividida em 5 estágios, sendo eles: pré-economia monetária ou escambo; moeda mercadoria; moeda simbólica; moeda escritural; e moeda sofisticada. O primeiro estágio é a do escambo e corresponde a poucas trocas esparsas é esporádicas, em que as trocas são diretas e feitas em feiras com cada indivíduo oferecendo seu produto em troca de outro. Já no segundo estágio, é o da moeda mercadoria, onde as trocas são indiretas, que primeiro existe uma venda e depois uma compra. O produtor troca seu produto pela moeda mercadoria, ou seja, vende, e depois troca a moeda mercadoria pelo que deseja, portando, compra. No terceiro estágio é o da moeda simbólica que foi a fase de moedas cunhadas, onde o soberano garante o valor do metal, Devido a dificuldade em pesar e avaliar o metal. E foi nesse estágio que tudo ficou mais fácil e os soberanos impõe o uso dessas moedas e as mesmas passam a ser de uso legal. Após isso, desenvolveu-se a tendência de depositar a moeda em instituições especializadas, os bancos. E com isso o quarto estágio que é o da moeda escritural onde tudo podia ser feito através de instituições. As instituições recebiam os depósitos e forneciam um recibo que foi padronizado ao passar dos anos, e com isso surgiram as notas bancárias, as transferências, os cheques e etc. Todos os pagamentos e recebimentos eram feitos por débitos e créditos contábeis. No quinto estágio é a famosa moeda sofisticada que veio com a tecnologia, que é um conjunto de registros eletrônicos que representam uma diversidade de ativos. Para medir a quantidade de moeda de um país, usa-se o conceito de agregados monetários, e os ativos são qualificados e quantificados pela sua liquidez. O agregado mais líquido de todas é o papel moeda que está em circulação na economia. Os agregados monetários do Brasil são classificados em 5. São eles: M0; M1; M2; M3 e M4.

M0: Moeda em poder do público (papel-moeda e moedas metalicas).

M1= M0 + depósitos à vista nos bancos comerciais.

M2= M1 + depósitos especiais remunerados + depósitos de poupança + títulos emitidos por instituições depositárias.

M3: M2 + quotas de fundos de renda fixa + operações compromissadas registradas no Selic.

M4: M3 + títulos públicos de alta liquidez.

3)-O que vem a ser criação ou destruição de moeda ?

 

R: A criação ou destruição de moeda pode ser definido por ser o aumento ou a diminuição dos meios de pagamento de um indivíduo ou empresa. Se o resultado for um aumento dos meios de pagamentos, tem-se ai criação de moeda, e se for no caso de redução de meios de pagamentos, classifica-se como destruição de moeda.

4)-Explique o mecanismo de multiplicação monetário (efeito multiplicador da moeda).

R:  Usando como exemplo um banco qualquer, imagine que esse banco receba um depósito em dinheiro, e o invés de deixar esse dinheiro parado, o banco utiliza desse dinheiro pra emprestar a outro indivíduo para gerar lucros. Quando o banco pega o dinheiro que está depositado e investe, por exemplo, cedendo um empréstimo para um cliente,  ocorre uma multiplicação do dinheiro e, assim, amplia-se a oferta de moeda na economia. Mas existe uma taxa de 20% do total do depósito que não pode ser utilizado, taxa que foi imposta pelo banco central. O banco pega os R$1000 de José e separa 20% de taxa de reserva. Isso significa que R$200 precisam ficar depositados, obrigatoriamente. Porém, os outros R$800, o banco cede em empréstimo a Antônio. Assim, onde antes havia R$1000, agora existem R$1800: R$1000 que José pode sacar no banco a qualquer momento e R$800 que estão na mão de Antonio. É claro que existe um limite para o quanto o banco consegue fazer essa multiplicação. Quem determina tal limite é o multiplicador monetário.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (6.6 Kb)   pdf (49.1 Kb)   docx (9.3 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com