TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ATIVIDADE DE TGE – REFERENTE AULA DE 25-03 (QUARTA-FEIRA)

Por:   •  21/5/2020  •  Pesquisas Acadêmicas  •  522 Palavras (3 Páginas)  •  12 Visualizações

Página 1 de 3

ALUNO:  André Luiz Alves Pinto / Turma 902

ATIVIDADE DE TGE – REFERENTE AULA DE 25-03 (QUARTA-FEIRA)

Turmas: 901 e 902

Matéria: Procedimento do Tribunal do Júri (continuação)

LINK DA VIDEO AULA  - https://www.youtube.com/watch?v=Ilw1uSA1gZ0

Atividade:

1 – Tendo em vista a discussão sobre a natureza moral do Julgamento perante o Tribunal do Júri, discorra sobre como eventuais intercorrências na percepção dos jurados podem afetar o seu julgamento do caso concreto. Minimo 10 linhas. Valor 1 ponto.

Como vcs tem meu contato de WhatsApp, vamos proceder como em sala,  ou seja, me enviem as dúvidas e os próprios textos para irmos corrigindo juntos.

Intercoerência dos Jurados

O júri não é apenas uma exibição do trabalho, mas também fez um julgamento satisfatório ou absolvido pelos esforços de ambas as partes. Não apenas que, em grande medida, a defesa da defesa, a turbulência dos jurados, a atitude e a humanidade de Deus são as formas comuns e inerentes de provocação para todos. No outro extremo da plataforma, a sociedade representada pelo Estado é uma pessoa indiferente, determinada e incansável, buscando o direito de punir os erros que foram cometidos. Ambos os lados estão em um estado mais alto convincente e mantêm um forte impulso no conflito. Vamos dar uma olhada na opinião do jurista: Heleno Claudio Fragoso apontou: “A condenação de obter uma maioria de votos de 4 a 3 votos é inaceitável, porque isso seria duvidos estender ". Mas, o que mais pesa é a crítica de Edmundo de Oliveira em relação a capacidade dos jurados. Este enfatiza “que o Tribunal do Júri chega a ser a negação da justiça por se entregar aos leigos a difícil e complexa arte de julgar, em conformidade com a ciência da lei e com a técnica de sua ajustada aplicação aos fatos concretos”. Por sua vez, Rui Barbosa afirmava que os jurados “vindos diretamente do povo, a ele voltariam humilhados e diminuídos, se não honrassem a representação do núcleo em que se concentram seus interesses e seus sentimentos. E quanto menor o meio, maior o campo negativo ou positivo da evidência direta”. Deste modo, estes juízes leigos tentarão honrar ao máximo a nobre função que foram chamados a exercer, pois prestarão contas a sociedade que representam. Lembra ainda Nucci que, o fato do jurado não possuir conhecimento jurídico, este não é óbice para o exercício da função de jurado, pois “se para construir leis justas basta o bom senso, também para julgar o bom senso é suficiente”. Hélio Tornaghi já afirmava que “muitos dos defeitos imputados ao júri poderiam igualmente ser atribuídos ao juiz togado: a possibilidade de corrupção, de se deixar influenciar pelos poderosos ou por sentimentos pessoais. Mas aí o júri leva a melhor: porque é mais difícil corromper sete do que corromper um”. De qualquer forma, existem inúmeros juristas e idéias apoiadas e opostas. Eu sei que a participação das pessoas é democrática, mas em um julgamento como um júri, é melhor que seja feito por um juiz, porque as pessoas não conhecem alguns detalhes da própria lei criminal. Lá, temos garantias e princípios processuais, ou seja, todas as proteções constitucionais para garantir procedimentos adequados no âmbito da lei.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (3.3 Kb)   pdf (93.8 Kb)   docx (313 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com