TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

1º ONDA DE INDUSTRIALIZAÇÃO DA ALEMANHA

Por:   •  3/5/2018  •  Trabalho acadêmico  •  1.148 Palavras (5 Páginas)  •  360 Visualizações

Página 1 de 5

[pic 1]

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO

Organizado por:

Felipe Paiva Ferreira Riquelme

Marcos Vinicius Da Mota Marques

Silas Dos Santos Russani

HISTÓRIA ECONÔMICA GERAL:

1º ONDA DE INDUSTRIALIZAÇÃO DA ALEMANHA

CUIABÁ – MT

2017


1.INTRODUÇÃO

A industrialização na Alemanha começou quando ela ainda fazia parte da Prússia e foi este reino que liderou o movimento de unificação e modernização da indústria alemã do século XIX, este teve, por meio de interesses, suprir necessidades do exército e diminuir a dependência de produtos estrangeiros principalmente ingleses e franceses. Um outro fator que influenciou sua industrialização foi a de que outros países estavam se industrializando e a Alemanha se sentiu pressionada a se industrializar também. Porém nesta época o país já tinha uma forte economia devido à sua contribuição na Europa por meios de portos, cidades comerciais e bancos. Isso fez com que a Alemanha se tornasse influente no continente europeu. A partir disso, o estado começou a criar medidas que dependessem menos do setor privado. Um fator que ajudou bastante foi o investimento na educação, que teve uma rentabilidade maior. Os bancos e as indústrias estavam interligadas, isso foi uma grande estratégia, pois os capitais dos bancos estavam relacionados às industrias, fazendo com que o investimento nelas acontecessem, assim diminuíam, também os riscos de investimento. A Alemanha tinha uma maior preocupação com a moral e ética do seu povo. Além disso o país teve contribuições fora do ramo econômico e militar, como por exemplo, formular a exigências da reforma protestante isso a ajudou muito durante o processo. Em contrapartida, ela teve um dificultador da industrialização, que foi o sistema feudal e sua classe dominadora, que apoiava o trabalho manual, voltado para a parte rural, ou seja, em feudos, mas o País conseguiu se articular bem frente à resistência, pois usou de estratégias políticas e sociais, aumentando não só a tecnologia de produção como também o bem estar social. A primeiro momento não foi possível exercer influência sobre outros estados, contudo, após a vitória na guerra Austro-Prussiana, a Prússia consegue total apoio dos estados do sul alemão.

  1. A ALEMANHA PRÉ-INDUSTRIAL

O processo industrial alemão ocorreu de forma tardia, porém, a Alemanha pré-industrial não se caracterizava pelo subdesenvolvimento. Houve uma grande contribuição alemã para as ciências, para a literatura e para a música. A incapacidade de maiores avanços industriais era por conta da classe dominante, dos senhores de terra, que tinham seus interesses principalmente voltados para a manutenção das relações vigentes de trabalho e excedente. A centralização é fundamental para o entendimento das razões pelo qual o desenvolvimento industrial alemão se deu, sendo basicamente através de:

  • Conglomerados
  • Monopólios  
  • Oligopólios

Essas ações eram burocraticamente controladas e dependiam em larga escala da eficiência administrativa dos oficiais do Estado.

Para o desenvolvimento industrial são lançadas as tarifas unificadas com objetivo de impulsionar o comércio e indústria nacional, aos poucos vai se concretizando. Foram os elementos responsáveis para a revolução industrial que se sucedeu à unificação alemã em 1871:

  • A criação do Banco da Prússia em 1846,
  • A expansão ferroviária vertiginosa
  • Transformações na política como a Confederação da Germânia do Norte
  • O processo substitutivo de importações
  • Altas taxas protecionistas

A partir deste momento, já existem razões que levaram à Primeira Grande Guerra, sendo a Alemanha experimentando seu grande poderio em seu período de revolução industrial, que se estende até 1914.


 

  1. O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL ALEMÃO, 1870-1914

Com um rápido crescimento industrial se tem como um dos aspectos mais importantes da história econômica da Alemanha, sendo o papel desempenhado pelo protecionismo. É conveniente avaliar uma situação geral em que se encontrava a economia alemã, no início da década de 1870, para fins de uma análise mais completa dessa questão, e determinar de que forma aquela conjuntura especial favoreceu uma virada em direção ao protecionismo na política econômica adotada ao governo. 

É importante citar, que quando foram propostas essas novas medidas de cunho protecionista, a Alemanha já possuía um sistema tarifário em vigor. A elevação de determinadas alíquotas e a introdução de novas taxas, para produtos até então desprotegidos foi o que ocorreu de fato, em 1879. Quando o livre-comércio e o liberalismo econômico foram definitivamente postos de lado é necessário destacar que a crise econômica de 1873-1896 e seus desdobramentos tiveram uma influência significativa nos rumos tomados pela política econômica alemã.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (8 Kb)   pdf (120.1 Kb)   docx (23 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com