TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Nova Política Econômica - FMI e BM na Bolivia

Por:   •  9/10/2018  •  Trabalho acadêmico  •  480 Palavras (2 Páginas)  •  189 Visualizações

Página 1 de 2

Em 1985, o governo boliviano começou a implementar, com a assistência do Banco Mundial e FMI, um programa de ajuste estrutural, que chamou de "Nova Política Econômica" (NEP). O NEP foi desenvolvido para tentar resolver a situação econômica catastrófica no país à época, que incluía um recorde mundial de taxa de inflação anual de 24.000% além de uma queda de 24% no PIB per capita entre 1980 e 1985. Embora o NEP tenha refreado a inflação, tem sido absolutamente devastador para os pobres, especialmente pequenos camponeses.

Após o início do empréstimo de ajuste, A Bolívia tinha uma hiperinflação e taxas de juros reais negativas. O NEP ajudou a Bolívia a ter sua inflação estabilizada em 1987, mas o crescimento foi muito baixo, e as taxas de juros reais que eram baixas passaram tiveram um grande aumento.

Embora a ajuda monetária do FMI e a ajuda ocidental tenham ajudado a Bolívia a minimizar a inflação, ela não erradicou a pobreza na Bolívia. O programa de ajuste do país enfatizou apenas a produção de exportação através do redirecionamento crédito aos grandes produtores. A maioria dos agricultores do país não tinha o capital necessário para se envolver nesse tipo de produção e também seus riscos de crédito eram avaliados como ruins. O único banco que tradicionalmente deu empréstimos aos pequenos agricultores, o Banco Agrícola Boliviano, foi fechado. Portanto, a maioria dos empréstimos no setor agrícola destinou-se a médios e grandes produtores. Os camponeses bolivianos hoje recebiam em 2005 apenas quatro por cento do crédito disponível no país, o fato de que eles produzem 70 por cento da produção agrícola do país. Sob o NEP, a taxa de juros teve uma média de mais de 20% ao ano, então mesmo nas poucas vezes que os pequenos agricultores eram elegidos para receber crédito, eles sofriam para quitar o empréstimo.

Além disso, os subsídios aos combustíveis foram reduzidos, levando a aumentos significativos no custo do transporte de produtos agrícolas. Entre 1987 e 1989, o custo do combustível aumentou 33%, o que resultou em um aumento paralelo no preço das culturas de alimentos cultivados na Bolívia. Enquanto isso, o trigo cultivado no exterior tem sido capaz de entrar nos mercados locais com mais facilidade, devido à criação, pela NEP, de uma única tarifa baixa e plana nos produtos importados, que está entre as mais baixas da América Latina.

Easterly, William (2005) “What did structural adjustment adjust? The association of policies and growth with repeated IMF and World Bank adjustment loans”. Journal of Development Economics.

Landell-Mills, Pierre(1981) "Empréstimo para ajustamento estrutural: os primeiros frutos”. Finanças & Desenvolvimento, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 17-21, dez. 1981. ISSN 0255-7622.

Parsons, Laura &

...

Baixar como (para membros premium)  txt (3.1 Kb)   pdf (47.1 Kb)   docx (11.5 Kb)  
Continuar por mais 1 página »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com