TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Alavancagem Operacional E Financeira

Exames: Alavancagem Operacional E Financeira. Pesquise 784.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  25/1/2013  •  2.742 Palavras (11 Páginas)  •  1.850 Visualizações

Página 1 de 11

1 – ALAVANCAGEM OPERACIONAL

1.1 – Introdução

Alavancagem Operacional significa a possibilidade de acréscimo do lucro total pelo incremento da quantidade produzida e vendida, buscando a maximização do uso dos custos e despesas fixas. É dependente da Margem de Contribuição, ou seja, do impacto dos custos e despesas variáveis sobre o preço de venda unitário e dos valores dos custos e despesas fixas. Alguns produtos têm Alavancagem maior que outros, em virtude dessas variáveis.

A Alavancagem Operacional é a medida da extensão de quantos custos fixos estão sendo usados dentro da organização. O termo alavancagem vem da possibilidade de levantar lucros líquidos em proporções maiores do que o normalmente esperado, através da alteração correta da proporção dos custos fixos na estrutura de custos da empresa.

1.2 – Margem de Contribuição

Margem de Contribuição é a margem bruta obtida pela venda de um produto que excede seus custos variáveis unitários. Em outras palavras, a margem de contribuição é o mesmo que o lucro variável unitário, ou seja, o preço de venda unitário do produto deduzido dos custos e despesas variáveis necessários para produzir e vender o produto (contribuição unitária para cobrir os custos e despesas fixas e possibilitar valores de lucro).

Margem de Contribuição = Vendas Totais – Custos e Despesas Variáveis

O estudo da Margem de Contribuição é elemento fundamental para decisões de curto prazo. Além disso, seu estudo rotineiramente possibilita inúmeras análises objetivando a redução dos custos, bem como políticas de incremento de quantidade de vendas e redução dos preços unitários de venda dos produtos.

Perceba que uma variação de 50% nas receitas (no volume das atividades de vendas) implica em 100% de variação no resultado operacional. Isto em ambos os sentidos. Ou seja, um aumento de 50% no volume de atividade faz com que o resultado operacional cresça mais que proporcionalmente, entretanto, uma redução em igual proporção na receita operacional faz com o resultado operacional decresça, mais que proporcionalmente. Isto ocorre em função dos custos fixos.

Uma vez que, no exemplo dado, os custos permanecem fixos em $250,00, qualquer alteração no volume de atividade faz com que o resultado operacional se altere mais que proporcionalmente àquela alteração na receita. Este é o princípio básico da alavancagem operacional.

Diante do que acabamos de ver, é correto afirmar que uma empresa mais alavancada tem uma carga de custos fixos maiores e, por isso, ela leva vantagem econômica em relação a uma empresa menos alavancada?

A primeira parte da reflexão proposta está correta, ou seja, uma empresa mais alavancada é uma empresa com uma carga de custos fixos maior. Entretanto, a segunda parte está correta em parte. Pois, se as vendas aumentarem, os efeitos no resultado líquido serão aumentos mais que proporcionais. Mas, caso as vendas sofram uma queda, os efeitos no

resultado líquido também serão mais que proporcionais, porém, implicarão em uma redução no resultado líquido.

Dessa forma, uma empresa mais alavancada só leva vantagem econômica em relação a uma empresa com uma carga de custos fixos menor quando as vendas oscilarem positivamente, ou seja, quando as vendas estão em ascensão. Caso contrário, quando as vendas decrescem, uma empresa mais alavancada sofrerá impactos maiores (redução do resultado operacional) do que os impactos sofridos por uma empresa menos alavancada.

É correto afirmar que uma empresa mais alavancada também apresenta maior risco operacional. Por sua vez, uma empresa com uma representatividade menor dos custos fixos na sua estrutura de custos apresenta menor risco operacional, entretanto, tem menos possibilidade de ampliar seu resultado operacional em função do aumento nas suas receitas operacionais.

Exemplo: Fabricação de 1.000 unidades de um determinado produto.

Empresa A % Empresa B %

Vendas Totais 1.700.000 100 1.700.000 100

Custos Variáveis 900.000 53 500.000 29

Margem de Contribuição 800.000 47 1.200.000 71

Custos e Despesas Fixas 560.000 33 960.000 56

Lucro Líquido Total 240.000 14 240.000 14

1.3 – Grau de Alavancagem Operacional

O Grau de Alavancagem Operacional é uma medida que diz como, a um dado nível de vendas, uma mudança percentual no volume de vendas afetará os lucros. O Grau de Alavancagem Operacional existente numa empresa a um dado nível de vendas pode ser medido pela seguinte fórmula:

GAO = Margem de Contribuição

Lucro Líquido

Tomando-se por base os valores referentes às empresas A e B, teríamos:

Empresa A: GAO = 800.000 / 240.000 => 3,33

Empresa B: GAO = 1.200.000 / 240.000 => 5,00

Assim, na hipótese em que tivermos um aumento de 10% nas vendas das duas companhias, seria a seguinte a aplicação da fórmula:

Percentual de Aumento das Vendas

(A) GAO

(B) Percentual de Aumento do Lucro Líquido

(A x B)

Empresa A 10% 3,33 33,3

Empresa B 10% 5,00 50,0

1.4 – Utilização da Margem de Contribuição e da Alavancagem Operacional para a Maximização dos Lucros

Todos os componentes das fórmulas poderão ser trabalhados de forma a alavancar o resultado líquido da empresa. Cada um deles permite ao administrador financeiro um estudo aprofundado e políticas estruturadas ou aplicações momentâneas, possibilitando alterações de forma a aumentar o lucro da companhia.

Alterações em quaisquer desses fatores (preço dos produtos,

...

Baixar como (para membros premium)  txt (17.5 Kb)  
Continuar por mais 10 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com