TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Sociologia Cientifica e a sociologia de Durkheim. Sociologia de Max, Weber. Sociologia de Karl Marx

Por:   •  27/10/2015  •  Trabalho acadêmico  •  1.565 Palavras (7 Páginas)  •  833 Visualizações

Página 1 de 7

CENTRO UNIVERSITARIO DE CAMPO GRANDE MS - ANHANGUERA UNAES I

JAIME GONZALEZ GOUVEIA                            RA: 1323422594

ARIANE SOARES PEREIRA                            RA: 1584975178

BRUNO LEONARDO FRANCISCONE               RA:  

EDILAINE DE MELO REZENDE                         RA: 4255797881

ATPS – I

SOCIOLOGIA

CAMPO GRANDE 2015

 Sociologia Cientifica e a sociologia de Durkheim. Sociologia de Max, Weber. Sociologia de Karl Marx.

  1. Qual o conceito de sociologia para Durkheim? E para Weber? E para Marx?

Émile Durkheim (1858-1917)

Para Durkheim a sociologia “deveria ser tratado como fato social, é a maneira de fazer uma ação fixada ou não. Suscetível de exercer sobre um indivíduo uma coerção exterior” Cristina Costa, introdução à ciência da sociologia – editora moderna, exemplo: para ele a ação individual pode sofrer uma coerção perante o outro individuo ou uma coletividade, se ação for entendido como fora do padrão individual ou coletivo.                                   O fato social tem três características fundamentais, primeiro, poder coercitivo, segundo, ele é superior ao nível individual existindo para além das consciências individuais, terceiro, a generalidade, é social todo fato que é geral, Durkheim aconselhava o cientista a estudar os fatos sociais como coisas, fenômenos que lhe são exteriores e podem ser observados e medidos de forma objetiva.

Para ele, quanto os positivistas em geral a explicação cientifica exigia que os pesquisadores manteiam certa distância e neutralidade em relação aos fatos, resguardando a objetividade de sua analise. Esses pesquisadores deveriam manter suas prenoções, seus sentimentos e valores, pois nada tem cientifico e pode distorcer a realidade dos fatos. Durkheim queria ser rigoroso com método que garantia o sucesso das ciências exatas, definindo assim a sociologia como ciência, rompendo as ideias e o senso comum, “achismo”, que interpretavam de maneira vulgar a realidade social.

Max Weber (1864-1920)

Para Weber  a sociologia deveria ser tratado com ação social, segundo weber, cada individuo age levado por motivos que resultam da influencia da tradição, dos interesses racionais e da emotividade. A tarefa do cientista, para Weber, era descobrir os possíveis sentidos da ação humana, ele acreditava que todos indivíduos por meios de valores sociais e de sua motivação, produz o sentido a ação social. Isso significa que cada indivíduo possa prever com certeza todas as consequências de determinada ação.

 Weber não aceita o fato que os positivistas e Durkheim deixassem de lado as pré-noções, pois para ele todo cientista tem sua cultura, tradição, sentimento, e seria impossível descartar totalmente em qualquer analise de estudo cientifico, qualquer que seja a perspectiva adotada por um cientista, ela será sempre parcial. Para atingir a explicação dos fatos sociais Weber propôs um instrumento de trabalho que chamou de tipo ideal. Esse modelo não é perfeito a ser buscado por informações históricas, é um instrumento de analise científica, numa construção de pensamento que permite conceituar fenômenos e formações sociais e identificar na realidade observada sua manifestações, e permite tais comparações das manifestações.

A ação social, para Max Weber, pode ser dividida em quatro ações fundamentais: ação social racional com relação a fins, ação social racional com relação a valores, ação social afetiva e ação social tradicional. Weber descobre também os valores do protestantismo, como disciplina ascética, a poupança, a austeridade, a vocação, o dever e a propensão ao trabalho, atuavam de maneira decisiva sobre os indivíduos.

Weber teve um momento importante em seu sentido teórico expondo a as relações entre religião e sociedade e no desvendamento do capitalismo.

Karl Marx (1818-1883)

Marx foi revolucionário em pensamento social, ele teve um objetivo de entender o capitalismo, foi importante não apenas em contribuir no desenvolvimento da ciência social, mas nas mudanças politicas, econômica e social. Marx foi um crítico importante da época, queria impor de uma só vez uma transformação social total, pois ele reprovava o “utopismo” dos críticos da sociedade burguesa. Essa trajetória foi marcada pelo desenvolvimento de conceitos importantes como alienação, classes sociais, valor, mercadoria, trabalho, mais valia, modo de produção.

Marx observou que o capitalismo tinha a classe dominante onde só agia conforme o interesse da mesma, assim ele mostrou que o homem era alienado por seu trabalho, junto com as maquinas industriais e matérias-primas das mesmas, onde o trabalhador era propriedade do seu capitalista.

 Marx então teve uma ideia liberal, considerou os homens, por natureza, iguais politica e juridicamente. Liberdade e justiça eram direitos inalienáveis de todo cidadão. Depois disso ele observou a desigualdade social, onde havia os proprietários e não proprietários, ele identificou relações de explorações das classes dos proprietários, a burguesia, explorando a os trabalhadores e proletariados, que vendiam seu trabalho ao empresário capitalista, surgiu os operários assalariados, onde com a venda de sua mão-de-obra garantia sua sobrevivência e de suas famílias.

Com passar do tempo o capitalismo viu a força de trabalho como mercadoria, mais não uma mercadoria qualquer, observando que as mercadorias desgastam e se acabam ao contrario a força de trabalho, começa ai ganhar valor. Economistas ingleses já observando isso reconheceram o trabalho como a verdadeira fonte de riqueza das sociedades. Na compra e vendas de mercadorias foi surgindo bases estáveis, onde a valorização da mercadoria se dá ao âmbito de sua produção.

Depois de um trabalho detalhado do capitalismo, Marx passa seu estudo de forma política de seu interior, ele observou que a classe dominante os capitalistas, desenvolveram também formas de dominar e a apropriar-se do poder de estado, assim legitimar seus interesses sob as formas das leis, planos econômicos e políticos. Com isso Marx organiza uma ação para promover a consciência pra que haja interesses comuns para o conjunto da classe trabalhadora operarias que sofriam com as explorações de seus trabalhos.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (9.8 Kb)   pdf (139.6 Kb)   docx (15 Kb)  
Continuar por mais 6 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com