TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resenha Livro Crer é Também Pensar

Por:   •  8/11/2013  •  876 Palavras (4 Páginas)  •  2.012 Visualizações

Página 1 de 4

RESENHA

O livro em questão tem a mensagem central de devolver a importância do intelectualismo. O conhecimento parte da experiência, contudo de sua interpretação dada pelo pensamento. Sendo o conhecimento vindo da palavra de Deus através da bíblia sagrada, sendo colocada em pratica nas doutrinas básicas da fé cristã (doutrina da criação, revelação, redenção e juízo), argumentada sempre utilizando o pensamento.

John Stott apresenta no começo de seu livro as conseqüências negativas do abandono da doutrina em lugar da pratica. O ativismo entre os jovens que já é natural, mas agora sem nenhum conhecimento na causa, ou só a importância do ritual nas igrejas católicas, também os radicais que fazem ação social e alguns pentecostais que buscam sempre a experiência como a principal forma da busca da verdade. John Stott depois pergunta por que os cristãos devem usar a mente? Resposta que pode ser resumida em um versículo de 1ª Pedro 3:15 “Antes, santificai ao Senhor Deus em vossos corações; estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós,”.

Com isso, ele começa a trabalhar o enredo principal do livro que é a importância do pensamento no entendimento das doutrinas básicas. E com isso ele explora seis esferas que estão no cotidiano de um cristão que sem o uso da mente seria totalmente inadequado: o culto, a fé cristã, a santidade cristã, a direção cristã, a evangelização cristã e o ministério cristão.

O culto deve ser a resposta do conhecimento adquirido pela auto-revelação do Deus através da suas palavras e seu agir. A fé sendo racional confia profunda que Deus é digno de todo o credito. A Santidade busca no conhecimento sua realização se plantamos nossa mente com coisas espirituais será gerada paz e vida Rm 8:5 e 6. É obvio que Deus quer dar o direcionamento como fez com o seu povo no Egito. Apresentou na Bíblia sua vontade geral a todas as pessoas, porém sua vontade particular é entendida através do raciocínio. Evangelização deve se tornar algo racional, pois a conversão de um homem deve ser total na área da mente, coração e vontade. Ministério, o exemplo de um pastor deve ser ensinar a ovelha a caminhar e crescer para gerar ovelhas.

Por ultimo, ele realça que o que ele pede é o equilíbrio. Não ser Antiintelectualista ou Hiper-intelectualista. Ele fala que o conhecimento deve gerar adoração, conduzir a fé, ser o inicio da santidade e pra contemplação do amor e compartilhar.

CRÍTICA

Mesmo sendo um livro de poucas paginas é um livro que tem seu conteúdo muito bem definido e bem explicativo. John Stott dá um breve resumo do que acha necessário na avaliação de cada cristão. Usando palavras simples dando exemplos bem dinâmicos, ele explora uma idéia que tem uma complexidade fenomenal, afinal ele mostra o caminho que devemos fazer para utilizar o raciocínio através das doutrinas bíblicas.

Ele trabalha no livro diretamente a teologia sistemática na forma em que cremos acerca da bíblia, trabalhando a parte da doutrina cristã e dando sua devida importância. Busca sempre um equilíbrio no momento em que fala sobre intelectualismo.

Foi objetivo e todas as perguntas levantadas durante o livro foi respondida. Sempre claro, tratou

...

Baixar como (para membros premium)  txt (5.3 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com