TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

CONSTRUINDO UMA ESCALA DE pH E TESTANDO EM DIFERENTES SOLUÇÕES

Por:   •  28/12/2020  •  Abstract  •  1.525 Palavras (7 Páginas)  •  7 Visualizações

Página 1 de 7

[pic 1]

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DE PERNAMBUCO

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL – EDSON MORORÓ MOURA

COORDENAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM QUÍMICA

CONSTRUINDO UMA ESCALA DE pH E TESTANDO EM DIFERENTES SOLUÇÕES

 

DENISE FRANCISCA DA SILVA TORRES

MARIA ERICA DOS SANTOS SILVA

ALINE CAROLINE DE ANDRADE SOUZA

LUCAS AIRTON DA SILVA

BELO JARDIM

2020


DENISE FRANCISCA DA SILVA TORRES[pic 2]

MARIA ERICA DOS SANTOS SILVA

ALINE CAROLINE DE ANDRADE SOUZA

LUCAS AIRTON DA SILVA

CONSTRUINDO UMA ESCALA DE pH E TESTANDO EM DIFERENTES SOLUÇÕES

Trabalho elaborado e apresentado como requisito parcial para fins de aprovação na disciplina de Análise Quantitativa do Curso Técnico em Química da Escola Técnica Estadual – Edson Mororó Moura de Belo jardim Pernambuco.

                                                     

                                                      BELO JARDIM

                                                              2020

INTRODUÇÃO

O termo pH é utilizado para definir a acidez ou basicidade de uma solução, as soluções que apresentam pH 7,0 são consideradas neutras, já soluções com pH inferior a 7,0 são consideradas ácidas e soluções com pH entre 7,0 e 14,0 são tidas como básicas. Formando uma escala que pode variar de 0 até 14,0.

Para conseguir classificar de maneira visível se um composto é ácido ou básico, podemos utilizar indicadores.  “Indicadores visuais são substâncias capazes de mudar de cor dependendo das características físico-químicas da solução na qual estão contidos, em função de diversos fatores, tais como: pH, potencial elétrico, complexação com íons metálicos e adsorção em sólidos” (TERCI & ROSSI, 2002); Sendo assim, os indicadores são sustâncias fracamente acidas ou básicas.

O uso de indicadores de pH é uma prática bem antiga que foi introduzida no século XVII por Robert Boyle, mas apenas no início do século XX, Willstatter e Robinson relacionaram as antocianinas como sendo os pigmentos responsáveis pela coloração de diversas flores, e que seus extratos apresentavam cores que variavam em função da acidez ou alcalinidade do meio. Foi notado que as antocianinas possuem coloração avermelhada em meio ácido, violeta em meio neutro e azul em condições alcalinas. (TERCI & ROSSI, 2002);

Uma maneira rápida e relativamente barata pode ser feita usando extrato de vegetais para posterior aplicação em amostras e classificar em ácidos e base. O repolho roxo contém substâncias em seu extrato que são capazes de alterar sua coloração de acordo acidez em que se encontram. Por isso, o extrato do repolho roxo é amplamente utilizado como indicador de potencial hidrogeniônico (pH) natural, pois varia sua coloração de acordo com pH da solução.  

As cores observadas do extrato do repolho roxo em pH 2 ao 13. Na faixa de pH 2-3 a cor observada é o vermelho, na faixa em pH 4-7 é observado algumas tonalidades de violeta, entre o pH 8 e 10 pode ser observado algumas tonalidades de azul, no pH 11-12 inicialmente pode ser observado a coloração verde que com o passar do tempo vai tornando-se amarela e no pH 13,logo após ao ajuste do pH, a solução torna-se amarela.

OBJETIVO

Produzir indicador utilizando o extrato de repolho roxo, criando uma escala de cores (pH) das soluções testadas.

MATERIAS

PARTE I

  • Repolho roxo
  • 1 liquidificador
  • 1 Peneira fina.
  • 1 Proveta de 5 mL,
  • 2 béqueres de 250 mL,
  • 1 béquer de 1 L

PARTE II

  • vinagre branco
  • álcool etílico comercial
  • água destilada
  • detergente à base de amoníaco
  • extrato de repolho roxo (preparado na etapa 1)
  • solução de ácido muriático, solução 0,1 mol/L de hidróxido de sódio (NaOH)
  • 6 tubos de ensaio,
  • 1 suporte para tubos de ensaio,
  • 1
  • 1 conta-gotas

PARTE III

  • 1 conta-gotas
  • 6 tubos de ensaio
  • Xampu
  • Leite
  • suco de limão
  • suco de laranja
  • água da torneira
  • detergente líquido
  • extrato de repolho roxo (preparado na etapa 1)
  • água destilada

PROCEDIMENTOS EXPERIMENTAIS

Parte I

Inicialmente foram preparadas, uma solução de repolho roxo e hidróxido de sódio (NaOH). Em seguida foi preparado um extrato de repolho roxo cortando um pedaço pequeno de repolho e batendo em num liquidificador com 1L de água, a seguir coem a mistura numa peneira fina o extrato foi usado posteriormente pois se decompõem com facilidade.

Parte II – Preparando a escala-padrão de pH.

Após o preparo do extrato de repolho roxo foram utilizados vinagre branco, álcool etílico comercial, água destilada, detergente à base de amoníaco, extrato de repolho roxo (preparado na etapa 1), solução de ácido muriático, solução 0,1 mol/L de hidróxido de sódio (NaOH), seis tubos de ensaio para cada sustância, foram colocadas 5mL de cada amostra e em seguida houve a adição de 5mL de repolho roxo em alguns casos houve a adição de outro reagente, como mostra a tabela abaixo.

Tabela 1 – soluções e valor do pH das soluções.

[pic 3]

Autor: Elias Januário

Parte III

Nesta parte do experimento foram e um tubo de ensaio para cada substância testada: xampu, leite, suco de limão, suco de laranja, água da torneira, detergente líquido, extrato de repolho roxo (preparado na etapa 1) e água destilada

Para testar cada material, foi colocado, em um tubo de ensaio, 5 mL de água destilada, 5 mL de extrato de repolho roxo e 5 gotas do material testado. Em seguida foi comparado a cor obtida com a escala-padrão, preparada na etapa 2.  

...

Baixar como (para membros premium)  txt (8.4 Kb)   pdf (481.7 Kb)   docx (2 Mb)  
Continuar por mais 6 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com