TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resumo Sobre Camões

Por:   •  23/5/2013  •  1.176 Palavras (5 Páginas)  •  741 Visualizações

Página 1 de 5

SOBRE CAMÕES

Considerado o maior poeta lírico português de todos os tempos

Sua poesia lírica é marcada por uma dualidade:

• Ora revela textos de nítida herança tradicional portuguesa,

• Ora sua poesia se enquadra na medida nova renascentista.

• Podemos notar, ainda, a fusão dessas características em outros textos.

Seus sonetos foram produzidos em medida nova.

Suas poesias escritas em medida velha compreendiam redondilhas tanto maiores como menores, a maior parte delas estruturadas a partir de um mote, isto é, uma sugestão inicial, que era desenvolvida pelo poema nas estrofes seguintes, sob o título de volta.

Em Camões, a herança das cantigas trovadorescas aparece principalmente nas redondilhas. O mar, as fontes e a natureza surgem em diálogos, lembrando as cantigas de amigo, apenas não se colocando no lugar da mulher e, sim, falando sobre ela.

Percebe-se, em alguns textos da lírica camoniana, a influência da filosofia platônica, sobre o mundo sensível e o mundo inteligível, principalmente em alguns sonetos como nas redondilhas de Babel e Sião.

• Um dos temas mais ricos da lírica de Camões é o Amor, ora visto como idéia (neoplatonismo), ora como manifestação de carnalidade.

 Nesse Amor como idéia ou essência, nota-se uma nítida influência da poesia de Petrarca e Dante, sendo a mulher amada retratada de forma ideal, como um ser superior e perfeito.

 Em outros momentos, talvez em função de sua vida atribulada, Camões não canta mais o amor espiritualizado, mas um amor terreno, carnal, erótico. Pela impossibilidade de obter uma síntese desses dois amores, nota-se, às vezes, o uso abusivo de antíteses.

• O desconcerto do mundo foi um dos temas que mais preocuparam o poeta português, manifestando-se em poemas sobre as injustiças, a recompensa aos maus e o castigo aos bons; sobre a ambição e a inútil tentativa de acumular bens que acabam no nada da morte; sobre os sofrimentos constantes que aniquilam prováveis conquistas; enfim, sobre o conflito violento entre o ser e o dever ser.

Soneto de Camões

Amor é fogo que arde sem se ver;

É ferida que dói e não se sente;

É um contentamento descontente;

É dor que se desatina sem doer;

É um não querer mais do que bem querer;

É um solitário andar por entre agente;

É nunca contentar-se de contente;

É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;

É servir a quem vence, o vencedor;

É ter com quem nos mata lealdade;

Mas como causar pode seu favor

Nos corações humanos amizade,

Se tão contrário a si é mesmo Amor?

OS LUSÍADAS - Luís de Camões (Resumo)

Publicada em 1572, "Os Lusíadas" é a epopeia do povo português.

Os Lusíadas é uma imitação das obras de Homero (A Ilíada e a Odisséia) e Virgílio (Eneida), traduz em verso toda a história do povo português e suas grandes conquistas, tomando, como motivo central, a descoberta do caminho marítimo para as Índias por Vasco da Gama em 1497/99.

A Ilíada e a Odisséia, atribuídas a Homero (Século VIII a. C), através da narração de episódios da Guerra de Tróia, contam as lendas e a história heroica do povo grego.

Já a Eneida, de Virgílio (71 a 19 a.C.), através das aventuras do herói Enéas, apresenta a história da fundação de Roma e as origens do povo romano.

Para cantar a história do povo português, em Os Lusíadas, Camões foi buscar na antigüidade clássica a forma adequada: o poema épico, gênero poético narrativo e grandiloqüente, desenvolvido pelos poetas da antigüidade para cantar a história de todo um povo.

Ao compor o maior monumento poético da Língua Portuguesa, Os Lusíadas, Camões copia a estrutura narrativa da Odisséia de Homero, assim como versos da Eneida de Virgílio.

A obra é composta de:

• 10 cantos.

• Utiliza a estrofação em Oitava

...

Baixar como (para membros premium)  txt (7.4 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com