TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

4. Com Base No Que Vimos Nesta Unidade, Argumente, Em Cerca De

Por:   •  2/4/2013  •  252 Palavras (2 Páginas)  •  721 Visualizações

Página 1 de 2

a) Keynesianismo e Estado de Bem-Estar Social são duas

faces da mesma moeda.

John Maynard Keynes teve muita influência na renovação das teorias clássicas e na reformulação da política de livre mercado. Ele creditava que a economia seguiria o caminho do pleno emprego, o desemprego era uma situação temporária que desapareceria graças às forças do mercado.

O keynesianismo tinha como o objetivo manter o crescimento da demanda em paridade com o aumento da capacidade produtiva da economia, de forma suficiente para garantir o pleno emprego, sem excesso, para não ter aumento da inflação. Na década de 1970 o keynesianismo sofreu severas críticas por parte de uma nova doutrina econômica negociações dos sindicatos com os empresários por aumentos salariais. Por esta razão, foram tomadas medidas que evitassem o crescimento dos salários e preços, mas a partir da década de 1960 os índices de inflação foram acelerados de forma alarmante, o monetarismo. Em quase todos os países industrializados o pleno emprego e o nível de vida crescente alcançados nos 25 anos posteriores à II Guerra Mundial foram seguidos pela inflação. Os keynesianos admitiram que seria difícil conciliar o pleno emprego e o controle da inflação, considerando, sobretudo, as

O keynesianismo defende a necessidade de que o Estado busque formas para manter o equilíbrio da economia, o governo deveria aplicar remessas de capital na realização de investimentos que aquecessem a economia em geral. O governo tinha que manter um equilíbrio, concedendo linhas de creditos a custo baixo, com garantia na realização de investimento em setores privados.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (1.6 Kb)  
Continuar por mais 1 página »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com