TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Passo 1: Leia Com Atenção O Material Disponível Referente à Aula-tema 07, Que Inclui O Capítulo Do Livro-texto, A Web Aula, O Resumo E Os Conceitos Fundamentais. Passo 2: Leia O Artigo "Saiba Mais Sobre O Novo Formato De Currículo 3.0", Dispo

Por:   •  27/5/2013  •  1.158 Palavras (5 Páginas)  •  943 Visualizações

Página 1 de 5

Resumo do capítulo 1,2 e 3 do PLT 137 – Empreendedorismo

A idéia de empreendedorismo tem sido muito propagado no Brasil, nos últimos anos, sendo mais ativo no final da década de 1990, mas tendo o período de 2000 a 2010 como um marco na consolidação do tema e sua relevância para o país. O cuidado com a criação de pequenas empresas duradouras e a necessidade da diminuição das altas taxas de mortalidade desses empreendimentos são, sem dúvida, motivos para popularidade do termo empreendedorismo. Isso porque, nos últimos anos, após várias tentativas de estabilização da economia, muitas grandes empresas brasileiras tiveram de procurar alternativas para aumentar a competitividade, reduzir os custos e manter-se no mercado. Uma das conseqüências imediatas foi o aumento do índice de desemprego, principalmente nas grandes cidades onde a concentração de empresas é maior. Sem alternativas, os ex-funcionários dessas empresas começaram a crias novos negócios. Com o aumento da atividade empreendedora no país houve a criação de programas específicos voltados ao público empreendedor. Um exemplo foi o caso do programa Brasil Empreendedor, do Governo Federal, instituído em 1999, que teve como meta inicial a capacitação de mais de um milhão de empreendedores brasileiros na elaboração de planos de negócio, pois a maior parte dos negócios no Brasil é criada por pequenas empresas.

Foi no século XX que foram criadas a maioria das invenções que revolucionaram o estilo de vida das pessoas. Os empreendedores são pessoas cujas características fogem do princípio estático, imutável. Que quebram regras para provar que tudo é possível com muita dedicação e empenho, desde as simples coisas até a construção de novos pensamentos, metodologias e práticas. O avanço tecnológico tem sido de tal ordem, que requer um número muito maior de empreendedores. A competição na economia também força novos empresários a adotar paradigmas diferentes.

As boas idéias, Know-how, um bom planejamento e, principalmente, uma equipe competente e motivada são ingredientes poderosos, que quando somados no momento adequado, acrescidos do combustível indispensável à criação de novos negócios – o capital – podem gerar negócios grandiosos em curto espaço de tempo.

O empreendedorismo é o combustível para o crescimento econômico, criando emprego prosperidade. Economistas e especialistas americanos são unânimes ao dizer que a resposta para a saída da crise continua sendo a mesma: estimular e desenvolver o empreendedorismo em todos os níveis. Todos estes fatores levaram um grupo de pesquisadores a organizar, em 1997, o projeto GEM – Global Entrepreneurship Monitor, uma iniciativa conjunta do Babson College, nos Estados Unidos, e da London Bussines School, na Inglaterra, com o objetivo de medir a atividade empreendedora dos países e observar seu relacionamento com o crescimento econômico.

No Brasil o movimento do empreendedorismo começou a tomar forma na década de 1990, quando entidades como SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) que um dos órgãos mais conhecidos para auxilio na jornada empreendedora e a Softex (Sociedade Brasileira para Exportação de Software) foram criadas com intuito de levar as empresas de software do país ao mercado externo. Foi com os programas criados no âmbito da Softex em todo o país, junto a incubadoras e a universidade/cursos de ciências da computação/informática, que o tema empreendedorismo começou a despertar na sociedade brasileira. Até então, palavras como plano de negócios (business plan) eram praticamente desconhecidas a até ridicularizadas pelos pequenos empresários.

São exemplos da necessidade do empreendedorismo no Brasil os seguintes programas:

- Softex e Genesis/informática;

- Programa Brasil Empreendedor;

- EMPRETEC e Jovem Empreendedor;

- Além de várias outras entidades de apoio ao empreendedorismo como: Sebrae, Anprotec, Endeavor, entre outras.

A criação de empresas por si só não leva ao desenvolvimento econômico, a não ser que esses negócios estejam focando oportunidade de mercado.O estudo anual do GEM originou duas definições de empreendedorismo: a primeira seria o empreendedorismo de oportunidade, em que o empreendedor visionário sabe onde quer chegar, cria uma empresa com planejamento prévio, tem em mente o crescimento que quer buscas para a empresa e visa a geração de lucros, empregos e riquezas. A segunda definição

...

Baixar como (para membros premium)  txt (7.6 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com