TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Um Texto Dissertativo-argumentativo A. Introdução (contextualização Do Tema). E. Título Do Texto. C. Seleção De Textos Variados (coletânea) Sobre O Tema. 2. Elaboração Do Texto (indicar Estas Questões, A Fim De Facilitar A Produção Escrita):

Artigos Científicos: Um Texto Dissertativo-argumentativo A. Introdução (contextualização Do Tema). E. Título Do Texto. C. Seleção De Textos Variados (coletânea) Sobre O Tema. 2. Elaboração Do Texto (indicar Estas Questões, A Fim De Facilitar A Produção Escrita): . Pesquise 787.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  13/6/2013  •  9.520 Palavras (39 Páginas)  •  1.335 Visualizações

Página 1 de 39

Trabalho sobre Leitura e Produção de Textos

Etapa-1

Passo-1

Consultar as literaturas (básica e complementar) indicadas no Plano de Ensino e Aprendizagem da disciplina Leitura e Produção de Textos, e encontrar as seguintes informações:

a) Concepção de leitura

• O significado de um texto não está na soma de significados das palavras que o compõem, nem coincide somente com o que se chama de significado literal do texto. Portanto, durante a leitura de uma mensagem escrita, o leitor deve raciocinar e inferir de forma contínua, captando significados que não aparecem diretamente no texto.

Adam e Starr (apud COLOMER, 2002, p.31) afirmam que o texto proporciona apenas uma das fontes críticas de informação. É preciso que o restante provenha dos conhecimentos prévios do leitor.

Assim, ler é mais do que um simples ato de decodificar, é antes de tudo um ato de raciocínio.

Ler significa ser questionado pelo mundo e por si mesmo, significa que certas respostas podem ser encontradas na escrita, significa poder ter acesso a essa escrita, significa construir uma resposta que integra parte das novas informações ao que já se é.

Diante deste contexto, o leitor une as novas informações com aquelas que já possui armazenadas na mente e projeta uma nova idéia à escrita.

Quando o leitor se propõe a ler um texto, uma série de elementos contextuais ativa alguns de seus esquemas de conhecimento e o leva a antecipar aspectos do conteúdo. Suas hipóteses estabelecem expectativas em todos os níveis do texto, são formuladas como suposições ou perguntas mais ou menos explícitas para as quais o leitor espera encontrar resposta se continuar lendo.

Para entender o significado do texto, o leitor tem de elaborar uma interpretação global deste ao longo de sua leitura. A compreensão é a finalidade natural de qualquer ato habitual de leitura, não é fácil para ninguém ler um texto sem conseguir construir uma interpretação.

Durante toda a vida, as pessoas constroem representações da realidade, valores, ideologia, procedimentos etc. com isso compreendem as situações, uma conferência, uma informação e, evidentemente, um texto escrito. Para que alguém possa se envolver na atividade que o levará a compreender um texto escrito, é imprescindível verificar que esta tem sentido.

A leitura é um fator importantíssimo na construção do conhecimento, ela não se configura como um processo passivo. Longe disso, pois exige a descoberta e recriação, pois o leitor além de partilhar e recriar referenciais do mundo, transforma-se num produtor de acontecimentos em função de sua compreensão e consciência crítica.

Assim, vê-se a importância da leitura como um processo contínuo, que precisa ser praticado para ser aprendido. Ler é compreender, é um processo de construção de significados sobre o texto que pretendemos compreender. Pois, se um aluno a ler compreensivamente e a aprender a partir da leitura, ele estará aprendendo a aprender, de forma autônoma em uma multiplicidade de situações.

A leitura tem uma dinâmica que é instável, sentimos necessidade de ler sempre e as necessidades nos impulsionam a procurar diferentes tipos de leitura, na tentativa de encontrar soluções para as situações que se apresentam no cotidiano.

A formação de leitores tem como finalidade aproximar as pessoas dos livros, oferecendo-lhes recursos para que possam interpretar e compreender os textos lidos; ampliar a capacidade expressiva através de atividades literárias e artísticas em que possam manifestar sentimentos e opiniões e desenvolver a capacidade crítica estimulando-os a reflexão sobre o que lêem, confrontando diferentes pontos de vista, principalmente quando estiverem envolvidos temas polêmicos que expressem anseios e preocupações da comunidade em que estão inseridos.

Quanto mais atividades, recursos diversificados forem propostas para a leitura, mais estimulada estarão as crianças. Propostas lúdicas e desafiadoras despertam o interesse pela leitura, assim a literatura deve ser também um ato de entreterimento.

Franco (1997, p.46) menciona que cada tipo de leitura pede uma metodologia especifica.

Dentre elas estão:

A busca de informações

Buscar informações em um texto exige que se tenha perguntas a serem respondidas, dúvidas a serem esclarecidas. É necessário o “querer saber mais” e o “querer esclarecer”.

Estudo do texto

A leitura estudo do texto é a que faz, quando se quer aprender alguma coisa, ir além de onde já se está, e/ ou para confirmar ou não certos posicionamentos.Na escola está intimamente ligada ao ato de estudar que, normalmente, tem sido considerado como de responsabilidade do aluno e da família.

É um tipo de leitura que deve ser introduzida nas salas de aula. O aluno deve ter à sua disposição diferentes tipos de materiais informativos, que lhe possibilitem estudos. É importante que se reserve um horário, em sala de aula, para a leitura estudo do texto, onde cada aluno (ou grupos de alunos) fará a leitura/ estudo de acordo com seus interesses e necessidades.

Leitura Pretexto

A leitura pretexto é a que permite a paráfrase, a reprodução sinonímica, a reescrita.

É através dela que a dramatização, a pantomima e o teatro acontecem. É a leitura, por excelência, para se trabalhar a expressão corporal e a linguagem verbal, em sua forma sistematizada, através da representação.

Não basta reescrever um texto, dando-lhe nova forma, nova roupagem. É essencial que se vivencie o texto, mas que o texto permita ser pretexto.

Há de se ter cuidado ao se usar um texto como pretexto para discussão de questões sintáticas: descobrir como funciona a sintaxe do texto. Dissecar a sintaxe de um texto é tratá-lo como coisa morta, discutir a sua sonoridade e descobrir os seus segredos é torná-lo vivo e parte do processo ativo de aprendizagem.

A grande preocupação em se formar “hábitos de leitura”, em formar “bons leitores” tem muito a ver com este tipo de leitura.

Se tem a oportunidade de ler por prazer provavelmente o hábito e o bom leitor se concretizarão.

É importante que o professor seja um leitor que privilegie a fruição, que leia histórias com todas

...

Baixar como (para membros premium)  txt (64 Kb)  
Continuar por mais 38 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com