TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A HISTÓRIA ECONÔMICA E GERAL I

Por:   •  21/1/2019  •  Artigo  •  570 Palavras (3 Páginas)  •  21 Visualizações

Página 1 de 3

Ministério da Educação [pic 1]

Universidade Federal Vale do Jequitinhonha e Mucuri http://www.ufvjm.edu.br/ [pic 2]

  

 

Disciplina: HISTÓRIA ECONÔMICA E GERAL I

Curso: Ciências Econômicas

Docente responsável: Camila Amaral

Aluno (a): Manuela Lopes Figueiredo

Inscrição: 20161005005

Ano/Semestre: 2016/01

 

Lista II

 

  1. De acordo com o conteúdo estudado seria possível afirmar que as cidades medievais eram as mesmas que suas antecessoras?

 A Alta Idade Média as pessoas começaram a migar para a área rural em decorrência da queda do império romano e as invasões barbaras. Nesta época que se seguiu, a principal atividade econômica era a agricultura de subsistência.

A sociedade tinha caráter estamental e de forte influência religiosa. O fim deste período se deu com o enfraquecimento dos feudos por causa da crescente migração dos servos para as cidades que estavam renascendo economicamente.

A na Baixa Idade Média se caracteriza em seu início pelo enfraquecimento do sistema feudal, entende-se que as cidades apesar de ainda existirem, estavam vazias e sem atividade econômica.

O Renascimento das cidades se deu a partir das cruzadas, quando os cavaleiros saqueavam pequenas cidades, iam vendendo o fruto dos saques ao longo do caminho, assim surgindo várias rotas comerciais e pequenas feiras. A saída dos muçulmanos do mar mediterrâneo também exerceu grande influência no comercio.

Longo, conclui-se que as cidades sofreram uma mudança não somente política, mas também econômica, graças as cruzadas e a abertura dos portos para comercio.

Durante a Alta Idade Média, com ênfase no ápice da época feudal, as cidades ficaram reduzidas apenas para a função política e administrativa, já que houve um grande êxodo para a zona rural. Se as cidades remanescestes conservaram alguma função econômica foi pelo desempenho dos celeiros dos bispos e dos mosteiros, que ‘contratavam’ pessoas para fazer serviços em troca de dinheiro.  O que leva a afirmar com certeza que as cidades mais importantes do império romano durante a alta idade média sumiram ou ficaram em segundo plano.

 

  1. Segundo o ponto de vista de Le Goff, como se deu a relação entre a zona rural e as novas cidades que surgiram na época medieval?

O desenvolvimentos das cidades deu, principalmente pela abertura das rotas comerciais pela Europa, e um retorno das pessoas para o meio urbano graças a essa abertura, que gerou um renascimento do comercio e consequentemente das cidades.  Com diversos elementos humanos, dado ao êxodo dos servos para a cidade, criou-se uma sociedade nova, que tem raízes feudais.

 

 

  1. Compare os textos de Pirenne e de Le Goff e identifique os pontos de convergência e de divergência.

 

 

  1. Após período de absoluto predomínio do campo, conforme se verificou na Alta Idade Média, a Europa ocidental conheceu movimento urbano de tal magnitude que permitiu aos estudiosos classificá-lo como um renascimento. A rigor, o que aconteceu de mais significativo foi o nascimento de cidades, de muitas importantes cidades europeias da atualidade. Quais fatores contribuíram para a sua formação; como se deu esse processo; que tipo de relação envolveu os diferentes segmentos da sociedade medieval com o nascimento e o desenvolvimento dos centros urbanos?  

Os principais fatores contribuintes para a formação das cidades foram sem dúvida a o comercio no mar mediterrâneo que continuava atraindo a Europa Ocidental e a aprimorarão dos meios de produção agrícola. Mesmo sendo um processo lento, as cidades conseguiram se livrar do caráter feudal e se firmar e especializar nas diversas formas de trabalho graças a produção de excedentes.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (3.7 Kb)   pdf (175.7 Kb)   docx (250.1 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com