TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resenha Do Cap. Do Livro Tudo é óbvio"sociedade, Cultura"

Por:   •  30/10/2013  •  1.297 Palavras (6 Páginas)  •  626 Visualizações

Página 1 de 6

O que podemos descrever, quando se trata de definir o que é senso comum? se o senso comum não é de fato tão comum como deveria ser. Senso comum é um milagre da inteligência da humanidade, senso comum é um ato muito complexo, pois quando nos falta é uma banalidade e ao mesmo tempo é uma essencialidade em nosso dia a dia.,

Ter senso comum é saber decidir o que vamos vestir ou o que queremos ou podemos comer, é o que nos ensina a nos comportar-mos diante da sociedade, no trabalho em família, com amigos e até com pessoas que nós não conhecemos, o senso comum nos ensina a agir diante de uma situação de perigo ou diante de uma situação de conforto e é extremamente necessário nas formas de aprendizados e em situações de rotina.

Segundo Carl Taylor o senso comum refere-se ao conhecimento que detém os que vivem em meio a algo e são parte de situações e processos sociais que os próprios sociólogos tentam compreeender( conhecimento popular ou o conhecimento de pessoas especializados em determinados assuntos, por exemplo o trabalho de um químico).

De acordo com Clifford Geertz, é uma mistura de práticas recebidas, crenças aceitas, julgamentos habituais e emoções que não foram ensinadas, pois bem o que seriam esses fatores? os ensinamentos recebidos ou não de uma maneira muito simples, os seres humanos já nascem dotados de alguns sensos comuns aos próprios seres humanos, exemplo o sentimento comum que leva ao homem a amar ou ter fome, ou ter sede, medo, coragem.

Taylor ainda nos coloca a par de duas características que nos ajuda a entender que o senso comum é diferente de algumas áreas de conhecimento, como por exemplo a matemática e a ciência e também nos ensina que diferentemente dos sistemas formais de conhecimento teóricos, são conhecimentos práticos.

A habilidade de organização de suas descorbertas específicas em categorias lógicas que nos obriga e nos leva a construção do pensamento dos princípios gerais do senso comum, a definição do senso comum é muito importante, pois permite-mos entender o que realmente é verdadeiro e nos ensina a lidar com situações peculiares, enquanto o sistema formal, tenta descrever o comportamento apropriado ou aceitável em cada uma das situações apresentadas o senso comum apenas sabe como agir e o mais interessante é que nem sabe como sabe disso. É isso que nos leva à uma certa noção do entendimento do que é o senso comum.

As leis do senso comum é que nos ensinam a sermos educados, generosos, justo e próprio, pode parecer que não tem nada a ver com o fato em questão. Programar um robô e colocá-lo em meio a seres humanos e esperarmos que ele saiba agir e pensar da mesma forma que nós agimos é praticamente impossível, nossos programas mudam diariamente, somos ensinados todos os dias, pois todos os dias há algo novo para aprendermos, somos chamados de máquinas perfeitas, porque conseguimos lidar com atuações cotidianas e conseguimos improvisar. mas também sabemos que algumas pessoas não tem esse tipo de noção do que é senso comum, pode até saber o que é, mas não consegue agir com ele. Pode ser que consiga ensinar a alguém sem senso comum que algo está errado e pode até ser que ele não volte a cometer o mesmo erro, mas haverão outros erros, pois essas pessoas são como máquinas e máquinas erram o tempo todo.

Os seres humanos também erram, mais a diferença é que muitos não voltam a repetir o erro, pois seu senso comum os impede de cometê-los novamente. Não diria que é daí que vem o ditado; Errar é humano, cometer o erro novamente é burrice, pois quem passa sua vida errando e errando não é burro, só não tem senso comum.

Algumas coisas relacionadas ao senco comum, podem ser relacionadas a cultura, pois há lugares onde esse conceito propriamente dito cultural, afligem socialmente as pessoas de ideais diferentes, como exemplo; Israel é uma nação cercada de inimigos, mas mantém sua cultura mesmo quando estão em outros países e essa cultura passa de geração à geração é uma cultura que pode ser considerada como; crença aceita( somente pelo seu povo e alguns descendentes em outros países), a França, que não aceita outro idioma em seu país, somente o francês, o japão

...

Baixar como (para membros premium)  txt (7.1 Kb)  
Continuar por mais 5 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com