TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Sensibilidade Social

Por:   •  28/4/2013  •  585 Palavras (3 Páginas)  •  476 Visualizações

Página 1 de 3

Apesar de na psicologia do senso comum a competência social ser um conceito claro (por exemplo quando se diz que alguém tem "jeito de lidar com as pessoas"), distinto da inteligência, uma definição científica desse conceito não é fácil, pois ele inclui dois grupos de capacidades distintas, sendo assim um conceito heterogêneo: de um lado a capacidade de se impor em situações sociais, ou seja, a capacidade de defender os próprios interesses, e por outro lado a capacidade de construir relacionamentos, ou seja, a capacidade de iniciar relacionamentos positivos e mantê-los. Uma ação socialmente competente exige assim que a pessoa seja capaz de defender seus interesses sem perder as outras pessoas de vista. Torndike (1920) chama esses dois aspectos da competência social sensibilidade social - a capacidade de se colocar no lugar de outrem - e habilidade de ação social - a capacidade de lidar com situações sociais difíceis.

A pesquisa empírica teve dificuldade de medir a sensibilidade social. Por um lado diferentes testes produziram resultados diversos e por outro o conceito, tal como medido nos diferentes testes, tem uma correlação muito alta com a inteligência - ou seja, tal como foi definido nesses testes, "sensibilidade social" seria um outro nome para inteligência. É possível que essa dificuldade se deva ao fato de a sensibilidade social não ser ainda um traço de personalidade homogêneo, mas formado por uma série de outros traços - e estes representarem papéis diversos em diferentes situações sociais.

Para a medição da habilidade de agir socialmente foram desenvolvidos três tipos de testes:

a solução de problemas sociais hipotéticos ("O que você faria, se você estivesse em tal situação);

a avaliação das próprias capacidades sociais e

a observação de comportamentos reais, que em laboratório, que em situações reais.

A primeira abordagem não foi capaz de definir o construto "habilidade de ação social" de maneira clara, de forma que os testes tiveram os mesmos problemas dos testes de "sensibilidade social" (ver acima). Provavelmente também aqui se trata de um conceito heterogêneo e que varia de situação para situação. A segunda abordagem obteve algum êxito: os questionários ICQ (Interpersonal Competence Questionaire, Buhrmester et al. 1988) e a escala de Paulhus e Martin (1988) para a medição da "flexibilidade social" (ou seja, a capacidade de o indivíduo adaptar seu comportamento à situação) se mostraram capazes de fazer medições estáveis e independentes da inteligência. O problema é que se trata, em ambos os casos, de autoavaliações, que possivelmente não correspondem ao corportamento real.

Já a terceira abosdagem mostrou-se mais frutífera. A pesquisa

...

Baixar como (para membros premium)  txt (3.9 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com