TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Roteiro de preparação para negociação salarial

Trabalho acadêmico: Roteiro de preparação para negociação salarial. Pesquise 790.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  17/6/2013  •  Trabalho acadêmico  •  3.158 Palavras (13 Páginas)  •  201 Visualizações

Página 1 de 13

Roteiro de preparação para negociação salarial

Para ser bem sucedidos em um processo de negociação salarial, alguns preceitos precisam ser considerados. O primeiro deles é este: o empregador vai assumir, sempre, que o colaborador está contente com o que ganha, a menos que demonstre insatisfação. Em resumo, quem não pede não consegue. Mas certifique-se de que o colaborador merece, e também de que está preparado para negociar. Assim como em toda e qualquer negociação, precisamos conhecer o tipo psicológico do nosso oponente, portanto, é necessário obter informações sobre o gestor e a empresa. Deve-se conhecer sua cultura, política e demasiados segredos da empresa e, principalmente, estar ciente do lugar ocupado pelo colaborador na empresa. . Esse conhecimento poderá contribuir para o sucesso da negociação. O negociador deverá obter informações internas e externas, utilizadas como argumento que contribuirão para o resultado final do processo de negociação. Informações como: dados de produção, faturamento (mensal e anual), ranking da empresa no mercado e o volume de dividas da empresa. Essas informações serão úteis ao negociador a fim de traçar uma meta para a negociação, analisado o máximo e o mínimo aceitável para que ambas as partes se beneficiem do resultado. O negociador precisa conhecer o mercado e o lugar do colaborador dentro dele. Tenha ideia exata de sua posição em relação aos colaboradores de outras empresas.. Este conhecimento deve ser base para argumentação. É preciso conquistar O pedido de aumento deve o empregador! O negociador precisa provar que vale cada centavo que pedir. Mostre disposição, entusiasmo e ambição profissional em todos os momentos da negociação, mas, com muito cuidado para não se tornar impetuoso. É preciso planejar a negociação com antecedência. Primeiro realizar o mapeamento da negociação, reunindo, organizando e examinando os dados que serão utilizados. O negociador não deve aceitar a primeira proposta sem antes tentar uma negociação. Por mais que a proposta seja boa, o que devemos seguir é o planejamento já realizado, uma vez que, utilizando-se das técnicas escolhidas, informações já obtidas e o planejamento já realizado, o resultado desta negociação poderá ser ainda melhor. Caso a primeira proposta esteja dentro de um acordo alternativo já estudado, este poderá ser aceito pelo negociador em caso de negação da proposta principal apresentada. Nem sempre o aumento salarial será necessário para se obter sucesso em uma negociação como esta. Podemos citar outros benefícios que podem ser adquiridos durante a negociação considerando-os como acordo alternativo, como por exemplo: cesta básica, redução de jornada de trabalho, convênios (medico, odontológico, faculdades, etc.) ou até mesmo o status na empresa (alteração do cargo exercido na empresa).

TEXTO 1 (ETAPA 1, PASSO 3

As diferentes conceituações de negociação

Lewicki e Hiam

O autor trata da negociação como um jogo, pois diz que há vantagens em vê-la assim. Não se trata de um processo totalmente aleatório, muitas negociações podem ser analisadas após sua conclusão, permitindo-nos melhorar nossa capacidade de prever e controlar acontecimentos. Em segundo lugar, no jogo existe uma sequencia previsível de atividades. Muitas pessoas não entendem de negociação e consideram uma série caótica, quase aleatórias de eventos. Embora seja difícil prever exatamente como a outra parte agirá a qualquer hora. Quarto lugar o jogo tem regras, existe o SIM e o NÂO nas negociações e em algumas, as regras são claras, colocadas por escrito e bastantes explícitas, como a negociação anual com a receita federal. As regras dizem que você deve informar precisamente quanto recebeu ou ganhou e quanto deve ao físico.

Já segundo Kassem a negociação é hoje encarada como uma arte, que neste caso é entendida como aquilo que se aprende e se aprimora na prática, sendo formada por três elementos: A criatividade, a sensibilidade e a instituição. Desse modo a negociação deve ser considerada como a oportunidade tão almejada para desenvolver e fortalecer os nossos relacionamentos. O Processo de Negociação não faz de nós apenas um vencedor, mais tem condições de satisfazer todas as pessoas envolvidas, com os resultados alcançados.

ETAPA 2 - PASSO 2

Introdução:

No mundo atual é cada vez mais natural que as pessoas incluindo as crianças, iniciem desde cedo nas primeiras etapas das suas vidas o processo de negociação, seja pelo melhor lugar à mesa, a maior fatia de bolo, quem escolhe o que vai assistir, ou seja, passamos ideologias e interesses divergentes e convergentes haverá sempre uma negociação para se chegar ao a corpo. Para se tornar um bom negociador, devemos desenvolver as habilidades e aprender a utilizar de forma correta as variáveis básicas da negociação (informação, poder e tempo), aplicando – as de acordo com a análise do tipo psicológico do oponente e planejando previamente a sua negociação. É necessário ter em mente que, para que tenhamos uma relação duradoura com a outra parte, precisamos ser sensatos e trabalhar de forma que, ambas as partes, saiam satisfeitos do processo da determinada negociação.

O processo de negociação

Antes de definir o processo de negociação como sistema de transformação de entradas em saídas, para que não surjam duvidas acerca dos termos processo e sistemas, é importante uma breve explicação sobre sistemas e visão sistêmica. A palavra sistema foi ‘’emprestada’’ das ciências exatas, podendo ser definida em termos preciosos, como uma equação que descreve alguns relacionamentos entre suas variáveis. Seguindo esse raciocínio geral, alguns autores definiram sistemas, variando seus conceitos conforme os interesses, formação e especialização de cada um. Negociação deve ser conceituada como um somatório de todos esses aspectos, pois, conforme o tipo de negociação ou ambiente em que se encontra inserida na prática, um ou outro aspecto será mais ou menos relevante no contexto, sendo de grande matemática importância para o bom negociador conhecer todos os elementos e saber lidar da melhor forma possível. Identificar todos os prováveis elementos que gerariam uma negociação ganha-ganha, de acordo com a situação pratica vivenciada pelo negociador. As entradas seriam os impulsos iniciais da negociação, por exemplo: a comunicação entre as partes, o uso da informação e do poder, os interesses comuns, entre os outros. As entradas de um sistema podem ser encontradas com diversas terminologias:

...

Baixar como (para membros premium)  txt (21.4 Kb)  
Continuar por mais 12 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com