TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resenha Do Texto O De Magistro - Santo Agostinho

Casos: Resenha Do Texto O De Magistro - Santo Agostinho. Pesquise 800.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  4/9/2014  •  434 Palavras (2 Páginas)  •  1.569 Visualizações

Página 1 de 2

RESENHA DO TEXTO O DE MAGISTRO – SANTO AGOSTINHO

Esta é uma resenha do texto O DE MAGISTRO de Santo Agostinho. O autor quer mostrar qual o caminho o mestre deve seguir para ensinar seu aluno. Neste texto, ele usa a figura de seu filho Adeodato, mostrando seu lado paterno, ensinado como se deve educar. Escrito na idade média, Agostinho era ateu e para continuar vivo, ele precisou se converter, e isso foi feito, passou a se chamar Santo Agostinho, ele queria mostrar que não existia diferença entre razão e fé.

O seu grande objetivo é responder duas perguntas cruciais:

“Como o ensinamento é possível?”

Para Santo Agostinho o ensinamento deve seguir certo caminho, ao educar, você passa para o aluno algo que ele já sabe acrescentando algo novo, assim, faz com que o aluno desenvolva os conhecimentos que ela já possui.

“Como as ideias do homem podem reproduzir-se na mente do outro?”

Para santo Agostinho a mensagem do educador, tem que chegar ao aluno, isso, se faz através da linguagem. É pela fala, que se ensina, também é por ela que nos relacionamos, não existe ensino sem aprendizado, nem aprendizado sem ensino.

Santo Agostinho não demarca bem a diferença entre símbolo e signo,

sendo signo a palavra é o código de letra e o símbolo é o que realmente representa a palavra algo concreto. Ele quer dizer que, o propósito da fala é te levar para a realidade, ensinar algo é mostrar a realidade, sempre ligando o objeto a palavra. O educador tira a criança do mundo mágico, para o mundo real, sempre se preocupando com a linguagem. O professor só poderá ensinar seu aluno a falar falando.

O professor só poderá transmitir seus ensinamentos, trazendo o aluno para uma realidade bem próxima. Podemos citar que ao ensinar o alfabeto o professor faz relação da letra com uma figura, para que a criança visualize associando a imagem à letra. O indivíduo só poderá falar sobre algo que já viu.

Para Santo Agostinho a função do professor é romper com a ideia de que o aluno é um ser passivo, para ele, para que o aluno aprenda o que diz o professor tem que ter comunhão da palavra, o professor se coloca no lugar do aluno.

A função do professor é potencializar o que já está no aluno, sendo este professor o ser que estimula o aluno a raciocinar, o aprendizado acontece pela palavra, em alguns alunos chega de maneira rápida, em outros, demora mais um pouco. O DE MAGISTRO mostra que o professor pode ensinar a verdade, mais que a compreensão da verdade por parte do aluno, dependerá essencialmente da providência divina.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (2.5 Kb)  
Continuar por mais 1 página »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com