TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Fluxograma

Por:   •  4/6/2013  •  1.062 Palavras (5 Páginas)  •  432 Visualizações

Página 1 de 5

MONOPÓLIO

Definição e Causas do monopólio:

Estrutura de mercado composta por apenas um vendedor e muitos compradores. Quando a indústria se monopoliza, o preço de venda será maior que o preço de mercado em concorrência perfeita, e o nível de produção inferior. Os consumidores sairão perdendo, pois terão que pagar um preço superior para obter o produto, que será oferecido em quantidade inferior. Monopólio é uma condição de mercado caracterizada pelo controle, por um só produtor, dos preços e das quantidades de bens ou serviços oferecidos aos usuários e consumidores. Estes usuários e consumidores não possuem alternativas senão comprar do monopolista. Isso faz com que o monopolista opere sempre com lucros extraordinários. O preço cobrado pelo monopolista será sempre maior do que em competição perfeita e a quantidade vendida sempre menor. As causas da existência do monopólio são várias, algumas políticas, outras econômicas e outras técnicas, como:

Propriedade exclusiva de matérias-primas ou de técnicas de produção;

Patentes sobre produtos ou processos de produção;

Licença governamental ou imposição de barreiras comerciais para excluir competidores, especialmente estrangeiros;

O caso do monopólio natural quando o mercado não suporta mais do que uma

única empresa, pois a tecnologia de produção impõe que a operação eficiente tenha economias de escala substanciais.

Vantagens e desvantagens do monopólio:

Os argumentos favoráveis aos monopólios concentram-se principalmente nas vantagens da produção em grande escala, como a elevação de rendimento propiciado pelas inovações tecnológicas e a redução dos custos. Também se afirma que os monopólios podem racionalizar as atividades econômicas, eliminar os excessos de capacidade e evitar a concorrência desleal. Outra das vantagens que lhes são atribuídas é a garantia de um determinado grau de segurança no futuro, oque torna possível o planejamento a longo prazo e introduz maior racionalidade nas decisões sobre investimentos. Os argumentos contrários estão centrados no fato de que o monopólio, graças a seu poder sobre o mercado, prejudica o consumidor ao restringir a produção e a variedade, e ao obrigá-lo a pagar preços arbitrariamente fixados pelo monopolista.

Também se assinala que a ausência de concorrência pode incidir negativamente sobre a redução dos custos e levar à subutilização dos recursos produtivos.

Hipóteses básicas:

Um determinado produto é suprido por uma única Firma:

Uma única firma oferece o produto em um determinado mercado;

Não há substitutos próximos para esse produto:

Isso significa dizer que o monopolista enfrenta pouca ou nenhuma concorrência;

Existem obstáculos à entrada de novas firmas na.

Para que o monopólio exista é preciso manter concorrentes em potencial afastados da indústria. Isto significa que devem existir barreiras que impeçam o surgimento de competidores, protegendo, dessa forma, a posição de monopolista. Estas barreiras fazem com que seja muito difícil a entrada de novas firmas na indústria.

Os principais obstáculos ao ingresso de firmas concorrentes no mercado são:

Existência de economia de escala, ou seja, a empresa monopolista implicando no segmento

...

Baixar como (para membros premium)  txt (5.6 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com