TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

O advento do cristianismo e a queda do Império Romano

Seminário: O advento do cristianismo e a queda do Império Romano. Pesquise 787.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  1/10/2013  •  Seminário  •  494 Palavras (2 Páginas)  •  1.699 Visualizações

Página 1 de 2

Vamos iniciar este estudo com uma introdução histórica, para averiguar os antecedentes filosófico-políticos e teorético-políticos que levaram ao constitucionalismo. Vamos começar a nossa análise pelo período que decorre após o nascimento de Jesus Cristo, continuando com os séculos IV / V , XV / XVI e finalmente o século XVIII.

O advento do cristianismo e a queda do Império Romano

O Cristianismo começa por ser uma religião perseguida no Império Romano, infiltrase lentamente , chegando mesmo à família do próprio Imperador Diocleciano, cerca do século III . Em 313, ( édito de Milão ) Constantino , converte-se ao cristianismo, tornando-se esta religião , numa religião legal e mais tarde, com o imperador Teodósio nos princípios do século V , passa a ser a religião oficial do Império. Mas a decadência do Império Romano já começava a fazer-se sentir. O imperador Constantino , dividiu o Império pelos seus dois filhos, criando o Império Romano do Ocidente e o Império Romano do Oriente. Em 476 cai o Império Romano do Ocidente.

Contemporâneo com estes acontecimentos foi o aparecimento do livro de Santo Agostinho (início do séc.V) , intitulado “ A cidade de Deus “ onde ele já previa a queda do Império Romano , onde mobilizava e motivava a fé dos cristãos, anunciando a emergência da “cidade de Deus “ uma cidade de Amor , paz e justiça, em substituíção da cidade dos homens , uma cidade dominada pelo mal e a corrupção. Este livro constituíu o fundamento teórico para o desenvolvimento da cristandade, em que o poder político e o poder religioso, eram um só. O vazio institucional e cultural deixado pela queda do Império Romano, vai , a pouco e pouco sendo preenchido pela Igreja.

O primado do Papa

Foi a cristandade , também chamada de “ Res Publica Cristiana “, que criou entre os séculos V e XVI a chamada civilização ocidental O predomínio do Papado vai ser preponderante nos séculos X, XI e XII com Gregório VII, que se proclama o Bispo de Roma e sucessor de César, de acordo com a “ Liber Pontificalis “, que o Imperador Constantino lhe tinha feito como recompensa de lhe ter curado da lepra.

A Res Publica Cristiana

Esta é a fase da Cristandade do Augustinismo político, em que a cidade de Deus é, agora, uma Républica Cristã, em que a religião e a política são uma e a mesma coisa. O reino de Portugal surge nesta época o que explica a enorme influência que a ideia de “res publica “ teve no seu desenvolvimento. A Cristandade é uma civilização que permeia todas as actividades dos Homens ( na Economia, a proíbição dos juros e da usura, a perseguição dos judeus, na ciência , as persiguições a Copérnico, a Galileu, a Inquisição. Conclusão: a civilização cristã centra-se em torno da ideia de uma unidade polícoreligiosa Do ponto de vista social e económico, a sociedade estava estratificada em , Clero Nobreza e Povo segundo a cadeia seguinte: Deus, Cristo, o Papa, os Monarcas.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (3 Kb)  
Continuar por mais 1 página »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com