TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Diferenças na Educação

Por:   •  10/3/2019  •  Artigo  •  5.759 Palavras (24 Páginas)  •  6 Visualizações

Página 1 de 24

. INTRODUÇÃO

Existe uma grande preocupação dos que atuam na educação, quanto ao elevado número de alunos que não conseguem acompanhar o desenvolvimento e rendimento da classe (como se ela pudesse ser homogênea) e que em consequência disto se desestimulam ou até mesmo desistem da escola.

Precisamos reconhecer que os alunos são diferentes, que nem todas as pessoas têm os mesmos interesses e habilidades, que nem todos aprendem da mesma maneira, pois cada um tem o seu ritmo para aprender; sendo assim, enfrentamos um grande desafio: como trabalhar o conteúdo para que possamos estimular os diferentes níveis e tipos de inteligências existentes em nossos alunos?

Nossa inteligência é complexa, e não é contemplada em seu todo por metodologias que privilegiam apenas um aspecto dela. O atual sistema de ensino busca uma produção em série e com isso apenas evidência as diferenças, no entanto nada fazem por elas além de discriminá-las.

Para os professores, constitui um importante problema abordar no dia-a-dia, o desafio colocado por um considerável número de alunos que não alcançam rendimentos inicialmente esperados em suas aprendizagens. Despertar o interesse pelos temas a serem apresentados, utilizando uma abordagem que caminhe pela área de maior desenvolvimento em cada aluno e buscando o despertar de outras, deve ser o caminho para ter este desafio vencido.

Este trabalho busca alertar para o papel da motivação e a importância do reconhecimento das habilidades dos alunos para o alcance de uma aprendizagem significativa, fortalecer o princípio de que o uso de métodos diversificados, na apresentação dos conteúdos em sala de aula para que os diferentes tipos e níveis de compreensão dos alunos sejam alcançados.

Através da investigação do tema por meio de levantamento bibliográfico e das observações realizadas dos acontecimentos do dia-a-dia da sala de aula observamos que uma revisão no papel da educação se faz necessário, para que as diferenças encontradas na sala de aula possam passar de dificuldades a potencialidades.

3. O FRACASSO ESCOLAR E AS DIFERENÇAS

Muitas são as dificuldades de aprendizagem na escola, que podem ser consideradas uma das causas que podem ter como consequência o fracasso escolar. Este fracasso não é só do aluno, uma vez que as escolas não estão preparadas para lidar com a diversidade encontrada entre os seus alunos. O fracasso escolar tem seu desencadeamento em alguns dos momentos do processo de ensino e aprendizagem. Este processo, segundo Perrenoud (2001) envolve um grupo de atores e suas ações, ou seja, o aluno, o professor, a concepção de ensino, de sociedade e do homem, a organização do currículo, o ambiente, as metodologias, as estratégias e os recursos.

Não pretendo neste momento, tratar individualmente de cada um destes momentos, mas apenas analisar alguns que são considerados de grande importância para este estudo.

3.1 O Currículo

O currículo, como o caminho que desejamos que os alunos percorram, em sua maioria muito tem contribuído para que este quadro permaneça. Ele em sua maioria apresenta conteúdos que vão requerer dos alunos um conhecimento prévio, e isto serve de divisor entre os alunos na sala de aula, pois nem todos os alunos partem de um mesmo ponto, ou seja, lidamos com níveis de conhecimentos prévios diferentes. O que normalmente acontece, é um programa, que privilegia os mais preparados e aumenta a distância entre estes e os demais. O aluno, ao deparar com as dificuldades em sua aprendizagem, muitas vezes começa a apresentar desinteresse. O desinteresse gera a indisciplina e as faltas às aulas.

Os programas aplicados nas escolas são elitistas em sua maioria, pois ignoram a diversidade social e cultural dos alunos. Uma criança criada em meio a pessoas instruídas, livros e computadores certamente não estranhará os trabalhos escolares e a relação com as exigências do processo de ensino. No entanto, encontraremos aqueles que viveram com pessoas quase analfabetas, passavam o tempo na rua ou diante de uma TV. Não há como desconsiderar a distância que estes terão de percorrer para alcançar os outros alunos.

A sociologia da educação deve, é claro, dar conta da relação entre o fato de pertencer a uma classe e o fracasso escolar. Mas também deve dar conta do fato de que essa relação não é mecânica. A explicação do fracasso escolar em termos de distância cultural entre o aluno e a escola deve, em primeiro lugar, ser construída no nível mais concreto: por um lado, o da distância entre a cultura que uma criança particular deve à sua família e, por outro, o currículo real e as normas de excelência com as quais é confrontada cotidianamente em uma sala de aula particular (PERRENOUD, 2001, p.131).

...

Baixar como (para membros premium)  txt (39.4 Kb)   pdf (216.9 Kb)   docx (292 Kb)  
Continuar por mais 23 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com