TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resenha sobre do texto: a construção do retrato verbal camoniano

Por:   •  12/8/2014  •  Resenha  •  752 Palavras (4 Páginas)  •  194 Visualizações

Página 1 de 4

Resenha sobre do texto: A CONSTRUÇÃO DO RETRATO VERBAL CAMONIANO: DUAS LEITURAS DO TRÍPTICO DE LEANOR de CLARICE ZAMONARO CORTEZ da UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ – PR – BRASIL, onde a autora evidencia como se constituem os personagens das obras de Camões, como se produz os cenários, os ambientes e a naturezas, a presença do eu- lírico, as concepções da mulher e do amor, liberdade, as características psicológica dos personagens, os contrastes e a irradiação entre eles.

No texto produzido por Clarisse disserta-se sobre como Camões construía suas obras, e a autora nos presenteia com duas leituras do triptico de Leanor.

Na primeira leitura do triptico de Leanor Clarisse Zamonaro Cortez, nos mostra contrastes de uma mulher perfeita, de como ela se torna um ser em equilíbrio, são mulheres linda interiormente e exteriormente, sensibilidade e inteligência, amor sensual e espiritual, são oscilações encontradas nos retratos femininos feito por Camões em suas poesias.

A autora nos mostra a fusão entre a poesia e a pintura na leitura dos textos da medida velha, ele ainda se mostra figurativo e dramático alem de simbólico e metafórico.

“Descalça vai para a fonte

Leanor pela verdura:

vai fermosa e não segura.”

Podemos observar nesse trecho do poema um contraste entre a jovem desprotegida e vulnerável, mas que tem uma aproximação com a natureza. Podemos também evidenciar a sua beleza e graciosidade, Camões faz combinações entre o rústico e o delicado.

Alem de rimas e ritmos perfeitos :

“Traz uma cinta escarlate, um sainho de chamalote, uma vasquinha de cote, uma fita vermelha nas

tranças, ao levar o pote à cabeça e, nas mãos (de prata), o testo.”

... “(pote/prata/escarlata/chamalote/cote)”

Enfatiza o ideal feminino da renascença, onde a mulher se encontra como um ser lindo, em equilíbrio, tanto no seu interior como no seu exterior,

A autora chama atenção pelos contrastes em harmonia, que sustentam a arte nessa época, de maneira serena e pacifica e também nos mostra como as obras de Camões eram cuidadosamente estudadas e montadas por ele, ele cuidava de tudo nos mínimos detalhes, rimas, ritmos, métricas e etc.

Camões nos mostra que conhece as técnicas literárias, ele sabe como fazer mudanças de tempo e de lugar, ele faz a harmonia entre a forma e o conteúdo isso se tornou uma característica renascentista, por exemplo: Ele fala do mar com palavras que remetem ao som do mar.

A autora nos faz a comparação entre a primeira e a segunda cantiga que compõe o tríptico e enfatiza, que :

“Descalça vai pola neve

assi faz quem Amor serve”

Na primeira cantiga, Leonor caminha inocentemente, livremente, em um ato sensível, já na segunda ela caminha na neve, um ato irracional, uma violência contra si

...

Baixar como (para membros premium)  txt (4.6 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com