TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

O Desenvolvimento Humano

Por:   •  21/3/2020  •  Tese  •  2.542 Palavras (11 Páginas)  •  8 Visualizações

Página 1 de 11

CAPÍTULO 5  O SETOR PUBLICO 

Liberalismo econômico na 1ªRI preconizava o livre-cambismo, livre-empresa e livre-concorrência e o estado estava limitado, por ser improdutivo, à atendimento de justiça, manutenção social, defesa nacional. Isto para que o estado esteja em equilíbrio, não entrando em superávit ou déficit.

KEYNES contesta os postulados clássicos com os argumentos de: o orçamento público pode ser deficitário ou superavitário, de acordo com a atividade econômica; o Estado pode intervir no sistema para manter pleno emprego e nível de renda, por investimento público; O pleno emprego é um fator acidental do capitalismo liberal, não sendo capaz de manter pelo simples sistema de preços do mercado; mantendo-se o pleno emprego, mantem a demanda efetiva do sistema.

Instituição pública do setor público: Órgãos administradores (produz serviço de justiça, adm pública, ordem social), Unidades produtoras de B&S (sociedade anônima, secretaria, departamento).

Formas de atuação da inst. publica: Direta (produtora por fluxo de B&S, captadora de renda autônoma ou coercitiva, utilizadora de renda em gasto público, regulamentação coercitiva instituindo dispositivos regulamentares proibitivos ou disciplinadores), Indireta (por persuasão em sentimentos “elevados” e por regulamentação indutora como apelo a interesses pessoais (isenção de imposto pra certos produtos, baixa taxa de juros etc)).

Rendas do setor público: abrange federal, estadual e municipal.

  1. Rendas tributarias (imposto direto e indireto, previdência social, taxas em serviço público)
  2. Renda derivada de atividade produtiva (lucro de empresa pública e juros de bancos públicos)
  3. Renda patrimonial (aluguel ou aplicação financeira, direitos de autor etc)
  4. Transferências (contribuições à previdência social)

Poupança liquida: financiara parte ou todo o investimento público líquido (gasto de capital)

Quanto maior o peso relativo do setor público na economia, maior possibilidade de manter o nível da demanda efetiva total do sistema, mantendo a renda/emprego.

Para aumentar produto/renda/emprego é necessário aumentar a produtividade, portanto há necessidade de aumentar a acumulação de capital. Para tal, os recursos se originam dos: Lucros das UPs (poupança do setor privado), poupança das famílias (de maior classe), saldo de transações correntes com o resto do mundo (poup do exterior) e poupança do setor publico (captação das rendas e gasto público corrente).        
Contudo, com a industrialização, a renda fiscal passa a depender mais dos impostos captados. E os problemas para isso são: baixa carga tributária, sonegação fiscal e inflação.

Consequências de não aplicar imposto direto: descompasso entre a arcaica estrutura tributária e a moderna estrutura de gasto público, déficit crônico público e emissão de papel-moeda e títulos da dívida pública.

ESTADO DESENVOLVIMENTISTA: O processo de desenvolvimento => necessidade e de acelerar a acumulação de K => o setor público é pressionado a preencher as necessidades.         
Suas ações podem ser: planejadora (diagnostico, orientação, planejamento), promotora (criação de distrito industrial, concessão de vantagem fiscal etc), executora (investimento público em infraestrutura) e financiadora (bancos de desenvolvimento).

Empresas de tipo “produção de BK”, “produção de BC”, “atvd comercial” , “atvd financeira”  e algumas do tipo “produção de insumos” são lucrativas. Mas o tipo de serviços públicos não lucra quase nada.


anotações:[pic 1][pic 2]

CAPÍTULO 6  moedas, bancos e sistema financeiro

A moeda tem função de ser unidade de conta, meio de pagamento e reserva de valor. Os banqueiros e governo tinham o poder de emitir moedas metálicas quando quisessem.

ANTES:

  • Os banqueiros emitiam recibos de depósito de ouro ou prata, que seria a moeda-papel.
  • Contudo, o papel-moeda não davam segurança aos banqueiros, mas a emissão fiduciária garantia segurança e confiança aos banqueiros.
  • Emissão fiduciária: Os banqueiros e governo tinham o poder de emitir moedas metálicas quando quisessem.
  • Padrão outro: o valor circulado de moeda tinha a quantidade equivalente em ouro.

Escambo: apenas coisas fáceis (mercadoria por mercadoria), troca imediata, precisa ter excedente.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (16.4 Kb)   pdf (173.6 Kb)   docx (21.1 Kb)  
Continuar por mais 10 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com