TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Transtorno Bipolar

Exames: Transtorno Bipolar. Pesquise 787.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  20/10/2014  •  1.788 Palavras (8 Páginas)  •  265 Visualizações

Página 1 de 8

Transtorno Bipolar

O que é?

O Transtorno Bipolar (TB), antes conhecido pelo nome de psicose maníaco-depressiva, é caracterizado por alterações de humor que se manifestam como episódios depressivos alternando-se com episódios de euforia (também denominados de mania), em diversos graus de intensidade. É uma condição médica frequente. O TB tipo I, que se caracteriza pela presença de episódios de depressão e de mania, ocorre em cerca de 1% da população geral. Considerando-se os quadros mais brandos do que hoje se denomina “espectro bipolar”, como o Transtorno Bipolar tipo II (caracterizado pela alternância de depressão e episódios mais leves de euforia - hipomania), a prevalência pode chegar a até 8% da população. Assim, estima-se que cerca de 1,8 a 15 milhões de brasileiros sejam portadores do TB, nas suas diferentes formas de apresentação.

Acredita-se que o mais comum é que a pessoa com transtorno bipolar tenha momentos depressivos, momentos de mania e momentos normais intermitentes. Isso, praticamente, deixou de existir nos dias de hoje. O mais comum é a depressão se misturar com a agitação, a mania. Seria o deprimido “workaholic”, o indivíduo, que por exemplo, foca absurdamente no trabalho ou se expande diante de uma plateia de uma maneira exagerada, mas quando sai dessa realidade entra em angústia e começa a ruminar.

A mortalidade dos portadores de TB é elevada, e o suicídio é a causa mais frequente de morte, principalmente entre os jovens. Estima-se que até 50% dos portadores tentem o suicídio ao menos uma vez em suas vidas e 15% efetivamente o cometem. Também doenças clínicas como obesidade, diabetes, e problemas cardiovasculares são mais frequentes entre portadores de Transtorno Bipolar do que na população geral. A associação com a dependência de álcool e drogas não apenas é comum (41% de dependência de álcool e 12% de dependência de alguma droga ilícita), como agrava o curso e o prognóstico do TB, piora a adesão ao tratamento e aumenta em duas vezes o risco de suicídio.

A depressão

Caracteriza-se pela presença dos seguintes sintomas: humor depressivo; autoestima baixa com sentimentos de inferioridade; capacidade física comprometida devido a grande sensação de cansaço e desânimo; fluxo de ideias bastante lento e dificuldade de concentração; perda do interesse e do prazer nas atividades; o sono também é diminuído, mas em oposição à mania, não é um sono que satisfaça, uma vez que o paciente acorda indisposto.

A mania

O estado de humor caracteriza-se por uma alegria contagiante ou uma irritação agressiva. Junto a isto se encontram alguns outros sintomas, como por exemplo: elevação da autoestima; sentimentos de grandiosidade podendo chegar à manifestação delirante de grandeza; aumento da atividade motora apresentando grande vigor físico e diminuição da necessidade de sono.

O paciente apresenta uma forte pressão para falar ininterruptamente, sem, no entanto, concluir ideia alguma. Tal de fato denominado fuga-de-ideias. Além disso, há um aumento percepção de estímulos externos levando-o a distrair-se constantemente com pequenos ou insignificantes acontecimentos alheios à conversa em andamento. Podemos citar também o aumento do interesse e da atividade sexual e o envolvimento em atividades potencialmente perigosas sem manifestar preocupação com isso.

Base Genética

O surgimento do TB está relacionado a uma série de alterações bioquímicas e moleculares em sistemas de neurotransmissão e vias de segundo mensageiros. Diversos autores apontam que a doença está relacionada a disfunções em diferentes mecanismos adaptativos a estresse em células neurais de induzir a neuroplasticidade ou neurotropismo - capacidade do sistema nervoso de alterar algumas propriedades morfológicas e funcionais em resposta a alterações do ambiente – facilitando, assim, o surgimento da doença.

Estudos apontam que alterações na regulação de aminas biogênicas dos sistemas de neurotransmissão podem estar associadas ao TB, uma vez que elas estão envolvidas na modulação sono-vigília, do apetite, de funções endócrinas e de estados comportamentais, como irritabilidade e medo, no sistema límbico – conjunto de estruturas cerebrais responsáveis por controlar emoções e que também participam do processo de aprendizado, memória e sistema endócrino. Há também alterações na regulação dos sistemas, serotonérgico, dopaminérgico e colinérgico.

Para maior entendimento acerca das alterações de suas consequências para o comportamento do indivíduo, abaixo encontram-se alguns neurotransmissores e suas áreas de estímulo:

Noradrenalina – relacionado à excitação física e mental, conhecido por promover o bom humor. Além disso, está ligado aos estados de alerta e atenção, estresse agudo, aprendizado e memória.

Serotonina – infere no humor, na ansiedade e na agressão. Sua diminuição pode ocasionar desordens no humor, depressão e desordens obsessivas compulsivas e seu aumento maior apetite e menor latência de sono.

Dopamina – controla níveis de estimulação e controle motor em muitas áreas encefálicas.

Observando o metabolismo noradrenérgico dos pacientes maníacos, há um aumento nos níveis liquóricos do metabólito da noradrenalina, e há elevação nos níveis urinários de noradrenalina. Em relação ao GABA – ácido gama-aminobutírico, principal neurotransmissor inibitório do sistema nervoso central, modula a atividade de vários neurotransmissores, tais como serotonina, dopamina e noradrenalina – nota-se a diminuição de seus níveis no cérebro, líquor e plasma. No sistema serotonérgico foram encontradas anormalidades em genes desse sistema, assim como aumento do cálcio intracelular induzido por serotonina. Polimorfismos também ocorrem em genes moduladores da formação de dopamina, o que sugere a participação do metabolismo dopaminérgico.

Vale ressaltar que o TB é uma doença multifatorial e poligênica no ponto de vista biológico, logo esses achados relacionados aos sistemas de neurotransmissão não devem ser vistos de forma isolada.

Biologia molecular

A ligação de um neurotransmissor ao seu receptor de membrana desencadeia uma cascata de processos neuroquímicos que incluem os sistemas de segundos mensageiros- moléculas envolvidas na transdução de sinais, ou seja, pelo processo através do qual uma célula converte um tipo de sinal ou estímulo em outro- e vários destes têm

...

Baixar como (para membros premium)  txt (12.8 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com