TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Vida e Obra de Winnicott

Por:   •  12/9/2017  •  Seminário  •  634 Palavras (3 Páginas)  •  530 Visualizações

Página 1 de 3

Introdução

A Vida de Winnicott

Donald Woods Winnicott nascido em 07 de abril de 1896, em Plymouth na Inglaterra.  O pai, John Frederick Winnicott era um empreendedor e estava engajado na política, sua mãe Elizabeth Martha Woods Winnicott, à exemplo da maior parte das mulheres da época, ficava à cargo da governança da casa.

Acerca de sua criação Winnicott definiu da seguinte forma: “Durante meus primeiros anos, meu pai deixava-me com grande frequência sob a guarda de minhas numerosas mães, e as coisas nunca se endireitaram completamente” ao dizer “numerosas mães” provavelmente ele se refere ao fato de ter sido criado por sua mãe, duas irmãs e uma babá.

Aos 16 anos foi enviado para um internato em Cambridge, lá iniciou seus estudos em medicina. Em 1914 na primeira guerra mundial, Winnicott, agora com 18 anos, atuou como auxiliar de enfermagem, posteriormente se alistou na marinha, sua formação em medicina viria a acontecer em 1920. Ao entrar em contato com as obras de Freud, Winnicott conclui que a psicanálise era o “caminho” que ele procurava.

Aos 27 anos de idade ele inicia um tratamento analítico com James Strachey, era o ano de 1923 e Winnicott consegue dois empregos de clínico em pediatria, sendo que o cargo no Paddington Green Children’s Hospital se tornaria o mais marcante, já que ele atuaria nesse hospital por quarenta anos. Segundo J.-D. Nasio: “Seu consultório de pediatria iria transformar-se, pouco a pouco, num consultório de pedopsiquiatria”.

A partir do inicio de 1924 os fatos mais relevantes em sua vida, excetuando-se a produção de suas obras, são:

- em 1924, ele se casa pela primeira vez;

- por volta de 1935 torna-se psicanalista habilitado da Sociedade Britânica de

Psicanálise;

- de 1935 a 1940 faz supervisão com Melanie Klein;

- em 1940 inicia uma segunda análise de dez anos com Joan

Rivière;

- ainda em 1940 inicia a análise de Erich, filho de Melanie Klein, a pedido da mesma;

- em 1948 seu pai morre, pouco tempo depois ele se divorcia;

- entre os anos de 1939-45, durante a segunda guerra mundial, torna-se psiquiatra das Forças Armadas, lá conhece assistente social em psiquiatria Clare Britton, que viria a se tornar sua segunda mulher;

- em 1951 se casa com;

- em 1954, Clare Britton é recebida por Melanie Klein em análise. Esse tratamento analítico teria fim com a morte de Melaine Klein em 1960.

Em meados de 1946 o cenário vivido pela Sociedade Britânica de Psicanálise era de uma polarização entre dois grupos que se relacionavam da forma mais antagônica possível, os annafreudianos (discípulos de Anna Freud) e os kleinianos. Havia ainda alguns psicanalistas que não se inseriam nesses grupos, resultando assim num terceiro grupo intitulado Middle Group,  nesse grupo intermediário Winnicott encontrou seu lugar.

Conforme J.-D. Nasio: “Dentro da Sociedade Britânica de Psicanálise, Winnicott ocupou diferentes cargos importantes. Em especial, foi presidente nos períodos de 1956 a 1959 e de 1965 a 1968”

Apesar de não se considerar um exímio conhecedor de Freud, Winnicott foi um grande expoente, à seu modo, do pensamento freudiano, a ponto de escrever a um colega: “Sinto-me engraçado ao ocupar a cadeira de Presidente, pois não conheço meu Freud como um Presidente deveria conhecê-lo, embora me sinta impregnado de Freud até a medula óssea”

...

Baixar como (para membros premium)  txt (4.7 Kb)   pdf (78.8 Kb)   docx (13.7 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com