TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Química - Ligações Químicas/Estequiometria/Gases

Por:   •  21/9/2014  •  1.213 Palavras (5 Páginas)  •  414 Visualizações

Página 1 de 5

-> LIGAÇÕES QUÍMICAS

ÁTOMOS ESTÁVEIS

Pela sua configuração eletrônica e energética, os gases nobres são os únicos elementos que têm oito eletróns na sua ultima camada (camada de valência) ou dois elétrons no caso do Hélio, que é uma excessão. Portanto, os gases nobres, por não precisarem fazer ligações para alcançar a estabilidade, são denominados átomos estáveis.

TEORIA DO OCTETO

Os átomos, com excessão dos gases nobres, tendem a ganhar, perder ou compartilhar elétrons até que completem a sua camada de valência com oito elétrons e alcancem a estabilidade. Para isso, os átomos dos elementos ligam-se uns aos outros, seguindo assim, a regra do octeto, criada por Lewis e Kossel. A estabilidade do átomo pode ser posta em prática através de três tipos de ligações: ligação covalente, ligação iônica e ligação metálica.

LIGAÇÃO IÔNICA

Uma ligação iônica ou eletrovalente, envolve forças eletrostáticas que atraem íons (átomos em desequilíbrio elétrico que apresentam carga positiva ou negativa) de cargas opostas. Nesse tipo de ligação geralmente ocorre a doação e o recebimento de elétrons entre dois átomos, até que alcancem a estabilidade, ou seja, oito elétrons na camada de valência. Quando os átomos de dois elementos têm ambos tendência a ceder ou a receber elétrons, não pode se formar uma ligação iônica entre eles.

Essa ligação é muito comum entre metais, principalmente das colunas 1A e 2A, porque são elementos químicos que têm tendência a perder elétrons e entre não metais, principalmente das colunas 6A e 7A, porque têm tendência a ganhar elétrons.

LIGAÇÃO COVALENTE

Uma ligação covalente é estabelecida entre átomos que podem ser iguais ou diferentes. Nessa ligação há um compartilhamento de elétrons entre dois átomos, diferente da ligação iônica, que há ganho e perda de életrons. Geralmente, a ligação covalente, ocorre entre os átomos não metais. Ao se aproximarem, os dois átomos compartilham um par de elétron em que cada um dos elétrons do par veio de um átomo diferente, no objetivo de alcançarem os oito elétrons na camada de valência.

Existe também a ligação covalente dativa ou coordenada que, assim como na ligação covalente normal, também ocorre entre ametais que compartilham elétrons. A diferença é que na dativa os átomos compartilham um par de elétrons em que os dois elétrons do par veio somente de um átomo.

LIGAÇÃO METÁLICA

Uma ligação metálica é efetuada entre vários átomos de metais que juntos formam as células, ou grades ou retículo cristalino. Alguns desses átomos perdem elétrons, e esse elétrons ficam livres na região do reticulado. Esse "passeio" que os elétrons livres fazem entre os átomos, formam uma estrutura bastante rígida que mantém esses átomos unidos. Essa atração, devido a movimentação dos elétrons, é denominada ligação metálica. Os elétrons livres pertecem a todos os átomos e por conta dessa organização algumas caracteristicas são dadas aos metais, como por exemplo, o brilho, a boa condução de eletricidade e de calor, etc.

-> ESTEQUIOMETRIA

REGRAS BÁSICAS

Estequiometria serve para quantificar substâncias que participam de uma mesma reação química, ou seja, é o cálculo das quantidades de reagentes e/ou produtos dessa reação. Os procedimentos para o cálculo são:

1º) Montar a equação química.

2º) Fazer o balanceamento da equação.

3º) Saber qual grandeza será relacionada nas perguntas do problema (massa-massa, massa-quantidade em mols, massa-volume etc.).

4º) Montar uma regra de três para chegar à resposta.

RENDIMENTO E GRAU DE PUREZA

Grau de pureza (P): O cálculo de pureza é feito para determinar a quantidade de impurezas que existem nas substâncias, já que nem todas as substâncias são puras. O cálculo do grau de pureza de uma reação química é feito a partir da massa da substância pura e a massa total da amostra. Pode ser expressa em porcentagem.

Rendimento (R): Na realização de uma reação química nem sempre é possível obter a quantidade máxima dos produtos. Neste caso, o rendimento não foi total. Isto acontece por vários motivos, como por exemplo, má qualidade dos aparelhos ou dos reagentes, falta de preparo do operador, etc.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (7.9 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com