TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A Periodização Clássica de Força e Potência

Por:   •  22/3/2020  •  Trabalho acadêmico  •  1.090 Palavras (5 Páginas)  •  7 Visualizações

Página 1 de 5

Periodização Clássica de Força e Potência:

Essa periodização segue uma linha de pensamento desenvolvida pelos cientistas do esporte e técnicos do antigo bloco soviético, é um modelo que segue que organiza intensidade e volume de treinamento, no que se refere a series e exercícios, porem ela possibilita diversas formas de variações, uma delas é a alteração no numero de repetições por serie que contribuem para alterações e variações também na intensidade e volume do treinamento planejado, o numero de repetições se baseia com o peso da repetição máxima, ou seja o teste RM sendo também possível trabalhar com pesos próximos ao resultado do RM. Após completar um ciclo de treinamento, o que é de 1 a 2 semanas, o individuo passa por um período de recuperação ativa, ou seja, treinamentos com baixa intensidade ou baixo volume, atividades leves ou até mesmo sem cargas, isso faz com que o individuo possa se recuperar melhor para seu próximo ciclo de treinamento, resulta na recuperação tanto fisiológica quanto psicológica. De acordo com Fleck (1999-2002) Comparado a outros modelos não variáveis, a periodização propicia maiores ganhos em força e potencia, é responsável também por um aumento maior de massa livre de gordura, hipertrofia muscular e diminuição na porcentagem de gordura.

Periodização Não Linear:

Também é conhecida como periodização ondulada e sua origem é desconhecida, sua criação foi estimada na década de 70 e 80, as periodizações variavam de acordo a necessidade do individuo, sendo voltadas a atletas que praticavam o futebol americano, eram preparados dois dias de treinamentos diferentes, havia dias de hipertrofia e dia de força funcional.Nos dias em que se trabalhava a força funcional, eram aplicados exercícios multiarticulares, arremessos e agachamentos, com numero de repetições menor, de 4 a 6 repetições por serie, nos dias em que se trabalha a hipertrofia, o foco era em exercícios monarticulares, como uma flexão de braço e joelho, no qual era executado com muitas repetições, 8 a 12 repetições por serie, foi observado também que era obtido melhores resultados em quando se usava um numero maior de mesociclos dentro de um macrociclo, com essa alternância nos microciclos de 4 para 2 semanas o individuo ficou exposto a uma maior variação aos estímulos.

Neste modelo a periodização pode ser organizada da seguinte forma: pode ser parecido com a periodização linear, sendo repetidos em um tempo mais curto, de acordo com Kraemer (2007) esses períodos devem ser feitos de 7 a 14 dias, Um dia o treino dando ênfase a força máxima, outro dia a hipertrofia e outro dia a resistência muscular localizada. Nesta periodização as variáveis não seguem um esquema linear, os estímulos são trocados semanalmente, exemplo, uma semana a ênfase é apenas em força máxima, a outra semana hipertrofia e na outra semana resistência muscular.

Periodização Não Linear Flexível:

Este método permite aos treinadores e também aos atletas escolherem qual o tipo de sessão de treinamento irão utilizar quando chegam ao local de treinamento, este método permite a uma analise mais eficaz no estado de fadiga do atleta no momento em que está executando os exercícios, permite o treinador averiguar melhor o estado físico do atleta no dia que o mesmo esta treinando, faz um comparativo com seu desempenho inicial relacionado com o desempenho anterior, a partir destas analises o treinador modifica ou troca a sessão de treinamento do individuo, fazendo as variações necessárias, a partir destas analises o treinador consegue planejar melhor um mesociclo, esta abordagem se encontra dentro da periodização não linear, ela pode ser aplicada em variadas situações, pode ser aplicada para uma população que busca somente a pratica do esporte e para atletas de auto rendimento profissionais.

Comparação:

Ambos modelos são capazes de oferecer diversas formas de variações a serem feitas nos planejamentos de treinamento, o Modelo clássico de força e potência resulta em ganhos e melhora na força e na potência, trabalhando sempre na diminuição do volume e aumento da intensidade, a partir do momento que um ciclo de treinamento faz progressão, a periodização não linear, alem de oferecer melhoras tanto na força quanto na potência, também produz uma melhora e desempenho

...

Baixar como (para membros premium)  txt (7.1 Kb)   pdf (41.3 Kb)   docx (9.8 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com