TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A Importância do composto de Marketing no caso da Cacau Show

Por:   •  27/4/2017  •  Trabalho acadêmico  •  1.433 Palavras (6 Páginas)  •  1.289 Visualizações

Página 1 de 6

Matriz de atividade individual*

Módulo: 4

Atividade: Unidade 6

Título: A importância do composto de Marketing no caso da Cacau Show

Aluno: Susana Schumacker

Disciplina: Introdução a Marketing

Turma: Processos Gerenciais

Introdução 

O composto de marketing, segundo Kotler, engloba tudo aquilo que a empresa pode fazer para atrair a atenção do cliente para o seu produto. Os quatro pilares do composto de marketing, mais conhecido como os quatro P’s, são: Produto, Preço, Praça e Promoção e é o equilíbrio deles que tendem a influenciar e conquistar o público.

Neste trabalho abordaremos a importância do composto de marketing, com base no case da indústria de chocolates artesanais Cacau Show, apontando como cada pilar teve sua importância para que a marca tenha se estabelecido e se mantido firme e forte no mercado, mesmo diante das crises e inseguranças.

Importância dos elementos do mix de maior relevância

Produto é tudo aquilo que a empresa oferta, afim de atender as expectativas, necessidades e desejos do seu público alvo, onde se deve ter atenção a todos detalhes e benefícios a serem oferecidos para o cliente, tais como qualidade, embalagem, estilo, design, variedade (linhas de produtos), força da marca e é preciso também estudar e compreender o seu comportamento no mercado (ciclo de vida). O produto pode ser classificado como tangível ou intangível, durável ou não durável, de conveniência, compra comparada, especialidade ou como bens de consumo ou industriais.

Fundada em 1988, pelo empreendedor Alexandre Costa, a Cacau Show tem seus produtos voltados para um público que busca a qualidade de um chocolate artesanal fino com um preço acessível. Alexandre iniciou a sua produção focado em chocolates artesanais recheados e hoje tem sua linha mais diversificada incluindo até a produção de sorvetes e tabletes de chocolate para culinária, com o propósito de não ficar sujeito a gangorra de vendas originadas dos períodos de sazonalidade de alguns produtos (páscoa, inverno, etc). Seus produtos são diferenciados, com embalagens mais finas e algumas voltadas para linha de presentes, se distinguindo dos produtos vendidos em supermercados.

O segundo pilar do composto de marketing é o Preço, do qual é formado pela influência de fatores externos e internos. Sendo os internos: custos, objetivos de marketing e estratégia do composto de marketing e os externos: mercado, demanda, concorrência e outros.

Um bom exemplo de como o mercado determina o quanto quer pagar, foi uma das crises pela qual a Cacau Show passou, onde o produto ficou com o preço final acima do que o segmento do mercado se dispunha a pagar, em razão do custo internacional do cacau. Na época, Alexandre teve que cobrir o preço do mercado e reformulou a sua estratégia de produção, alterando o tamanho e composição do produto para que pudesse continuar atendendo dentro dos preços estipulados pelo mercado.

O terceiro pilar, a Praça, é o meio utilizado para atingir o consumidor, ou seja, se diz respeito às atividades assumidas pela empresa para tornar o produto acessível e disponível para o consumidor. No caso da Cacau Show, o empresário Alexandre Costa iniciou com revendedores domiciliares e depois mudou a estratégia depois de ter verificado o alto custo para esse tipo de distribuição, em prol das comissões e prazos de pagamentos. Com o tempo o negócio mudou novamente, e em 2001 inaugurou a primeira loja da marca em Piracicaba – SP e pouco depois entrou para o franchising, onde expandiu de vez, tendo hoje mais de 1.160 lojas espalhadas por todo país. Atualmente, a Cacau Show conta também com um canal de vendas online, mostrando que a marca está sempre de olho nas tendências do mercado e no que o consumidor procura, que neste caso é maior praticidade e comodidade na hora da compra.

Por último, temos o pilar da Promoção, que é o conjunto de instrumentos de comunicação utilizados por uma empresa para atingir seus objetivos de marketing. É tudo aquilo que cria a comunicação com o cliente e o estimula ao desejo de compra, diminui seu nível de indecisão e resistência e gera o aumento de vendas nos canais de distribuição escolhidos. As ferramentas podem ser o próprio ato da venda pessoal, a propaganda, as promoções ou campanhas de vendas, as relações públicas e o marketing direto. Todas essas ferramentas servem também para estreitar e promover o relacionamento a longo com prazo com o consumidor.

Como exemplo de estratégia de marketing, temos a participação da Cacau Show nas últimas edições do Masterchef Brasil, que foi uma grande parceria, pois vinculou a marca do chocolate com um concurso de culinária que está em alta no Brasil hoje e com certeza criou mesmo que inconscientemente uma vontade do telespectador em experimentar o chocolate da marca.

Tipos de canais de distribuição – mudanças estruturais

Voltando para o tema da Praça, temos os canais de distribuição, que segundo Kotler, são os conjuntos de organizações interdependentes envolvidos no processo de tornar um produto ou serviço disponível para uso ou consumo.

Os canais têm funções transacionais, que são aquelas relacionadas a transação de compra e venda do produto; funções logísticas, que são as que dizem respeito a mover estes bens e combiná-los em quantidades que os tornem mais fáceis de comprar, essas podem ter a tarefa de armazenamento, organização, distribuição física e concentração (como os centros de distribuição); e  as funções de facilitação, que são aquelas que tornam a compra mais fácil, pode ser compra pela internet ou telefone, serviços de entrega, horários de compra, empacotamento para presente, formas de pagamento e entre outros.

Existem três tipos de canais distribuição, sendo eles: o atacadista (que não vendem para o consumidor final, e sim para outras empresas que farão a revenda desses produtos para o consumidor final), o varejista (que vendem diretamente aos consumidores) e os agentes facilitadores (que são empresas que dão suporte as tarefas de distribuição).

Como já visto anteriormente, ao longo do desenvolvimento do negócio da Cacau Show, Alexandre foi tomando algumas decisões de mudanças estruturais nos tipos de distribuição do seu negócio. Hoje tem canais diversificados, diretos ou através de intermediadores, seja a loja online, lojas físicas próprias ou da franchising, sempre buscando a melhor forma de chegar até o cliente.

Essa variedade de canais de distribuição é uma vantagem competitiva, pois agrega valor a percepção da imagem da empresa aos olhos do consumidor.

 Vantagem competitiva obtida na segmentação do mercado

A idéia de criar a Cacau Show partiu da percepção do Alexandre com relação ao mercado de chocolates artesanais finos com preços acessíveis. Na época, ou tínhamos a Kopenhagen que atendia um público de nível A e que se dispunha a pagar mais caro por seus produtos ou tínhamos doceiras caseiras, mas nada a um nível profissional e estruturado. Notando essa segmentação e um nicho do mercado inexplorado, Alexandre abriu a primeira fábrica de chocolates artesanais do Brasil direcionada a um público intermediário.

A estratégia de segmentar o mercado tem total importância para o sucesso da empresa. Segundo Kotler (1967), a segmentação do mercado, a idéia mais recente para orientar a estratégia, começa não com a distinção de possibilidades de produto, mas sim com a distinção de interesses e necessidades dos clientes. A segmentação é a subdivisão do mercado em subconjuntos homogêneos de clientes, em que qualquer subconjunto pode, concebivelmente, ser selecionado como meta de mercado a ser alcançada com um composto de marketing distinto.

Com a segmentação, a empresa consegue ter melhor foco e definir melhor a sua estratégia de marketing, conseguindo produzir bens direcionados por certas classes de compradores, ter pontos de vendas e campanhas publicitárias que se comuniquem diretamente com esse público e com isso também ganha mais proximidade com o consumidor final.

Conclusão

Com isso, podemos concluir sobre a importância de se colocar no lugar do consumidor, de pensar como ele, ouvi-lo, captar todos os seus sinais para assim poder atender suas necessidades e desejos. É o mercado que dita o preço e define o que quer e como quer. A empresa deve sempre procurar maneiras de melhor extrair essas informações para definir melhor a sua estratégia de marketing.

A Cacau Show mostra que o equilíbrio dos pilares do composto de marketing é o que fez com que a marca tenha se mantido firme e forte no mercado, apesar de todas as dificuldades.

Referências bibliográficas

FERREIRA, Afonso. Dono da Cacau Show começou vendendo chocolates em Fusca. Disponível em https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2012/09/24/dono-da-cacau-show-comecou-vendendo-chocolates-em-fusca.htm. Acesso em 09/03/2017.

Cacau Show no Masterchef Brasil. Disponível em http://www.cacaushow.com.br/novidades/cacau-show-no-masterchef-brasil. Acesso em 09/03/2017.

O caso Cacau Show. Extraído de Gracioso, 1995.

LOPES, Isca José. A segmentação de mercado como estratégia de marketing. Disponível http://moodle.fgv.br/. Acesso em 09/03/2017.

ABDALA NETO, João. Principais apontamentos do gerenciamento do mix de produtos. Disponível em http://moodle.fgv.br/. Acesso em 09/03/2017.

*Esta matriz serve para a apresentação de trabalhos a serem desenvolvidos segundo ambas as linhas de raciocínio: lógico-argumentativa ou lógico-matemática.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (9.6 Kb)   pdf (143.9 Kb)   docx (55 Kb)  
Continuar por mais 5 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com