TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

RELEVÂNCIA DA ESPIRITUALIDADE NO TRATAMENTO DE PACIENTES COM TRANSTORNOS MENTAIS

Por:   •  11/6/2016  •  Trabalho acadêmico  •  2.610 Palavras (11 Páginas)  •  279 Visualizações

Página 1 de 11

    FACULDADE INTERNACIONAL DA PARAÍBA

STHEFANI SOUSA

RELEVÂNCIA DA ESPIRITUALIDADE NO TRATAMENTO DE PACIENTES COM TRANSTORNOS MENTAIS

JOÃO PESSOA- PB

2016

STHEFANI SOUSA

RELEVÂNCIA DA ESPIRITUALIDADE NO TRATAMENTO DE PESSOAS COM TRANSTORNOS MENTAIS

Projeto de pesquisa apresentado ao Comitê de Ética da Faculdade Internacional da Paraíba, como exigência para a obtenção da permissão para execução do estudo.

           ORIENTADOR: NEYCE DE MATOS

JOÃO PESSOA- PB

2016

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO....................................................................................................3

1.1 OBJETIVOS.....................................................................................................5

1.1.1 Objetivos gerais...........................................................................................5

1.1.2 Objetivos específicos...................................................................................5

2. REFERÊNCIAL TEÓRICO..................................................................................6

2.1 HISTÓRICO E CONCEITOS DE SAÚDE MENTAL E ESPIRITUALIDADE................................................................................................6

2.2 CONTRIBUIÇÃO DA RELIGIÃO PARA ALCANÇAR A ESPIRITUALIDADE.................................................................................................7

3. METODOLOGIA................................................................................................10

3.1 CARACTERIZAÇÃO DA PESQUISA................................................................10

3.2 ETAPAS DA PESQUISA.................................................................................10

4. CRONOGRAMA................................................................................................12

5. ORÇAMENTO.................................................................................................13

REFERÊNCIAS...................................................................................................14

1.INTRODUÇÃO

A espiritualidade vem sendo colocada em pauta ao longo dos tempos, pois há interesse em entender a sua relação com a progressão dos pacientes em seus quadros patológicos, leva- se em consideração que ela traz ao indivíduo reflexões e respostas ao sentido da vida. No contexto atual passou a ser discutida em âmbito científico ao identificar sua direta influência na qualidade de vida, o interesse pelo assunto traz diversas pesquisas e discussões sobre o tema na literatura.

Pode- se analisar que é uma realidade bem presente no universo da saúde mental, muitas vezes pessoas/pacientes acometidos por uma depressão, ou outro transtorno que venha a fazê-los perder a auto-estima e muitas vezes se isolar do convívio social, passam por um tratamento longo que exige dedicação, quando possuem consciência da importância e do valor de sua vida eles buscam e colaboram com as terapias, expressam esperança e força de vontade em alcançar a cura. No entanto, é perceptível que aquelas pessoas que não vêem mais sentido na vida, que enxergam apenas o vazio da existência, preferem se entregar a doença não aceitam intervenções e muito menos ajuda daqueles mais próximos ou até mesmo de um profissional da saúde que esteja disponibilizado em ajudar.

Koenig (2012), afirma que a espiritualidade praticada com devoção é fundamental para uma boa saúde mental, dando propósito e significado a vida.

Diante do exposto surgem questionamentos sobre esse processo de interação entre Saúde Mental X Espiritualidade, como: Existe relevância na prática da espiritualidade ao paciente com Sofrimento Mental? Qual as respostas dos pacientes à pratica da espiritualidade?

O interesse em pesquisar sobre o tema se deu em determinado período, onde um ente querido muito próximo apresentou um quadro de transtorno mental, e foi possível observar o sofrimento que passa o paciente e seus familiares, primeiramente a dificuldade da própria pessoa em assumir sua patologia e em aceitar ajuda, em querer restabelecer sua saúde mental, também existe um grande déficit no apoio e na orientação tanto ao paciente quando a família sobre a doença e em como lidar e estimular de acordo com os sintomas e as dificuldades apresentadas.

No decorrer do tempo analisando as condutas aplicadas, a interação dos profissionais e principalmente a negação em aceitar as terapias e a falta de vontade de viver, foi identificado o déficit primeiramente nos profissionais da área de saúde mental, eles em sua grande maioria não observam o indivíduo como uma pessoa que possue sentimentos, como um ser emocional que além de um organismo prejudicado há uma mente perturbada, e talvez até uma pessoa que perdeu a vontade de viver. Como ajudar alguém se não o vê como um todo?

Acredita- se que a implementação de terapias que busquem estimular o indivíduo a refletir sobre o sentindo da vida, venha a surtir um bom efeito e a trazer a melhora do quadro no paciente como mais eficiência.

1.1OBJETIVOS

1.1.1Objetivos gerais

O estudo tem por objetivo abordar sobre a importância do incentivo a práticas espirituais, para o tratamento de pacientes com transtornos mentais.

1.1.2Objetivos específicos

Abordagem espiritual durante o tratamento;

Identificação da relação entre a Espiritualidade e a melhora no quadro clínico do paciente;

Demonstrar a importância de um olhar mais humano para estes pacientes.

2. REFERÊNCIAL TEÓRICO

2.1. HISTÓRICO E CONCEITOS DE SAÚDE MENTAL E ESPIRITUALIDADE

           O modelo de atenção em saúde mental passou por grandes mudanças na década de 70, impulsionadas pela crise no modelo assistencial, que se resumia apenas a internação em hospitais psiquiátricos, onde o tratamento era desumano e violento, acreditava- se que se tratavam de "loucos".

O movimento psiquiátrico no Brasil era formado por profissionais da saúde, familiares, sindicatos e até mesmo pessoas com longo histórico de internação (BRASIL, 2005), nesse sentido, a Reforma Psiquiátrica referiu-se à ruptura da centralidade do procedimento psiquiátrico que separava do convívio social parte da população considerada doente mental, os restringiam de ser livres e andarem pelas ruas, eram encarcerados e maltratados até a morte. Seguindo no modelo Italiano de mudanças iniciado por Franco Basaglia, proposta seria por desinstitucionalização das pessoas com sofrimento mental, e, humanização no tratamento buscando novos modelos assistenciais.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (19.9 Kb)   pdf (147.9 Kb)   docx (20 Kb)  
Continuar por mais 10 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com