TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A Saída Temporária

Por:   •  12/8/2019  •  Artigo  •  1.336 Palavras (6 Páginas)  •  6 Visualizações

Página 1 de 6

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA 2 VARA CRIMINAL DA COMARCA DE COLATINA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO.

PROCESSO N. 0004840-85.2018.8.08.0014

WELLINGTON DE SOUZA ARAÚJO, já qualificado nos autos em epígrafe, vem respeitosamente à presença de Vossa Excelência, nos autos da execução criminal, por seu advogado que esta subscreve, requerer PERMISSÃO DE SAÍDA TEMPORÁRIA PARA O DIA DOS PAIS, pelos fatos e fundamentos a seguir delineados.

  1. DOS FATOS E DO DIREITO

O reeducando fora recolhido à prisão para dar início ao cumprimento de sua pena no dia 30/03/2018, incurso por infração aos artigos 28 da lei de drogas, bem como ao artigo 157, caput do código penal brasileiro, sendo condenado a uma pena de 4 anos e 9 meses, em regime inicial fechado, consoante processo 0017364-22.2015.8.08.0014, que tramitou na vara da fazenda pública municipal da Comarca de Colatina, e no processo 003266-27.2018.8.08.0014, que tramitou na 4 Vara Criminal da Comarca de Colatina, no Estado do Espírito Santo.

Por ocasião de sua entrada no lapso para a progressão de regime, eis que em 07/05/2019 lhe foi concedida a progressão para cumprimento de pena no regime semiaberto, em que se encontra atualmente.

Considerando que o Requerente apresenta conduta carcerária compatível com o benefício, eis que preenche os requisitos para sua concessão, consoante inteligência do artigo 123 da LEP:

Art. 123-A autorização será concedida por ato motivado do juiz da execução, ouvidos o Ministério Público e a administração penitenciária, e dependerá da satisfação dos seguintes requisitos:

  1. Comportamento adequado.
  2. Cumprimento no mínimo de um sexto da pena, se o condenado for primário, e um quarto, se reincidente.
  3. Compatibilidade do benefício com os objetivos da pena.

Ademais, o requerente está privado do convívio de seus familiares há mais de um ano, bem como, a importância da concessão do benefício para sua ressocialização.

Sobre o terceiro requisito do presente artigo, eis que a compatibilidade do benefício resta presente, visto que se aproxima o feriado do dia dos pais, tendo o requerente esperança de poder partilhar este momento com sua família.

A saída temporária destina-se a estimular o processo de integral ressocialização da pessoa condenada (JÚLIO FABBRINI MIRABETE, Execução Penal, P-311/312, 2. Ed., 1988, Atlas). Leciona Mirabete, inclusive, que “A primeira hipótese prevista na lei é a visita à família, na qual se inclui, evidentemente, não só o cônjuge, como também os ascendentes, descentes, irmãos, ou outros familiares próximos quando inexistentes ou ausentes aqueles. Abrange o dispositivo a visita à companheira, que faz parte da família do preso, máxime na união estável, protegida pela constituição Federal.

Assim, já decidiu o tribunal de justiça de Minas Gerais, que a autorização tem vasta abrangência já que permite qualquer atividade, ainda que recreativa, artística ou esportiva, que possa colaborar com as medidas destinadas ao processo de reintegração social do condenado (TJ-MG, AG 2773371100-1. C. CRIM- Relatora Desembargadora Márcia Milanez, julgado em 10/12/2002). Portanto, preenchido os requisitos objetivos e subjetivos, resta claro que não há óbice para a concessão do benefício.

Cita-se entendimento do tribunal de justiça do Pará neste sentido:

“A saída temporária para a visita a família tem previsão no art. 122, inciso I, da lei 7.210/84 (lei de execuções penais). No caso concreto, verifica-se que o (a) apenado (a) preenche todos os requisitos legais, conforme se extrai da certidão carcerária emitida pela direção da casa penal onde se encontra custodiado, a qual atesta ser possuidor de bom comportamento (fls. 21/22). Diante do exposto, DEFIRO O PEDIDO de saída temporária para o fim de o (a) Requerente visitar a família no feriado da semana santa, com a saída do Centro de Recuperação de Paragominas no dia 21/04/2009 às 8:00 horas e retorno no dia 28/04/2009 até às 17 horas. (TJ-PA, autos n. 039.2011.000232-8, Juíza SHÉRIDA KEILA PACHECO TEIXEIRA (19/04/2011).

  1. DO CUMPRIMENTO DE 1/6 DA PENA PARA SAÍDA TEMPORÁRIA. DA DESNECESSIDADE DE CUMPRIMENTO. SÚMULA E ENTENDIMENTO DO STJ.

O paciente cumpriu boa parte das exigências do art. 123 da lei de execuções penais para a obtenção do direito de saída temporária.

Contudo, não foi satisfeito o requisito de cumprimento de 1/6 da sua pena, pois a progressão de regime foi concedida em 07/05/2019.

A questão deve ser analisada com certo tempero, posto que a saída temporária é concedida exclusivamente para os presos em regime semiaberto. Forçoso reconhecer que o cumprimento de 1/6 da pena já permite a modificação do regime para o aberto. Conclui-se assim, que tal exigência do lapso temporal tornará a concessão do benefício inócua, pois não necessitará de autorização alguma no regime aberto.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (8.8 Kb)   pdf (78.9 Kb)   docx (11.9 Kb)  
Continuar por mais 5 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com