TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Foro de Sao Paulo

Por:   •  11/9/2015  •  Artigo  •  2.159 Palavras (9 Páginas)  •  209 Visualizações

Página 1 de 9

FUMEC – BH

FACULDADE DE CIENCIAS HUMANAS, SOCIAIS E DA SAUDE

CURSO: DIREITO

PROFESSOR: RICARDO SACCO

ALUNO: FABRICIO DE FREITAS MACHADO

“A ameaça de totalitarismo na América Latina”

No que se refere a uma reunião periódica denominada "Foro de São Paulo", faça um trabalho respondendo detalhadamente as perguntas:

1- Quando foi criado?

O Foro de São Paulo consiste em uma organização criada em 1990, após um seminário internacional de caráter e cunho esquerdista. Sua primeira reunião foi organizada na cidade de São Paulo, durante a segunda metade do ano de 1990.

2- Quais os organizadores?

Encabeçando a lista de organizadores do Foro de São Paulo, encontra-se o Partido dos Trabalhadores do Brasil, partido político de caráter esquerdista na época da primeira organização do evento, juntamente a Fidel Castro, um dos grandes líderes do pensamento de esquerda na América Latina e outros grupos e organizações de esquerda convidadas pelos principais organizadores do Foro de São Paulo.

3- Quais seus objetivos?

Os principais objetivos do Foro de São Paulo desde sua criação consistem no debate e na discussão de políticas que sejam alternativas às políticas de caráter neoliberal, principalmente em relação à política realizada pelos Estados Unidos na América Latina pós-queda do muro de Berlim, bastante combatida por esses grupos esquerdistas. De acordo com os representantes do Foro de São Paulo, a principal diferença do desenvolvimento dos Estados Unidos e países europeus estariam na política externa radical adotada por esses países em detrimento dos países latino-americanos, que de acordo com o Foro de São Paulo, teve sua cultura, história e identidade exploradas de modo que sua autodeterminação e seu desenvolvimento fossem comprometidos em virtude da política externa desses países.

Além disso, o Foro tem a intenção de promover uma integração econômica, política e cultural nas regiões que se colocam competentes para tal, supondo uma melhoria em relação à política internacional latino-americana frente aos países desenvolvidos. A partir dessa integração, os países latino-americanos teriam maior autonomia de suas decisões políticas e econômicas, que de acordo com o Foro de São Paulo, sofrem influência direta da política externa de países desenvolvidos.

Outro ponto marcante do Foro de São Paulo consiste na suposição de uma defesa em relação aos países marginalizados da América Latina, muitos deles marcados por atividades referentes ao narcotráfico e atividades criminosas, o que parece ser um objetivo ambíguo, visto que organizações desse tipo fazem ou já fizeram parte da composição do Foro de São Paulo.

4- Quais organizações, partidos, Estados e entidades participam dele?

Em suma, organizações, partidos, Estados e entidades de caráter esquerdista, porém com algumas diferenças em suas ações, principalmente no tocante à ação militar. Alguns desses partidos de esquerda alcançaram o poder executivo dos países participantes nos últimos anos, como Venezuela, Brasil, Cuba, Chile, Equador, Peru, entre outros. Aqueles partidos de esquerda que não tiveram sua candidatura ao maior cargo executivo disponível realizam oposições de forte tendência e muitas deles de cunho militar e terrorista, como na Colômbia, onde há forte oposição de grupos de esquerda, e ex-participantes do Foro de São Paulo como as FARC. Segundo a organização do foro, mais de 100 partidos e organizações participam ou já participaram dos seminários e debates organizados, incluindo partidos de extrema-esquerda, sindicais, esquerda católica, ambientalistas, organizações de cunho nacionalista, entre outras.

5- Descreva o que representam as FARC, qual sua fonte de recursos e qual a sua participação no evento.

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia consiste numa organização de caráter comunista e guerrilheira, que defendem o direito de presidiários colombianos e realizam oposição ao governo colombiano. A organização colombiana teve sua origem na oposição e na disputa pelo poder político contra os conservadores da Colômbia. Porém, seu caráter extremamente guerrilheiro e armamentista fez com que a organização perdesse seu caráter político, enquanto propagaram-se a partir dos anos 1980, notícias de que as FARC estariam envolvidas com o tráfico de entorpecentes em toda a América Latina, mostrando o caráter ilegal e imoral da organização. Apesar de pertencerem a um evento como o Foro de São Paulo, onde se compõem diversos países de oposição aos Estados Unidos, o país é um dos maiores clientes de revenda referente ao tráfico de drogas das FARC. Sua participação no Foro de São Paulo após 2002 foi excluída, após se rejeitarem a aceitar uma proposta de paz para estabilização política na Colômbia e se infiltraram no narcotráfico e nos sequestros a fim de financiarem sua causa e prover sua principal fonte de recursos. Vale ressaltar a ilegalidade da atividade, além do terror executado pelos guerrilheiros que realizam atividades criminosas como forma de oposição política, colocando pressão não só nos governos, mas em toda a população. De acordo com Olavo de Carvalho, esses grupos defendem a causa de marginalizados, presidiários e indivíduos de cunho criminoso através do próprio terror instaurado por esse grupo, enquanto o cidadão de bem sofre com a pressão e desordem causado por esse grupo, dificultando uma união da população em prol do bem estar comum. A partir do momento que cidadãos marginalizados conseguem uma melhoria de vida, seja financeira ou individual, toma-se a prática do terror como justificativa para manter suas atividades ilícitas, além de infiltrarem em um dos comércios mais rentáveis e ilegais de todo o mundo. As ligações entre o grupo terrorista e o partido principal do Foro de São Paulo, Partido dos Trabalhadores do Brasil, têm sido bastante debatidas nos últimos anos, visto o quadro de crimes cometidos pela associação, em contato com o partido político de maior cargo executivo da América Latina. Além disso, táticas de guerrilha foram difundidas entre a população marginalizada a fim de conquistarem melhores condições de vida nesses países. Porém, em algumas reuniões supõe-se que as FARC tenha tido sua participação barrada no evento pelo Partido dos Trabalhadores do Brasil, principalmente após a veiculação de práticas de guerrilhas e do terror causado pela organização.

6- Qual a participação da República Bolivariana da Venezuela no evento?

A Republica Bolivariana da Venezuela é palco de experiências de caráter esquerdista na América Latina. O termo bolivarianismo ficou bastante conhecido pelo ex-presidente venezuelano Hugo Chávez, ao assumir a república em 1998, se auto afirmando como seguidor das ideias de Simon Bolívar. A proposta de Chávez consistia numa reforma bolivariana, onde até mesmo a Constituição da Venezuela foi alterada para os termos em questão, além de outras medidas tomadas para favorecer o governo de Chávez, bastante polêmico por haver desconfianças acerca de suas práticas ilícitas políticas. Dentre as ideias bolivarianas, encontra-se o rechaço à política externa de países discordantes do ideal bolivariano, além da integração econômica e política dos países da América Latina, ideia que figurou o Foro de São Paulo após Hugo Chávez assumir o caráter bolivariano de seu governo. Porém, muitas dessas ideias foram questionadas, assim como o próprio Foro de São Paulo. A Venezuela serviu como palco de experiências de políticas ditatoriais de esquerda, onde os fins políticos justificam os meios para consegui-lo. Vale ressaltar o poder de barganha existente no país, um dos maiores produtores petrolíferos do mundo, porém mal explorada pelo governo, que preferiu optar pela pressão e perseguição política aos opositores juntamente a grupos armados guerrilheiros, além do aumento da criminalidade em todo o país, que ao participar do Foro de São Paulo expressou sua influência nessa prática criminosa a outros países como Bolívia, Peru e Brasil. A experiência política venezuelana é considerada fracassada mediante o abuso do poder ditatorial e da intensa perseguição a qualquer tipo de oposição realizada ao governo implantado e iniciado por Chávez, justificando o terror utilizado no país. O desequilíbrio social ainda é forte, além do aumento da inflação a produtos básicos necessários à população. Essa experiência revela o caráter de desequilíbrio existente entre os que estão no poder e o cidadão de bem venezuelano.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (14.9 Kb)   pdf (109.4 Kb)   docx (16.2 Kb)  
Continuar por mais 8 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com