TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

SEMANA 11 - PRATICA SIMULADA II

Por:   •  24/5/2017  •  Trabalho acadêmico  •  1.584 Palavras (7 Páginas)  •  1.137 Visualizações

Página 1 de 7

EXCELENTÍSSIMO DOUTOR JUIZ DA 99ª. VARA DO TRABALHO DA COMARCA DA REGIÃO DO SALVADOR – BAHIA

RECURSO ORDINÁRIO

Processo nº ...

              AERODUTO – EMPRESA PÚBLICA DE GERENCIAMENTO DE AEROPORTOS, já devidamente qualificada nos autos do processo que lhe move PAULO, vem, de forma tempestiva e respeitosa, através de seus patronos abaixo signatários, à presença de Vossa Excelência, diante de sua inconformidade com a r. Sentença que julgou procedentes os pedidos aduzidos pelo Reclamante no processo supra descrito, interpor o presente RECURSO ORDINÁRIO para o Egrégio Tribunal Regional do Trabalho, pelo qual junta à presente as suas razões de recurso, nos termos do artigo 895, I da norma consolidada, requerendo seja recebido, processado e remetido para julgamento do insigne Tribunal Regional do Trabalho da ... Região.

Seguem comprovantes de recolhimento do depósito recursal e das custas arbitradas.

Termos em que pede e espera deferimento.

Local/Data.

Advogado - OAB

RAZÕES RECURSAIS

COLENDO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA ... REGIÃO

RECURSO ORDINÁRIO

Processo nº ...

Recorrente: AERODUTO – EMPRESA PÚBLICA DE GERENCIAMENTO DE AEROPORTOS.

Recorrido: PAULO

I. RAZÕES DO RECURSO ORDINÁRIO

      Inobstante o reconhecido saber do Juízo a quo prolator da r. Sentença que ora se discute, merece reforma a decisão que deu provimento à reclamação interposta e concretizada no processo supra descrito, ante os fatos e fundamentos jurídicos abaixo declinados:

II. RESUMO PROCESSUAL

       Trata-se de Reclamação Trabalhista movida por Paulo em desfavor de Aeroduto Empresa Pública de Gerenciamento de Aeroportos na qual o Recorrente foi condenado ao pagamento de adicional de insalubridade em grau máximo, bem como de incidência de correção monetária sobre o valor do salário mensal pago após a “virada do mês”.

        É esta a sinopse que se apresenta do procedimento que se passa a discutir.

III. DA PRELIMINAR DE NULIDADE DA SENTENÇA, POR CERCEIO DE DEFESA

        Requer a nulidade da sentença, por cerceamento de defesa, em virtude do indeferimento da oitiva da testemunha requerida pela Ré.      

        Requer ainda a nulidade da sentença, por cerceamento de defesa, em virtude do indeferimento da prova pericial, nos termos do art. 5º, LV, CRFB/88.

Art. 5. Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

LV. aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes:

IV. DA INSALUBRIDADE.

        Excelências, o ADICIONAL DE INSALUBRIDADE deferido pelo Exmo. Juiz a quo, data vênia, é indevido, eis que não houve qualquer perícia que através de laudo ambiental documentasse as condições do ambiente e do trabalho do Reclamante.

        Ou seja, nobre magistrado, não pode prosperar a sentença que condenou a Recorrente ao pagamento do adicional de insalubridade, uma vez que a perícia é obrigatória para comprovação da insalubridade nos termos do art. 195, §2º, da CLT OU OJ nº 278, da SDI-I, TST.

        O artigo 195 caput e parágrafo 2º da CLT DETERMINA A REALIZAÇÃO DE PERÍCIA nas hipóteses em que é arguida, judicialmente, o direito ou não ao referido adicional. Seguem transcritos trechos do artigo mencionado:

Art. 195. A caracterização e a classificação da insalubridade e da periculosidade, segundo as normas do Ministério do Trabalho, far-se-ão através de perícia a cargo do Médico do Trabalho ou Engenheiro do Trabalho, registrados no Ministério do Trabalho.

§ 2º. Arguida em juízo insalubridade ou periculosidade, seja por empregado, seja por Sindicador em favor de grupo de associado, O JUIZ DESIGNARÁ PERITO HABILITADO NA FORMA DESTE ARTIGO, e, onde não houver, requisitará perícia ao órgão competente do Ministério do Trabalho.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (9.6 Kb)   pdf (110.9 Kb)   docx (15.8 Kb)  
Continuar por mais 6 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com