TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Biografia Berlusconi

Artigos Científicos: Biografia Berlusconi. Pesquise 787.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  6/4/2013  •  1.073 Palavras (5 Páginas)  •  925 Visualizações

Página 1 de 5

Biografia

Família

Nascido em Milão, em 1936, é o mais velho dos três filhos de uma família de classe média-baixa milanesa. O pai, Luigi Berlusconi (n. 1908 - m. 1989), era bancário e, a mãe, Rosa Bossi era dona-de-casa (n. 1911 - m. 2008). Francesca Berlusconi (n. 1943 - m. 2009) e, Paolo Berlusconi(n. 1949) são os restantes filhos. Casou pela primeira vez em 1965 com Carla Elvira Dall'Oglio, de quém teve dois filhos: Marina (n. 1966) e Pier Sílvio (n. 1968). Casou pela segunda vez em 1990, com Veronica Lario, de quem teve três filhos, porém ainda antes do casamento: Barbara (n. 1984), Eleonora (n. 1986) e, Luígi (n. 1988). Separou-se de Verónica em 2009.[1]

Vida política e profissional

Berlusconi foi líder do partido político Força Itália, fundado por ele na sua entrada na vida política, é atualmente presidente do partido sucessor O Povo da Liberdade e o proprietário do império italiano de media Mediaset, além de ter controle dos principais meios de comunicação do país[2] e ser dono de bancos, empresas de entretenimento e presidente do AC Milan. A revista Forbes o cita como a segunda pessoa mais rica da Itália e 74º homem mais rico da Europa, com uma fortuna pessoal estimada em quase 9 bilhões de dólares.

Esteve quase sempre no poder desde 10 de maio de 1994, chegando ao cargo de primeiro-ministro três vezes.

Tem sido acusado diversas vezes de corrupção e ligações com a Máfia, mas firmou a lei mais eficiente contra mais perigosos mafiosos, 41bis. Em muitos aspectos o seu último governo foi o mais eficiente contra a máfia depois de Mussolini.

Gerou grande polémica na Europa ao apoiar a Guerra dos Estados Unidos contra o Iraque, em 2003. Berlusconi disse que tentou dissuadir o seu amigo Bush de invadir o Iraque mas depois da entrada em guerra mandou o primeiro navio com ajudas humanitárias e apoiou os americanos contra uma grande oposição da esquerda italiana.

A 31 de Janeiro de 2005 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.[3]

Silvio Berlusconi é também líder da coligação Casa das Liberdades e foi derrotado por Romano Prodi nas eleições legislativas de 2006 para a disputa da chefia do governo da Itália.

Entre 16 e 18 de novembro de 2007 Berlusconi organizou uma petição popular pela antecipação das eleições. Em 18 de novembro durante um comício na praça San Babila em Milão, Berlusconi anunciou a dissolução de Força Itália e a criação do Popolo della Libertà (Povo da Liberdade).

Em 14 de abril de 2008 a coligação formada pelo Popolo della Libertà, Liga Norte e Movimento per l'Autonomia, apoiando a candidatura de Silvio Berlusconi a Presidente do Conselho de Ministros, venceu as eleições com ampla maioria no Parlamento. conquistando 46,8% (340 cadeiras) na Câmara e 47,3% (168 cadeiras) no Senado, com quase nove pontos percentuais à frente dos adversários do Partido Democrático.

Em 11 de março de 2010, o Senado italiano aprovou uma lei que impede que ele compareça diante da Justiça para responder aos processos de corrupção e fraude, pelos quais é acusado[4][5].

O primeiro-ministro compara, entretanto, o Judiciário italiano ao Taleban e diz ser perseguido[6].

Em 8 de novembro de 2011 Silvio Berlusconi aceitou renunciar assim que as reformas econômicas entrassem em vigor.[7]

Em 12 de novembro de 2011 Berlusconi renunciou ao cargo de primeiro-ministro da Itália.[8]

Agressões

A 31 de dezembro de 2004, em Roma, foi atacado por um homem que o golpeou na cabeça, com um tripé, o que causou uma ferida na face.

No dia 13 de dezembro de 2009, durante um comício em Milão, foi agredido por Massimo Tartaglia, com uma reprodução metálica da Catedral de Milão, que lhe fracturou o nariz e partiu-lhe dois dentes. O agressor, que se encontra em tratamento psiquiátrico desde 1999, foi imediatamente detido.[9]

Polêmicas e acusações

As controvérsias têm marcado nomeadamente os seus governos. A revolta suscitada pela Lei Alfano

...

Baixar como (para membros premium)  txt (6.9 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com