TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

2º Etapa ATPS Banco DeDados

Monografias: 2º Etapa ATPS Banco DeDados. Pesquise 785.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  13/6/2013  •  2.432 Palavras (10 Páginas)  •  363 Visualizações

Página 1 de 10

ETAPA 03 – PASSO 01

O Modelo Relacional

A arquitetura de um banco de dados relacional pode ser descrita de maneira informal ou formal. Na descrição informal estamos preocupados com aspectos práticos da utilização e usamos os termos: Tabela, Linha e Coluna.

Na descrição formal estamos preocupados com a semântica formal do modelo e usamos termos como relação (tabela), tupla (linhas) e atributo (coluna).

Tabelas (ou Relações, ou Entidades)

Todos os dados de um banco de dados relacional (BDR) são armazenados em tabelas. Uma tabela é uma simples estrutura de linhas e colunas. Em uma tabela, cada linha contém um mesmo conjunto de colunas.

Em um Banco de Dados podem existir uma ou centenas de tabelas, sendo que o limite pode ser imposto tanto pela ferramenta de software utilizada, quanto pelos recursos de hardware disponível no equipamento.

As tabelas associam-se entre si através de regras de relacionamentos, estas regras consistem em associar um ou vários atributos de uma tabela com um ou mais atributos de outra tabela.

Exemplo: A tabela cadastro relaciona-se com a tabela vaga no estacionamento. Através deste relacionamento está última tabela fornece a lista de vagas para a tabela cadastro.

Registro (ou Tuplas)

Cada linha formada por uma lista ordenada de colunas representa um registro, ou tupla. Os registros não precisam conter informações em todas as colunas, podendo assumir valores nulos quando assim se fizer necessário.

Exemplo: O cliente cpf_proprietario é uma instância (registro) da tabela cadastro, e a nro_vaga é uma instância (registro) da tabela vaga do estacionamento. Uma associação entre estas duas tabelas criaria a seguinte instância de relacionamento: cpf_proprietario e o nro_vaga, onde o verbo ser representa uma ligação entre os registros distintos.

Colunas (Tribunas)

As colunas de uma tabela são também chamadas de Atributos. Ao conjunto de valores que um atributo pode assumir chama-se domínio. O conceito mais similar a um domínio é o de Tipo abstrato de Dados em línguas de programação, ou seja, meta-dados (dados acerca de dados).

Exemplo: cpf_prprietario, ano_veiculo, placa_veiculo, nro_ficha, telefone(s), nro_ficha, nro_vaga.

Chaves

As tabelas relacionam-se umas às outras através de chaves. Uma chave é um conjunto de um ou mais atributos que determinam uma unicidade de cada registro.

Por exemplo, se um banco de dados tem como chave nro_vaga e nro_ficha, sempre que acontece uma inserção de dados ou sistema de gerenciamento de banco de dados irá fazer uma consulta para identificar se o registro já não se encontra gravado na tabela. Neste caso, novo registro não será criado, resultando esta operação apenas da alteração do registro existente.

A unicidade dos registros, determinada por sua chave, também é fundamental para a criação dos índices.

Temos dois tipos de chaves:

Chave Primária: (PK – Primary Key) é a chave formada através de um relacionamento com a chave primária de outra de outra tabela. Define um relacionamento entre as tabelas e pode ocorrer repetidas vezes. Caso a chave primária seja composta na origem, a chave estrangeira também o será.

Chave Estrangeira: (FK – Foreign Key) é a chave formada através de um relaciona mento com a chave primária de outra tabela. Define um relacionamento entre as tabelas e pode ocorrer repetidas vezes. Caso a chave primária seja composta na origem, a chave estrangeira também será.

PASSO 02

Grande parte das extensões aproximaram o MER do Modelo Orientado à Objetos, não sendo muito utilizado, pois os SGBD’s relacionais não suportam diretamente extensões, se faz necessário antes de implementar, mapear estas extensões para o MER original.

Uma limitação do modelo ER, é que não é possível expressar relacionamentos entre relacionamentos.

A agregação é uma abstração através das quais relacionamentos são tratados como entidades de nível superior.

PASSO 03

Usando Agregação

Identificamos que há nesta forma descrita na figura uma co-relação entre suas entidades e relacionamentos, sendo possível relacionar todos eles. Sendo assim as entidades não são tratadas de uma forma superior como na relacional.

PASSO 04

RELATORIO 03

Bem como em relatórios anteriores, se fazendo em comum todo o assunto tratado, foram importante para que se desenvolvessem alguns conceitos, neste, não se fazendo diferente, pois nossa equipe desenvolveu conceitos do Modelo Relacional, sendo aplicados e demonstrados na forma de representação gráfica de um banco de dados, sendo assim mapeados os Modelos (DER e Modelo relacional).

Descrevendo todos os itens que as compõem, na forma de uma estrutura Relacional, apontando funções e as relacionando com as entidades propostas no projeto. Descrevendo limitações existentes na execução do processo de Mapeamento do modelo MER para o Relacional.

Criando representações gráficas e demonstrando conversões do DER em Modelo Relacional e assim vice-versa, descrevendo tais processos passo-a-passo. Apresentando sempre o ponto de vista na facilidade de compreensão da modelagem e estrutura funcional, por parte da equipe.

ETAPA 04 – PASSO 01

Relatório

Assim como os relatórios que foram apresentados anteriormente, se faz comum o assunto tratado, foram importante para se desenvolver algum conceito, não se fazendo diferente pois nossa equipe desenvolveu conceitos do Modelo Relacional, sendo aplicados e demonstrados na forma de representação gráfica de um Banco de Dado, sendo mapeado no modelo relacional (DER e Modelo Relacional).

...

Baixar como (para membros premium)  txt (16.3 Kb)  
Continuar por mais 9 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com