TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A Gestão de Materiais e Equipamentos Hospitalares

Por:   •  21/5/2015  •  Relatório de pesquisa  •  1.815 Palavras (8 Páginas)  •  168 Visualizações

Página 1 de 8

[pic 1][pic 2]

UNIVERSIDADE ANHANGUERA-UNIDERP

Polo Porto Alegre/ Cavalhada

Tecnologias de Gestão

5º SEMESTRE

TUTOR PRESENCIAL: Rosimeri Bitencourt de Souza

Gestão de Materiais e Equipamentos Hospitalares

Relatório

Porto Alegre/RS

2014

RELATÓRIO

             A aquisição de artigos sem análise da qualidade, para o uso em serviços de saúde, pode resultar na ocorrência de eventos indesejáveis, pode levar ao agravamento da condição de saúde do paciente, colocar em risco a saúde do profissional de saúde, além de significar desperdício de recursos financeiros investidos na compra de artigos que não atendam ao propósito a que se destinam.

 

                                A maioria dos estabelecimentos assistenciais de saúde já experimentaram a                   compra de artigos que não atendem às mínimas exigências de segurança e efetividade ou que não cumprem as especificações contratadas no seu registro junto a ANVISA. Como parte integrante do sistema de saúde do Brasil, os estabelecimentos assistenciais também integram o SNVS. Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, cabendo-lhes proteger-se e proteger a saúde dos pacientes e de seus profissionais.

        A pré-qualificação de artigos pode auxiliar muito na seleção daqueles mais adequados para a aquisição e uso, propiciando melhor proteção. Esta pré - qualificação compreende um processo que inclui a obtenção de uma série de informações e a realização de  avaliações legal, técnica e funcional antes da decisão de compra.

Freqüentemente, nas licitações, a prerrogativa legal de vincular o menor preço  à

qualidade  do  produto  como  determinam  as  leis  no. 8.666,   de 21 de junho/ 93  e  no.

10.520, de 17 de julho/02, não é bem utilizada pela equipe responsável pelo processo licitatório. Portanto, torna-se primordial enfatizar a importância da elaboração dos editais, das fases de classificação, do julgamento e da seleção dos artigos médico-hospitalares.

A equipe responsável que administra o recurso financeiro institucional na aquisição de artigos para uso coletivo deve estar ciente que suas ações estão submetidas à lei de responsabilidade fiscal. A equipe incumbida da aquisição de artigos deve então ser  responsável,  madura  e  consciente  no  exercício  dos  seus  direitos  e  deveres   de

consumidor.

        

          Alguns hospitais têm apresentado as suas experiências com a avaliação sistemática de amostras de artigos antes da aquisição. Esse trabalho de pré-qualificação funciona como uma excelente barreira à entrada de artigos que coloquem em risco a saúde de todos.

         Essa experiência mostrou que editais de licitação bem elaborados podem contribuir para a aquisição de artigos de menor preço e que atendam aos padrões de qualidade e segurança exigidos, e apresentam resultados positivos,  por minimizar o desperdício de recursos aplicados, na aquisição de artigos medico-hospitalares e especialmente por prevenir riscos para os seus profissionais usuários.

Em todas as fases do processo é preciso que seja estabelecida uma relação estreita para garantir essencialmente, que o produto recebido após a compra, cumpra  realmente com as exigências feitas no início do processo de qualificação, como:

  • planejamento, padronização e definição de compras,
  • elaboração do pedido de compras,
  • organização do processo licitatório,
  • verificação dos artigos pré-qualificados positivamente,
  • pesquisa de preço dos Artigos,
  • elaboração e especificação no Edital,
  • processo licitatório: cadastramento de empresas, recebimento de propostas, classificação, julgamento e seleção dos artigos a serem adquiridos,
  • compra,
  • recebimento e conferência dos produtos,
  • acompanhamento e cumprimento do contrato e utilização.

Esta avaliação inicial abrange a verificação das questões relativas à qualidade do produto, bem como do fornecedor, e o cumprimento das exigências sanitárias vigente, e

determina a qualidade dos suprimentos que são disponibilizados para a gestão, manutenção e vigilância, impactando diretamente na qualidade da assistência ao paciente.

        Como planejar uma boa compra?

Segundo a Central de Artigos Médico-Hospitalar do Hias/SESA- CE, tem-se três etapas  que compõe o processo de compras, são elas:

  • Planejamento- Sempre interessante iniciar, no prazo mínimo de 4 à 6 meses antes do término dos contratos vingentes, identificando os itens e sua quantidade, bem como a relação dos outros itens padronizados durante este período, ajustadas ao consumo médio mensal.

  • Padronização  –  consiste  na  incorporação  de  um  produto determinado à  lista

de artigos passíveis de serem comprados para estar disponível para prescrição, dispensação e utilização no estabelecimento de saúde após sua pré-qualificação. Esta etapa requer a visão completa dos programas assistenciais, tanto no que se refere à compatibilidade entre os diversos produtos, quanto ao suporte e ao seu impacto inerente.

  • Definição - deve conter a finalidade de uso, matéria prima utilizada na confecção e todas as características específicas necessárias para o desempenho da finalidade a que se propõe.

 Qualificação de Materiais

             O processo adequado de  qualificação  dos artigos  médico -hospitalares a serem

adquiridos visa assegurar que estes estejam de acordo com os padrões técnicos     de qualidade para sua utilização.

              Objetivando fazer com que as compras de artigos médico-hospitalares atendam                  as características de qualidade, propõe-se aqui, portanto, um conjunto de ações  intersetoriais,    sendo   que   todos  os   profissionais   envolvidos  se  conscientizem  da

...

Baixar como (para membros premium)  txt (11.6 Kb)   pdf (159.7 Kb)   docx (42.6 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com