TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Cadeia De Suprimento E Produtação

Por:   •  4/4/2013  •  6.144 Palavras (25 Páginas)  •  381 Visualizações

Página 1 de 25

[pic]

SUMÁRIO

1 – INTRODUÇÃO .................................................................................................... 3

2 – DESENVOLVIMENTO......................................................................................... 4

3 – CONCLUSÃO .................................................................................................... 20

4 – REFERÊNCIAS .................................................................................................. 21

INTRODUÇÃO

Iremos fazer uma analise do caso Ache com intuito de colocar pontos de solução para os problemas da empresa o primeiro medicamento totalmente pesquisado e desenvolvido no Brasil.

DESENVOLVIMENTO

Desenhe uma Cadeia de Suprimentos ideal para atender todas as necessidades da Aché.

[pic]

A cadeia logística se divide em três partes:

• Suprimentos – Gerenciam a matéria-prima e os componentes. Faz parte do suprimento: Pedido ao fornecedor, transporte, armazenagem e distribuição.

• Produção - Administra o estoque do produto semi-acabado no processo de fabricação.

• Distribuição - Administra a demanda do cliente e os canais de distribuição. Faz parte dela: Estoque do produto acabado, armazenagem, transporte e entrega ao cliente.

2- Descreva qual a estratégia de estoque seria adequada a um produto de alta saída? Explique.

Estoques são situações comuns e na maioria dos casos são inevitáveis e necessários no ambiente produtivo. Geralmente são usados para tentar resolver situações de economia, desbalanceamentos e gargalos no suprimento, atrasos na entrega, etc. Na quantidade certa, ele tem função nobre no processo produtivo: evitar eventual desequilíbrio entre o suprimento e a demanda em diferentes pontos de qualquer operação. No setor de estoque tem diferentes tipos de estratégias com características especificas. A mais ideal seria estoque operacional, que são aqueles que têm função de resolver problemas imediatos e frequentes da produção. Por isso merecem atenção especial em seu controle e otimização.

A decisão dos níveis de estoques utilizados pelas empresas é grande importância para a apuração de seus custos. Quanto mais estoque a empresa possuir, mais gastos ela vai ter. Por outro lado, quanto menor o estoque, menor o custo de armazenagem. Se nesta analisássemos somente o fator custo, a decisão seria bastante simples e decidiríamos manter um estoque baixo. Quando a empresa trabalha com estoques reduzidos, ela corre o risco de numa demanda inesperada não poder atender alguns clientes, o que seria mais oneroso do que se esta mantivesse um grande estoque. Portanto, a decisão da quantidade de estoque deve ser analisada levando em consideração alguns aspectos principais, tais como:

• Custo de armazenagem;

• Demanda prevista;

• Incremento no custo unitário.

Muitas empresas confundem a questão de estocagem. Trata normalmente como se fosse à mesma atividade, o que não é verdade. Utilizaremos aqui a relação de que a estocagem é uma atividade da armazenagem, em que os produtos ou matéria primas serão adicionados por um espaço de tempo até serem comercializados ou produzidos.

A utilização de modernas técnicas de gerenciamento de estoques adequadas à realidade da empresa possibilita meios de minimizar impactos financeiros negativos pela imobilização desnecessária de capital em estoques, assegurando máximos níveis de atendimento aos clientes. Diferentes profissionais como gerentes, planejadores, analistas e compradores das áreas de materiais de diferentes ramos como empresas industriais, incluindo áreas de manutenção, assistência técnica e distribuição, empresas comerciais, incluindo atacadistas e varejistas e empresas de serviços fazem uso destas técnicas. Um dos princípios básicos de gestão de estoques é como os investimentos em estoques impactam os negócios da empresa o que representa capital imobilizado e sem liquidez imediata, representando custos financeiros para a empresa. Muitas vezes encarado como vilão, o estoque pode ser um dos maiores aliados do lojista. Mas, antes de tudo, é preciso lembrar que uma empresa de sucesso, para se manter de pé e ativa no mercado,

...

Baixar como (para membros premium)  txt (35.1 Kb)  
Continuar por mais 24 páginas »