TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ESTUDO DAS ALTERAÇÕES CAPILARES E A ATUAÇÃO DO TECNÓLOGO EM ESTÉTICA E COSMÉTICA

Por:   •  9/11/2019  •  Artigo  •  4.983 Palavras (20 Páginas)  •  8 Visualizações

Página 1 de 20

ESTUDO DAS ALTERAÇÕES CAPILARES E A ATUAÇÃO DO TECNÓLOGO EM ESTÉTICA E COSMÉTICA

Tatiane Aroldi¹

Allana Salinet²

RESUMO

O cuidado com o bem-estar e equilíbrio do corpo e da mente faz parte das maiores preocupações para os seres humanos. Os cabelos não transmitem somente a imagem pessoal, mas também evidenciam quando está comprometida a saúde da haste capilar e do couro cabeludo.  Na área da estética capilar, alterações são de comum acometimento em centros estéticos. O que requer maior e melhor capacitação dos tecnólogos em estética e cosmética, que atuam na área capilar para o reconhecimento das patologias capilares. O presente estudo tem como objetivo verificar a incidência das patologias capilares do couro cabeludo e da haste capilar em um centro estético. A metodologia utilizada para tal foi pesquisa de campo foi de caráter qualitativo e quantitativo, realizada entre os meses de março a novembro de 2018. Para coleta de dados foi utilizado Questionário de Avaliação Capilar adaptado de Grandha (2017), totalizando 30 participantes, do sexo feminino, que se encaixaram nos critérios de inclusão. Ao término da pesquisa, foi constatado que as patologias da haste capilar estão presentes em maior número sendo elas, tricoptilose, triconodose e tricorrexe nodosa. No entanto, apresentou-se também, em menor ocorrência, as alterações do couro cabeludo, tendo como prevalência, caspa, seborreia, alopecia e eflúvio telógeno. Na maior parte dos casos o terapeuta capilar é a pessoa que reconhece a patologia e, é quem pode tratá-la e orientar o cliente, como deve-se proceder. Foi evidenciado que procedimentos químicos são muito realizados, mas em contrapartida tratamentos específicos para a haste ou couro cabeludo são realizados em menor frequência. Portanto o tecnólogo em estética e cosmética no âmbito de sua profissão deve se diferenciar dos demais profissionais, oferecendo terapias capilares diversificadas aos seus clientes.

Palavras Chave: Cabelo. Doenças capilares. Estética e Cosmética. Tricologia.

¹Acadêmica do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética da ULBRA/Campus Carazinho. Contato Telefônico: (54) 99123-0507. Endereço eletrônico: tati_aroldi@hotmail.com.

²Orientadora. Docente CST Estética e Cosmética Universidade Luterana do Brasil ULBRA/Campus Carazinho. Contato Telefônico: (54) 99132-6747. Endereço eletrônico: allana_salinet@hotmail.com.

  1.  INTRODUCÃO

Desde a antiguidade os cabelos caracterizam a beleza nos seres humanos. Ter um cabelo com viço, brilho e movimento demonstra cuidado e saúde capilar, bem como o corte adequado valoriza os traços e disfarça aspectos indesejáveis, aumentando a autoestima e o bem-estar pessoal independentemente do gênero.

De acordo com Barsanti (2009), os cabelos são estruturas anexas ao corpo humano e exercem várias funções fisiológicas, como a de proteger o couro cabeludo das ações negativas dos raios ultravioleta emitidos pelo sol, das inversões térmicas e de melhorar a sensibilidade tátil, desempenhando assim um papel de grande importância na composição estética do rosto de homens e mulheres.

        Além disso, o cabelo exerce um papel social e psicológico muito importante para o ser humano, interferindo no modo como ele se relaciona com o meio. Apesar disso, os mesmos sempre foram vistos como um dos indicadores de beleza e status social (KEDE; SABATOVICH, 2015).

No mundo atual em que estamos inseridos, o cuidado com o bem-estar e a saúde do corpo e mente é uma das maiores preocupações. Fisiologicamente, as emoções têm contato direto com o sistema capilar, pois através dos cabelos não só transmitimos a nossa imagem pessoal, mas também o comprometimento da saúde do fio e do couro cabeludo.

Patologias podem acometer couro cabeludo e/ou a haste capilar, correspondendo a doenças e modificações que possam ser provocadas no organismo. Doenças capilares, podem se apresentar de forma congênita ou por diversos agentes intrínsecos e extrínsecos, físicos, climáticos e ambientais, bem como, problemas psicossociais, alimentação inadequada, medicação, hormônios, cosméticas e químicas e outros múltiplos fatores. O impacto dessas variações causa mudanças nos aspectos comportamentais e emocionais, gerando dificuldades de relacionamento social e pessoal.

Deste modo, as mudanças de comportamento, tais como, estresse, cansaço, má alimentação, entre outras, são refletidas também nos cabelos, que de uma forma demonstram que o organismo não está em homeostase. Alterações como queda capilar, cabelos com aspecto enfraquecido, sem brilho, opaco, sem cor e sem vida são algumas das mudanças. Ainda podendo, em casos mais avançados, desencadear alterações específicas da haste ou do couro cabeludo.

Dentre as patologias que envolvem couro cabeludo podemos citar algumas descritas a seguir, como, a seborreia, que segundo Borges (2016) consiste no aumento do fluxo sebáceo no folículo piloso de origem genética ou hormonal, principalmente a testosterona, que aumenta o volume das glândulas sebáceas. As regiões de maior acometimento são a face e o couro cabeludo. Além disso, o cliente que apresenta a patologia, conta que os fios são secos, mesmo sentindo uma oleosidade no escalpe.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (34.3 Kb)   pdf (340.2 Kb)   docx (168 Kb)  
Continuar por mais 19 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com