TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Fundamentos Históricos E Teóricos-Metodológicos Do Serviço Social III

Por:   •  14/4/2014  •  2.008 Palavras (9 Páginas)  •  343 Visualizações

Página 1 de 9

Referência Bibliográfica:

Simionatto, Ivete "A influência do pensamento de Gramsci no Serviço Social Brasileiro". Artigo_trilhas, Belém, v.2, n.1, p. 7-18, jul 2001.

Resumo

• A teoria é reprodução do objeto no sentido do objeto já ser um produto, já fazer parte da realidade, já existir, ou seja, a teoria o reconstitui pelo pensamento. A sua produção não é dada pela consciência, mas na prática, podendo ser, contudo, reproduzido no âmbito da razão a partir do momento em que o objeto do conhecimento já existe no mundo.

• Netto (1989) fortalece o entendimento de que a reflexão teórica não “constrói” um objeto, ela é um instrumento de análise do real: “o produto teórico por excelência, é uma reprodução ideal de u processo real”.

• Para Netto, a teoria “é um movimento através do qual a razão extrai dos processos objetivos a sua legalidade intríseca”.

• A importância dessas categorias e do legado de Gramsci, de maneira geral, são apresentados como fundamentais para pensar não somente o Serviço Social como também as grandes transformações societárias na transição entre os séculos XX e XXI.

Primeiros Atores – Primeiras ideias

• Quando as primeiras obras de Gramsci foram traduzidas e publicadas no Brasil, em meados dos anos 1960, o Serviço Social já desfrutava do reconhecimento legal e afirmava-se como profissão liberal. É neste período também, que se observam os primeiros questionamentos às matrizes conservadoras.

• As propostas de natureza crítica que emergiam no interior do Serviço Social, neste período, não encontraram, no entanto, espaço para se desenvolver, pois com o golpe militar de 1964, a tendência pragmático-tecnocrática é assumida como forma de responder às necessidades do crescente processo de acumulação capitalista.

• É o caso da experiência desenvolvida na Universidade Católica de Minas Gerais, em Belo Horizonte, entre 1972-75 que irá se expressar através do chamado método BH.

• No âmbito do Serviço Social, essa nova conjuntura política pressionou, na época, os organizadores do CBCISS que haviam realizado os encontros de Araxá e Teresópolis e organizavam o encontro de Sumaré, a incorporar ao debate as vertentes fenomenológica e marxista.

• As modificações sofridas pela realidade brasileira neste período ampliaram, conseqüentemente, os espaços da ação profissional dos assistentes sociais, com práticas não mais restritas ao âmbito institucional, mas também junto ao movimento organizativo das classes subalternas.

• O processo de reorganização do Estado, a necessidade de fortalecimento da sociedade civil e a dinâmica mesmo da realidade brasileira, incentivaram os profissionais a buscarem novos referenciais que possibilitassem recuperar a prática e a formação profissional.

• Dois grandes marcos da produção do Serviço Social desse período são, sem dúvida, o Método BH e o livro Legitimidade e Crise no Serviço Social de Marilda Iamamoto. Mas ao lado dessas duas elaborações, há, ainda, todo um acervo de formulações que instauram um novo debate no interior da profissão na virada dos anos de 1970 e início de 1980.

• As idéias de Gramsci passaram a ser progressivamente incorporadas pelo Serviço Social, abrindo novas possibilidades para pensar seus referenciais teóricos e suas ações interventivas.

• As primeiras referências ao pensamento de Gramsci no Serviço Social, encontram-se nas produções de Vicente de Paula Faleiros através da categoria da hegemonia e da análise da prática profissional no contexto da sociedade capitalista. Serão, no entanto, as produções de Safira Bezerra Ammann, Alba Maria Pinho de Carvalho, Franci Gomes e Marina Maciel que possibilitaram a efetiva aproximação do Serviço Social ao pensamento gramsciano.

• Estas mesmas categorias continuam permeando as produções do Serviço Social na contemporaneidade com problematizações relativas às classes sociais, às transformações sofridas pelo Estado, pela sociedade civil, ao papel das ideologias e da cultura na análise e compreensão da realidade social o que tem contribuído para operar mudanças significativas tanto no que se refere ao referencial teórico-metodológico, ético-político quanto prático-operativo.

 Mas, de que forma o pensamento de Gramsci continua sendo importante tanto para pensar o Serviço Social quanto e para analisar a realidade contemporânea?

 Quais as principais categorias desse pensador que continuam sendo atuais em pleno século XXI cujo cenário que temos diante dos olhos é paradoxal e assustador?

 Diante

...

Baixar como (para membros premium)  txt (14.2 Kb)  
Continuar por mais 8 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com